segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Mãe aos 11 anos

Saudações queridos leitores!

Ainda bem que essa menina não foi encontrada antes pelos ONGueiros e pelos grupos que supostamente defendem os direitos das mulheres, caso contrário, seria um inocente a mais morto.

Nos Estados Unidos, país onde o aborto é muito mais liberalizado do que aqui, uma menina de 11 anos deu à luz a um menino. Apesar do parto ter sido realizado através de uma cesariana, a avó da criança (que não teve a identidade divulgada) relatou que ambos passam bem.

Infelizmente, mais que comemorar o nascimento da criança em bom estado, o obstetra entrevistado bate na tecla de que o aborto seria uma opção para a menina. É, poderia até ser, mas também seria morte certa para um bebê que veio ao mundo.

O que essas pessoas não entendem é que se consideram uma gravidez um problema, seja por ser indesejada, por ser de alto risco, o aborto não pode ser considerado uma solução, pois ele visa eliminar um problema simplesmente matando um inocente. Do mesmo modo, condenar o aborto não significa, de maneira nenhuma, coadunar com o estupro e com a morte de gestantes vítimas de gravidez de risco.

O que houve com essa menina é lamentável, porém, matar seu filho não tornaria o que houve com ela menos lamentável, só seria outra atitude ainda pior.Dois errados não fazem um certo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Ajude a defender a Igreja! - http://www.defesacatolica.com.br/

A derrocada Anglicana - o golpe final?

Saudações queridos leitores!

E olha os Anglicanos me dando mais motivos para falar deles. Confesso que senti falta de falar dos Anglicanos enquanto o Blog esteve parado. Ainda bem que voltei a escrever antes da derrocada final do que um dia foi a Comunhão Anglicana.

Apesar de todos os protestos, da oferta feita pelo Vaticano aos Anglicanos insatisfeitos e na iminente debandada de seus membros, os Anglicanos vão continuar com seu plano maluco de ordenar "bispas" (a mídia secular é tão desinformada em relação à formação religiosa que nem sabe que um suposto feminino para bispo seria episcopisa).

Quando a debandada se intensificar (pois já está ocorrendo), Canteburry não poderá alegar desconhecimento do fenômeno ou então que foram pegos de surpresa, pois os Anglicanos que se opõem a esse debate alertaram para a iminente debandada dos fieis.

Agora, para mostrar mais um motivo pelo qual não consigo levar os Anglicanos a sério, é o fato de que será pedido às futuras episcopisas que deleguem sua autoridade a outros bispos para atender àquelas paróquias que

se neguem a aceitá-las. Em resumo, a autoridade de uma "bispa" anglicana já está em baixa antes mesmo de elas serem sagradas a ponto de que será recomendado um bispo homem para as paróquias que se rebelarem.

Rebelião dos fieis, autoridades desacreditadas, doutrinas anti-cristãs, entre outros elementos, são causas de rachaduras tão profundas que já engoliram o que um dia foi a Igreja Anglicana, que deixa seus últimos poucos crentes órfãos, achando que ainda existe a comunidade da qual um dia fizeram parte.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Ajude a defender a Igreja! - http://www.defesacatolica.com.br/

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Evangelho de Domingo - 5° Domingo do Tempo Comum

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários de São Cirilo de Alexandria.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João.

Evangelho (Lc 5, 1-11 (5º Domingo do Tempo Comum))

1Uma vez em que a multidão se apertava em torno de Jesus, a ouvir a palavra de Deus, e Ele mesmo de pé junto ao lago de Genesaré, 2viu dois barcos estacionados no lago. Os pescadores, que deles se haviam retirado, lavavam as redes. 3Depois de subir para um dos barcos, que era de Simão, pediu-lhe que se afastasse um pouco da terra para o largo; e, sentando-Se, pôs-Se a ensinar do barco as multidões.

4Quando cessou de falar, disse a Simão: Faz-te ao largo; e vós, largai as redes para a pesca. 5Disse-Lhe Simão, em resposta: Mestre, trabalhamos toda a noite e nada apanhamos; todavia, porque o dizes, largarei as redes. 6E, depois de o terem feito, apanharam grande quantidade de peixe. 7Ora as redes estavam a romper-se, e eles fizeram sinal aos companheiros que se encontravam no outro barco, para os virem ajudar. Estes vieram; e encheram ambos os barcos, a ponto de se irem afundando. 8Ao ver isso, Simão Pedro lançou-se aos pés de Jesus, dizendo: Afasta-Te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador. 9De facto, enchera-se de espanto, ele e todos os que com ele estavam, por causa da pesca que tinham feito, 10o mesmo sucedendo a Tiago e a João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. Disse Jesus a Simão: Não tenhas receio; doravante ficarás a apanhar homens. 11E eles, depois de reconduzirem os barcos para terra, deixaram tudo e seguiram-No.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por São Josemaria Escrivá de Balaguer (1902-1975), presbítero, fundador.

Homilia in Amigos de Dios

«Recebestes gratuitamente, dai gratuitamente» (Mt 10, 8)


Quando Jesus saiu para o mar com os Seus discípulos, não pensava somente nessa pescaria. Foi por isso [...] que respondeu a Pedro: «Não tenhas receio; de hoje em diante serás pescador de homens». E também nessa nova pesca a eficácia divina não faltará: os apóstolos serão instrumentos de grandes prodígios, apesar das suas misérias pessoais.

Também nós, se lutarmos todos os dias para alcançar a santidade na nossa vida normal, cada um na sua própria condição no meio do mundo e no exercício da sua profissão, ouso afirmar que o Senhor fará de nós instrumentos capazes de realizar milagres e, se for necessário, dos mais extraordinários. Daremos luz aos cegos. Quem não poderá narrar mil exemplos de cegos quase de nascença que recuperam a visão e recebem todo o esplendor da luz de Cristo? Outro era surdo e outro ainda mudo, que não podiam ouvir nem articular uma única palavra enquanto filhos de Deus [...]: e ouvem e exprimem-se como verdadeiros homens [...]. «Em nome de Jesus», os apóstolos restituem as forças a um enfermo incapaz de qualquer ação útil [...]: «Em nome do Senhor levanta-te e caminha!» (Act 3, 6). Outro ainda, um morto, ouviu a voz de Deus como quando do milagre da viúva de Naim: «Jovem, ordeno-te que te levantes» (Lc 7, 14; Act 9, 40).

Faremos milagres como Cristo, milagres como os primeiros apóstolos. Estes prodígios realizaram-se talvez em ti, em mim: talvez estivéssemos cegos, ou surdos, ou enfermos, ou sentíssemos a morte, quando a Palavra de Deus nos arrancou à nossa prostração. Se amamos a Cristo, se O seguimos, se é apenas a Ele que procuramos e não a nós mesmos, em Seu nome poderemos transmitir gratuitamente o que recebemos gratuitamente.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.