domingo, 11 de julho de 2010

Comunistas na CNBB apoiam luta pelo fim da propriedade privada

Saudações queridos leitores!

Faz tempo, né? Agradeço às orações e ao apoio que tenho recebido de alguns leitores que perguntam sobre mim e dos amigos que sabem mais acerca de meu atual momento.

Muitas coisas aconteceram nesses dois meses em que estive quieto. A militância gay ficou mais assanhada do que nunca (em todos os sentidos), a política nacional ficou mais vergonhosa com o comportamento vergonhoso do atual governo, que luta abertamente por uma ditadura comunista no Brasil, ser bebê em gestação na Espanha ficou muito perigoso, José Saramago foi sentar-se no colo do diabo (caso não tenha se arrependido no momento final, o que espero, pelo bem dele, que tenha acontecido) e um outro tanto de assuntos que minha memória insiste em não lembrar.

Bem, tenho que ter foco. Portanto, chega de divagar e vamos ao assunto da postagem. Vi na internet que a CNBB está apoiando um plebiscito escandaloso que visa atacar diretamente o direito à propriedade privada no Brasil. Vejam abaixo, em vermelho o texto, junto com comentários meus, em preto.

APOIO AO PLEBISCITO POPULAR PELO LIMITE DA PROPRIEDADE DA TERRA

Reparem que nesse evento eles não lutarão pelo fim das grilagens, pelo aperto da fiscalização das terras ilegais ou pela capacitação dos milhares de assentados do MST que não sabem sequer plantar um pé de feijão. Eles querem é que quem tem muito, independente de ter ganho honestamente, simplesmente abra mão do fruto de seu trabalho.

E AO 16º GRITO DOS EXCLUIDOS

Aquele desfile de slogans marxistas que todos vemos na TV, sujando a imagem da Basílica de Aparecida, casa da Padroeira do Brasil. Queria ver o engajamento desses sujeitos para pedirem por liberdade aos chineses ou clamar pelo fim do aborto na Espanha.

Reunidas em Brasília, nos dias 14, 15 e 16 de Junho, as coordenações regionais e nacionais das Pastorais Sociais e Organismos da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da CNBB, assumem o compromisso de participar do 16⁰ Grito dos Excluídos e da organização do Plebiscito Popular por um Limite da Propriedade da Terra no Brasil.

Eu não sei se a CPT mudou de nome ou não, mas de uma coisa eu sei. Essa tal comissão de nome enorme definitivamente não representa os interesses do Brasil, mas sim de um grupo, que, entre os comunistas tradicionais, inclui a Fundação Ford (de quem esse órgão recebeu muito dinheiro). A mesma fundação Ford, que patrocina diversas ONGs estrangeiras que praticam biopirataria no Brasil. Com os produtores podendo ter menos terra, o que vai acontecer com aqueles que "excederem a quota" de propriedade? Serão expropriados até chegarem ao "teto"? Para quem vai o excedente, para o Estado ou para essas ONGs do inferno?

Esta decisão tem como base a consciência de que a democratização da terra através da reforma agrária é uma luta histórica do povo e uma exigência ética afirmada pela CNBB há décadas. É também a realização de um gesto concreto proposto pela Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010, promovida pelas Igrejas membros do CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs), como consta no Texto Base, n. 120: “Mobilização de apoio ao Plebiscito de iniciativa popular pelo Limite da Propriedade da Terra, em defesa da Reforma Agrária, da Soberania Territorial e Alimentar, promovido pelo Fórum Nacional de Reforma Agrária e Justiça no campo”.

Democratização da terra o escambau! São Paulo Apóstolo nos diz formalmente que quem não trabalha não tem o direito de comer: (II Ts 3,10). Se as terras foram adquiridas de maneira legal, se são produtivas, ninguém deve atacar as mesmas. A falta de terras para essas pessoas é o menor dos problemas dessa gente. Caso tenham acesso às tais terras, não farão outra coisa senão acabar com a produtividade que têm. Se forem terras improdutivas, então a coisa fica na mesma. O que essas pessoas precisam é de qualificação, precisam aprender a plantar e a colher. Simplesmente entregar uma porção de terra a essa gente, é inútil. E que diabos quer dizer soberania alimentar? Por acaso esses sujeitos querem expulsar do Brasil as fábricas da Coca Cola e da Elma Chips? O Brasil produz alimento para si e ainda exporta quantidades enormes mundo afora! Falar em soberania alimentar é uma estupidez de uma magnitude que não ouvia a tempos!

Para isso, convidamos os cristãos e cristãs das dioceses, paróquias, comunidades, movimentos a engajarem-se neste exercício de cidadania que será realizado na Semana da Pátria e especialmente no dia 7 de setembro, junto com o 16⁰ Grito dos Excluídos/as, abrindo espaços, formando comitês, colaborando com os comitês estaduais no processo de informação, formação e coleta dos votos.

Antes de continuar, gostaria de deixar claro que linguagem inclusiva é coisa de Satanás. É uma forçação de barra sexista e que acaba com a estética de qualquer texto. Depois tem gente querendo saber porque o brasileiro só coloca bandeirinha do Brasil na época da Copa do Mundo. Essas posturas durante as comemorações cívicas acabam com o patriotismo e com a paciência de qualquer um. 7 de Setembro, no Brasil, não é dia de celebrarmos nossa Independência, mas sim dia de trabalhar para que nos tornemos uma ditadura marxista.

O engajamento nesta prática cidadã de democracia direta é uma forma de realizar nossa missão evangélica em favor e junto com os excluídos e excluídas, construindo uma sociedade justa e solidária que garanta vida digna para todos os brasileiros e brasileiras.

Eles excluíram a gramática. Deve ser porque, para eles, gramática é coisa "da zelite". E além disso, Missão Evanglélica coisíssima nenhuma! Quero saber em qual Evangelho existe base para que eles roubem de quem trabalha honestamente por seus bens, para que verdadeiros aproveitadores, usando necessitados como massa de manobra, literalmente roubem o que outros trabalharam para conseguir. Eu não sigo esse evangelho, mas sim o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, que não traz nada disso.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

renata disse...

Olá,

Por gentileza entrar em contato com o Grupo EC.


Assunto: Proposta de Parceria IMPERDIVEL!!!

Contato atraves do email: renata.vidal@ig.com.br


Atenciosamente,


Renata V. França