sábado, 25 de outubro de 2008

Desinformação vergonhosa contra a Igreja

Manipulação vergonhosa de notícia sobre a Igreja

Saudações queridos leitores!

Hoje pela manhã, ao naufragar pela internet em busca de pauta para o blog, me deparei com a notícia do portal Terra: Papa suspende bispo por tentar adotar criança. A primeira coisa que me veio à cabeça foi um bispo que foi suspenso por desobedecer ao Papa e tentar adotar uma criança. Fui ler a notícia. Realmente, a notícia relata que um bispo foi suspenso por Bento XVI por tentar adotar, mas não uma criança, mas sim uma mulher de 26 anos de idade, que diz ser vidente e que já tinha sido tomada por filha por um outro prelado ortodoxo.

Como podem ver na notícia publicada no portal Terra, foi publicada de forma mentirosa, levando os leitores desavisados e pensarem que o bispo estava realmente a tentar adotar uma criança. Fato que também não é mencionado na reportagem é que a tentativa de adoção do bispo é ilegal, pois as leis da Índia não permitem que maiores de dezoito anos sejam adotados como filhos.

O site Catholic Culture publicou (aqui, em Inglês) uma nota em que pode-se entender a situação. O Núncio Apostólico e o Arcebispo local conduziram uma investigação que levou Bento XVI a suspender o Bispo John Thattumkal, de Kochi, Bispo Latino no sudoeste de Kerala. A suposta vidente, de 26 anos, alega ter visões às quais foram atribuídas a descoberta de um caso de corrupção na Diocese.

Correção por parte do Terra? Que nada! Quando o erro é contra a Igreja, esses jornalistas nem se preocupam em divulgar a informação correta, pois muitos deles não se importam em desinformar no que tange a religião. Mas para não dizerem que omito informações, esclareço que o Terra publicou uma segunda notícia, contando agora os fatos de maneira mais próxima da realidade, mas sem mencionar nenhuma ligação com a notícia errada. Quem não prestar atenção vai achar que se trata de dois casos distintos. A notícia pode ser lida aqui.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Sacerdote condenado por abuso de menor nos EUA

Saudações queridos leitores!

O Estadão publica a notícia sobre mais um sacerdote que mancha a dignidade de sua batina e, com isso, desfere mais um golpe contra a Igreja. Donald McGuire foi condenado por levar um menino a um retiro espiritual e abusar do mesmo. A acusação foi de crime federal, que é tirar um menor de um Estado para cometer abuso sexual.

Donald McGuire era um sacerdote conhecido nos Estados Unidos como líder e pregador em retiros espirituais. Além da condenação da última sexta-feira, ele também já foi condenado a sete anos de prisão no Wisconsin por abuso de menor, condenação da qual ele apelou e ainda está indiciano no Arizona.

O comportamento de Donald McGuire é inaceitável. Seu distúrbio não só atenta contra a Igreja, que ele representava na condição de sacerdote, mas também é um ato horrendo que deixa marcas profundas na mente de suas vítimas. O sacerdócio que ele desonrou só tornou o crime cometido ainda mais hediondo, pois sua posição perante a sociedade certamente levava as pessoas a confiarem em sua pessoa de maneira mais firme.

Seu crime faz com que as pessoas infelizmente tenham um receio infundado, mas compreensível, contra outros sacerdotes do Altíssimo dignos e santos, que agora, têm que lutar contra mais esse preconceito.

Que Deus olhe com compaixão tanto para as vítimas quanto para a pobre alma tortuosa desse sacerdote que cometeu ato tão horrendo.

Fiquem com Deus,
Fenando.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Papa pensou em excluir capítulo polêmico de livro sobre liturgia

Saudções queridos leitores!

Está sendo lançada aos poucos a chamada "Opera Omnia" de Bento XVI. Esse trabalho consiste em uma coletânea de tudo que já foi escrito e publicado por Bento XVI, desde o começo de seus trabalhos como escritor.

No lançamento do décimo primeiro tomo (de um total de dezesseis), Bento XVI conta que pensou em excluir de seu livro "O Espírito da Liturgia", escrito em 2000, um capítulo em que ele tratava, entre outros temas, da orientação do altar e da instrução para que o sacerdote celebre as Missas de frente para o altar, e não voltado para o povo.

