quarta-feira, 13 de abril de 2011

Doutrinação gayzista nas escolas!

Saudações queridos leitores!

Antes tarde do que nunca. Alguns dias atrás recebi um e-mail de um amigo sobre um assunto que já conhecemos, mas que só agora consigo escrever: a doutrinação gayzista que o MEC quer impor nas escolas de ensino fundamental. Tive acesso a parte do material. É nojento, degradante e um estímulo explícito à prática homossexual diante de crianças de 7 a 12 anos. Leiam o e-mail que recebi, volto abaixo:

Com discurso de combater a homofobia, foi firmado um convênio entre o Ministério da Educação (MEC), com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e a ONG Comunicação em Sexualidade (Ecos) e produziu um kit de material supostamente educativo composto de vídeos, boletins e cartilhas com abordagem do universo de adolescentes homossexuais que será distribuída para 6 mil escolas da rede pública em todo o país do programa Mais Educação.

Os vídeos que serão expostos nas escolas são bastante sensacionalistas que confundem e ao invés de combaterem a homofobia criam um clima de incentivo a homossexualidade.
Abaixo uma das fotos como exemplo:


Quem não estiver de acordo com a forma proposta abordada assine a petição abaixo, leva 1 minuto:
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=PROL


Ao incentivar esse tipo de postura nas escolas, que deveriam ensinar português e matemática, o MEC quer doutrinar os filhos dos brasileiros, ensinando que menino beijar menino, menino se vestir de menina e a ciência de se colocar um preservativo em uma banana são coisas boas.

Meus filhos pequenos falam um português melhor que muitos adultos, inclusive alguns professores. Mas isso não foi graças à escola, pois se depender do MEC, as escolas de ensino fundamental tornar-se-ão verdadeiras fábricas de travestis e homossexuais, tudo com a desculpa de combater a homofobia.

Homofobia, seja lá isso o que for, já que não é definida juridicamente, não se combate ensinando comportamentos de tal natureza, mas sim com verdadeiras lições de tolerância às pessoas, independente de seu comportamento.

Para aqueles que não conseguem entender ou que querem distorcer minhas palavras: sou contrário a qualquer tipo de discriminação, pois todos os seres humanos são livres e constituídos em dignidade. E é fazendo exercício dessa mesma liberdade que critico posturas moralmente inaceitáveis adotadas por governos que foram eleitos para fazer o melhor pelo Brasil. Não é incentivando a promiscuidade e criando uma super classe de cidadãos que nosso país avançará na democracia, que cada vez está mais fragilizada.

Meus filhos têm minhas ordens para abandonar a sala de aula caso os professores insistam em passar essas obcenidades para eles. E morro de vontade de ser chamado pela diretora para conversar sobre isso...

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando

Ajude a defender a Igreja! - http://www.defesacatolica.com.br/

Nenhum comentário: