quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Pergunte ao Fernando: Moral de cuecas!

Saudações queridos leitores!

Recebo diversos comentários pedindo em que leitores querem que eu comente posições adotadas por eles. Como estive parado nos últimos tempos e retomei o blog recetemente, admito que isso é algo que eu desejo realmente fazer. Espero dar conta desse serviço também.

Hoje, respondo ao leitor Saulo, que me deixou o seguinte comentário no post Traidores da Igreja Defendem a Camisinha.

Olha a moral de cuecas de novo! Uma instituição que mal consegue controlar a libido dos seus sacerdotes (pedófilos ou não)ditando regras sobre sexo.
Por sorte, nem mesmo os católicos vão atrás dessa besteira.
Pergunto: Fernando, você é casado? Se sim, você não usa algum método contraceptivo? Usa a "tabelinha"?
E no mais, a "tabelinha" (que a Igreja permite, por ser natural), não é de alguma forma um método que visa permitir o prazer do sexo sem procriação? Faça essas perguntas a qualquer católico casado...
Ah! mais uma coisa, nós do contra, que fazemos perguntas de forma educada a você, gostaríamos de vê-las respondidas. Não adianta postar os nossos comentários e não dar qualquer resposta. Você, que é o "cara das respostas", responda as perguntas que fiz acima.
Certo de sua nobre atenção, e no aguardo de respostas inteligentes, agradecemos.

Saulo

Olha Saulo, a libido dos sacerdotes é totalmente irrelevante na questão das normas morais da Igreja. Usando seu raciocínio, o Legislativo deve parar de elaborar leis, pois tem gente que descumpre as mesmas. Levando seu raciocínio ainda mais adiante, vamos todos partir para a anarquia, pois as leis são inúteis, já que o povo não as cumpre.

Também me admiro por conhecer tanta gente, já que afirma com tanta categoria que os católicos não seguem os princípios morais da Igreja. Existem aproximadamente 2 bilhões de católicos no mundo, portanto, com que base você afirma que eles não seguem a doutrina?

Em relação ao minha vida particular, a mesma é particular e reservo-me o direito de deixar isso de lado, pois é irrelevante ao debate. Quanto a sua noção do que seja a doutrina católica acerca da sexualidade, é uma noção totalmente distorcida.

A Igreja não diz que devemos fazer sexo apenas para ter filhos. Essa noção deturpada é usada por muitos críticos da postura da Igreja para atacar. É brigar por algo que a Igreja não falou. O sexo possui dois propósito, o procriativo, que é a geração dos filhos e o unitivo, que é o bem e o conforto que a relação traz ao casal. Esses aspectos simplesmente não podem ser dissociados.

Quanto à permissão para o uso da "tabelinha", a mesma não fere a dissociação dos aspectos, pois não existe nenhuma interferência anti-natural nos processos biológicos humanos, mas sim, um aproveitamento racional das características com as quais fomos feitos. Nesse caso, a gravidez não ocorre por causas naturais. Diferentemente de agentes físicos e químicos, que interferem diretamente no funcionamento do organismo e dissociam os aspectos supracitados.

Há muito mais coisas que podem ser abordadas em relação ao assunto, mas espero que esse pouco já lhe seja suficiente. Recomendo a você que busque um conteúdo um pouco mais profundo na doutrina da Igreja em relação a isso e se surgirem novas dúvidas, não hesite em entrar em contato comigo pelo e-mail pergunte@blogdofernando.com.br.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

3 comentários:

Teo disse...

Se o Saulo classifica seu texto como "perguntas de forma educada" tenho até "medo" de vê-lo sendo agressivo...

Aproveito a oportunidade e tomo a liberdade de convidar o leitor a complementar essa bela resposta do Fernando com o texto "Dez razões para que você queira viver a castidade" (http://reflexoeseutopias.wordpress.com/2009/08/06/dez-razoes-para-que-voce-queira-viver-a-castidade/), publicado em meu blog hoje.

Anônimo disse...

Fico feliz por ter lido o meu comentário.
Poréns:
1º sua comparação da pregação da moral Católica com o trabalho do Legislativo foi infantil e infeliz. Explico: O Legislativo, quando está trabalhando uma lei, sempre leva em consideração (ou se esforça para tal) a "aplicabilidade" da lei, ou seja, leva em conta todas as dificuldades em se seguir determinada lei. O Legislativo, por exemplo, evita prever uma multa que não possa ser paga pelo infrator. Diferente do que faz a Igreja, tratando a camisinha de maneira universal sem levar em consideração as particularidades de cada canto do mundo, ou mesmo de cada grupo social. Leia sobre o HIV na África, estatísticas sobre as diferenças de comportamento sexual entre moradores de "favelas" e das "zonas nobres", etc..
2º os católicos, de modo geral, não seguem os conselhos do Vaticano. Explico: o número de católicos no brasil aumenta a cada ano. Passa dos 150 milhões ((http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/04/070405_vaticanoestatisticas_pu.shtml)em contrapartida, o número médio de filhos diminui: "...nas décadas de 1950-60 uma mulher, em média, possuía de 4 a 6 filhos, hoje em dia um casal possui um ou dois filhos, em média. (dados do IBGE). Alguém tem coragem de dizer que hoje se faz menos sexo do que em 1950, ou que a maldita tabelinha foi eficaz para a obtenção desse número? O povo, incluindo católicos, usa sim camisinha, DIU, pílula, vasectomia e tudo quanto é método. Todos os meus parentes, e amigos CATÓLICOS usam, assim como os não-católicos.
3º eu afirmei que a Igreja prega que sexo é somente para ter filhos. Não é "uma noção deturbada usada por críticos"; é fato, é informação passada para crianças na aula de "catequese". Eu tive essa aula na Primeira Comunhão, e as crianças de hoje ainda a têm. Lembro-me bem da catequista toda envergonhada falando: "Deus fez o sexo para que tenhamos filhos!!" Depois vem o "curso de noivos" enfeitar um pouco a coisa com aquela história de "união conjugal" e "alegria do sexo" desde que não se impessa a gravidez. Só tabelinha, como se ela fosse confiável. Aliás, a tabelinha é tão artificial como a camisinha, no sentido de que foi "criada" pela razão humana com o objetivo de "transar sem engravidar", os mesmos meios (ciência) e objetivos (sexo sem filhos) que levaram-nos mais adiante a criar a camisinha, a pílula, etc. Não vejo porque eleger um em detrimento do outro. Uma pergunta, com o perdão do termo: "gozar fora" pode? Se pode, não vejo diferença nenhuma entre "gozar fora" e impedir a gravidez com uma camisinha.
4º não somos nós que implicamos com a Igreja. É a Igreja que parece ir contra a natureza humana.

É sempre um prazer debater com você.

Saulo

Anônimo disse...

Saulo, parabens!!!!
Eu fiz comunhão, Crisma e tudo mais, e minha filha de 13 anos tbem, porem, não tenho ido muito a igreja por estar anojada do que escuto. Se o padre não está pedindo dinheiro, ta pregando coisas, que na pratica, TODOS sabemos que não é bem assim.
Se eu não tivesse usado pilula e tivesse meia duzia de filhos? A igreja ia alimentá-los pra mim?? NÃOOOOOOOOO
Então...por favor....não falem bobagens.