Bento XVI conta que diante da "distorção" criada sobre sua obra, "concentrada em nove páginas de um total das 200 do livro" e com o objetivo de que emergisse "seu autêntico tema", chegou a pensar em várias ocasiões em tirar esse capítulo. Mas no final, após vários estudos conduzidos por dois teólogos, Ratzinger chegou à conclusão de que as idéias defendidas no capítulo eram corretas e deveriam ser mantidas. Segundo o Papa, a idéia de que o celebrante e a assembléia devem se olhar frente a frente é completamente estranho aos primeiros cristãos.

Graças a Deus, Bento XVI manteve o capítulo no livro e hoje, a idéia já começa a ter uma aceitação maior por parte dos fiéis, que estão cada vez mais ávidos pelo retorno de tão belas tradições da Igreja.

Fiquem com Derus e divirtam-se,
Fernando.

Cristãos no Iraque em estão sendo aniquilados sob os olhos do governo

Saudações queridos leitores!

Existem muitas tragédias que assolam populações mundo afora. Relatei no post anterior sobre o que passam alguns cristãos mundo afora. Vejo em ZENIT essa notícia com mais detalhes sobre a situação dos cristãos do Iraque. Segundo a emissora cristã libanesa TeleLumiere, os cristão estão sendo aniquilados em Mosul.

A emissora lança uma campanha de solidariedade aos cristãos iraquianos, afirmando que neste caso "cabe a cada cristão, também a cada ser humano, qualquer que for sua tradição, porque se a vida é um direito, também o é a pertença a uma religião e a constituição deveria ser respeitada em relação a todo ser humano".

Apesar da campanha e de tantos apelos, também da população e de religiosos, o governo não tem agido. Os apelos vêm de todas as partes do mundo. O Conselho Argentino para a Liberdade Religiosa, enviou um comunicado à ZENIT em 15 de outubro, expressaando seu "repúdio diante da falta de liberdade religiosa que se registra em diversas regiões do mundo e assinala de forma particular a que famílias cristãs sofrem na cidade de Mosul". Como resultado, mais de mil famílias cristãs, que não contam com proteção, já deixaram a região de Mosul.

Parece que para boa parte da mídia, tanto no ocidente quanto no oriente, as tragédias têm valores diferentes. Enquanto fala-se tanto dos mortos nos conflitos entre israelenses e palestinos, nos presos de Guantánamo e nos terroristas das FARC (até bem pouco tempo atrás), outros massacres não parecem ser dignos de cobertura. Vide o drama dos cristãos do Iraque, ou então a tragédia em Darfur, no Sudão, apoiada pela China, que também tem seus milhares de perseguidos, torturados e assassinados pela ditadura totalitarista.

Como essas vítimas não possuem uma "causa" que atraia a simpatia da mídia, são deixadas a sua própria sorte.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Perseguição religiosa afeta 200 milhões de cristãos

Saudações queridos leitores!

O diretor da organização Ajuda à Igreja Necessitada na Espanha (AIN), Javier Menéndez Ros, apresentou ao mundo o relatório produzido anualmente pela AIN sobre as violações à liberdade religiosa mundo afora. Os dados são alarmantes e em alguns casos, revoltantes.

O estudo, que foi apresentado simultaneamente em diversas capitais européias relata os países em que a liberdade de culto é mais desrespeitada e as conseqüências de tal discriminação. Esse ano a Índia ganhou destaque devido aos ataques que continuam massacrando os cristãos. O Paquistão é outro país que aparece no relatório como um exemplo de como a situação piorou desde 2007.

Dos países do Oriente Médio, o Egito é o que mais possui cristãos, a maioria pertencentes à Igreja Copta Ortodoxa, e outros são membros de comunidades minoritárias como os católicos, armênios, greco-ortodoxos, greco-católicos, caldeus, maronitas e de rito latino. Todos são vítimas de violência física e humilhações.

Já na Eritréia, as autoridades ordenaram que a Igreja Católica entregasse ao Ministério de Seguridade Social e Trabalho todas as suas instituições e organizações sociais como colégios, hospitais, orfanatos e centros educativos para mulheres. Além disso, existem aproximadamente duas mil pessoas presas por motivos religiosos, segudo diversas fontes.

O estudo aponta que o país em que a liberdade religiosa é negada de maneira mais formal é a Arábia Saudita. O país se define como um reino islâmico fundamentalista e considera o Corão como sua única Constituição e a Sharia como sua legislação empresarial, o que significa que qualquer pessoa desse país está sujeita às penas bárbaras impostas pelos fanáticos islâmicos.

Os locais onde a Sharia é usada como base para a constituição são especialmente perigosos aos cristãos. Na Nigéria, essa situação pode ser encontrada nos estados mais ao norte do país, onde os cristãos são vítimas constantes de atos de intolerância e violência e não contam com proteção alguma.

A China, país que constantemente figura nos rankings de desrespeito aos direitos humanos, muitas vezes encabeçando as listas, não poderia ficar de fora do relatório. De acordo com a AIN, durante os Jogos Olímpicos, a situação dos católicos da Igreja extra-oficial não mudou em absolutamente nada, com a repressão de sempre e a necessidade dos católicos de se manterem na clandestinidade. Além disso, qualquer um que se manifeste em favor do Tibete ou dos direitos humanos corre risco de morrer.

Para finalizar, no Iraque, mesmo com a queda de Saddam Hussein e com a ocupação americana, a segurança dos cristãos não é garantida, já que eles continuam a ser constantemente perseguidos e tendo suas propriedades tomadas.

A situação dos cristãos mundo afora é desesperadora e o silêncio da ONU, vergonhoso. Para fazer proselitismo vagabundo em prol do aborto e do homossexualismo, eles não se furtam de se manifestar, agora para defender pessoas que são vítimas da mais brutal discriminação e perseguição, eles se calam. Para esses governantes, o sangue cristão não tem valor.

Mas para Cristo, esse sangue vale a Salvação.

Fiquem com Deus,
Fernando.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Ministro judeu ataca Pio XII e acaba contrariando a palavra dos próprios judeus

Saudações queridos leitores!

Mais manifestações inoportunas sobre Pio XII continuam partindo de judeus. A bola da vez agora é Isaac Herzog, ministro da Diáspora, Sociedade e Luta contra o Anti-semitismo israelense e filho do ex-presidente israelense Chaim Herzog. Ele considera "inaceitável" que Pio XII seja beatificado por achar que o Sumo Pontífice se calou diante do Holocausto.

Herzog é só mais um a engrossar o coro dos que dizem besteiras a respeito desse assunto. Ao se mostrar contrário à beatificação de Pio XII, ele não só se lança contra os Católicos mas também contra todos os judeus salvos pelo Papa e contra todos os que hoje estão vivos graças à ação de Pio XII e de todos os Católicos que agiram naquela época.

A fala de Herzog, que diz que "no período do Holocausto, o Vaticano sabia muito bem o que estava acontecendo na Europa" e ainda que "mesmo assim, não há provas de nenhuma medida que o papa tenha tomado e que estivesse à altura da Santa Sé" é um argumento mentiroso, digno de quem não deseja paz, mas sim a simples ruína do outro.

Calúnias contra a Igreja não são novidade. Uma das características da Igreja de Cristo é justamente ser perseguida, mas tenham certeza de que se alguma calúnia fosse emitida contra os judeus, algo que eu também repudio, o mundo todo entraria em polvorosa e em questão de horas veríamos comunicados e notas de repúdio aparecendo das mais diversas associações de judeus mundo afora.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Deus, um amigo imaginário?

Saudações queridos leitores!

O pesquisador americano Pascal Boyler, professor do departamento de Psicologia e Antropologia da Universidade Washington, divulgou uma tese na revista Nature em que argumenta que Deus e a religião são produtos da evolução do cérebro humano. Mas em seu artigo, mais que dizer que Deus é um produto do cérebro humano que em determinado momento da evolução criou uma predisposição à fé religiosa, ele argumenta que os rituais religiosos seriam corportamentos similares aos distúrbios obsessivo-compulsivos.

Tal tese é esdrúxula. Com base nessa tese posso afirmar seguramente que os ateus e agnósticos possuem alguma deficiência cerebral, pois seus cérebros não estão evoluídos a ponto de crer em Deus. O exemplo acima é algo que posso rotular perfeitamente como pseudo-ciência, como a instrumentalização da ciência para a propagação de uma ideologia. Ao fazer tantos malabarismos para tentar justificar seus posicionamentos, o cientista abandona o seu ceticismo e demonstra sua fé inata em sua ciência. É algo que chega a ser paradoxal, um cientista que, para negar a fé dos outros, usa sua própria fé.

E nem a vida em comunidade escapou da teoria de Boyler. Segundo o cientista, uma outra característica do cérebro humano que pode explicar alguns aspectos da religião é a tendência a socializar, a tecer coalizões que vão além das relações de parentesco. Essa inclinação à vida em grupo cria a comunidade religiosa, que cria para si as regras próprias de cada crença. Daqui a pouco a própria vida em sociedade vai ser considerada como fruto de alguma mazela cerebral.

Para esse cientista, evoluídos mesmo são os macacos.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Leonardo Boff é barrado em encontro franciscano. Mas e quem o convidou?

Saudações queridos leitores!

Leonardo "Genésio" Boff, nosso conhecido heresiarca foi convidado para um encontro em Brasília sobre os 800 anos do carisma de São Francisco. Sua participação, que nunca deveria ter sido cogitada, foi cancelada de última hora. A presença do notório comunista foi cortada graças à pressão de Dom João Braz de Aviz, Arcebispo de Brasília e da Nunciatura Apostólica no Brasil.

Alguns dos franciscanos do encontro não gostaram da atitude e atacaram a Igreja por defender, quem diria, a fé da Igreja! Um frei colombiano, Luis Patinho, disse que “é uma discriminação de gente que não pratica o Evangelho. Na Igreja, todos temos o direito de falar”, esquecendo-se de que Leonardo Boff já não faz parte da Igreja há muito tempo e se tem alguém nessa história que não pratica o Evangelho (aquele deixado por Cristo, pelo menos), é Boff e sua turma.

Mais que isso, um grupo de intrépidos franciscanos prometeu entregar uma carta de repúdio à postura da Igreja de defender seus filhos das ciladas diabólicas de Leonardo Boff. A irmã Guiomara Godoi, de Curitiba, reclamou que “ee certo modo, o que ocorreu foi uma censura. Por mais que ele (Leonardo Boff) tenha deixado a Igreja, continua sendo franciscano”. Não sei o que ela entende por ser franciscano, mas que eu saiba, o carisma que São Francisco de Assis nos deixou não menciona nada sobre aderir a heresias e permanecer franciscano.

A presença de Boff, um notório inimigo da Igreja em um evento da própria Igreja é uma afronta. Mas ainda pior é quem, estando dentro da Igreja, teve a infeliz idéia de convidar um herege para espalhar seu veneno entre o rebanho de Cristo. Por essas e outras iniciativas é que a Igreja tem tantos problemas, pois além de ter que lidar com as perseguições de fora, tem que aturar os ataques de quem está em suas próprias linhas.

Uma das coordenadoras do encontro, Irmã Maria Fachini, fez questão de deixar claro que, apesar do mal-estar provocado, a “prensa” em Boff não atrapalhou o andamento dos trabalhos. “Ele (Leonardo Boff) já está acostumando com isso. E o carisma franciscano é maior que essas coisas”, argumentou. No entanto, ela não conseguiu esconder a decepção: “Foi um ato de autoritarismo. São Francisco respeitava as diferenças”.

A fala da Irmã logo acima está recheada de verdadeiras barbaridades. Em primeiro lugar, ela trata o carisma franciscano como se fosse uma ode ao apoio aos erros. "O sujeito pode pregar o fim da Igreja e a instalação de uma ditadura comunista no Brasil, transformando o país em uma versão mais sangrenta de Cuba, mas se for franciscano, tudo bem", deve ser o que essa gente pensa. Não! São Francisco de Assis, se estivesse vivo para ver isso, certamente censuraria e combateria tal disparate, como foram combatidos os chamados "franciscanos espirituais" (pesquisem mais para saber).

Além disso, ela apela para essa baboseira de respeito às diferenças. Respeitar a diferença não quer dizer que eu tenha que tolerar alguém pregando uma ideologia que me é claramente errada em minha casa. Quero ver se em nome do tal respeito às diferenças se essa irmã se dispõe a pregar sobre direitos humanos na Praça da Paz Celestial ou então no centro de Havana. Aposto os pinos do meu ombro como ela levaria um tiro antes de dizer três palavras.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nota da Arquidiocese de São Paulo sobre a reunião entre padres e petistas

Saudações queridos leitores!

Acerca da reunião escandalosa em que padres da Região Episcopal Belém, da Arquidiocese de São Paulo participaram juntamente com nomes da campanha do PT à prefeitura em que foi elaborado um manifesto de apoio à candidatura da pró-sodomia e pró-assassinato de nascituros, Marta Suplicy, Dom Pedro Luiz Stringhini, Bispo Auxiliar de São Paulo publicou a seguinte nota:

* * *

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Informo e esclareço o que segue. No dia 17 de outubro de 2008, às 9:00 h, aconteceu, na Região Episcopal Belém, Arquidiocese de São Paulo, uma reunião, com a participação de cerca de 200 pessoas, dentre as quais 40 padres, sendo 9 padres da Região Episcopal Belém. Dessa reunião, resultou um manifesto de apoio à candidata Marta Suplicy, que disputa a Prefeitura de São Paulo, intitulado “Católicos pela Justiça, em favor dos mais Pobres”.

Dois dias antes, quando eu soube que havia sido marcada uma reunião, para a qual os padres estavam sendo convidados, eu estava reunido com 12 padres. Expressei-lhes minha contrariedade e aconselhei a que os padres da Região não participassem.

Na sexta-feira, enquanto acontecia a reunião (e eu me dirigia a Itaici para a Assembléia das Igrejas do Estado de São Paulo) já começaram a chegar telefonemas e mensagens de católicos e outros protestando contra a presença dos padres e o referido apoio.

Imediatamente, da estrada, telefonei à secretaria da Região, pedindo que avisassem aos 63 párocos da Região que estava proibida a divulgação, nas Igrejas, da referida nota, pelo já tão conhecido motivo de que a participação da Igreja na sociedade existe em vista do bem comum e da justiça, mas não é partidária e, por isso mesmo, jamais se posiciona em favor deste ou daquele candidato/a. Por isso, a Igreja não aprova a participação de padres em apoio a um manifesto de caráter político, partidário, eleitoral. O evangelho, nesse domingo, exortava a “dar a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” (Mt 22,21).

Assim foi feito e, do que pude me informar, hoje, segunda-feira, de fato não ocorreu a divulgação. E o clima nas 250 comunidades da Região Belém é de grande serenidade (cf. At 9,31). O povo ama sua Igreja, participa de sua missão evangelizadora e reconhece o imenso bem que realiza, em nome de Jesus Cristo, na defesa da vida e na solidariedade aos pobres. Peço perdão aos católicos que se sentiram ofendidos e, em nome das comunidades e seus padres, desejo transmitir paz e serenidade através dos mesmos meios de comunicação, que prontamente se empenham na divulgação de incidentes como o acima relatado. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8,32).

Em Cristo Jesus, fraternalmente,

Dom Pedro Luiz Stringhini

Bispo Auxiliar de São Paulo

Região Episcopal Belém

São Paulo, 20 de outubro de 2008.

Ano Santo Paulino

* * *

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Morre irmã Emmanuelle, freira dos pobres do Egito

Saudações queridos leitores!

É com um misto de tristeza e alegria que trago aos leitores do blog a notícia do falecimento da Irmã Emmanuelle, conhecida como a freira dos pobres do Egito. Nascida Madeleine Cinquin em Bruxelas (Bélgica), em 16 de novembro de 1908, ela passou a infância entre a capital belga, Paris e Londres. Membro da Ordem de Notre Dame de Sion, viveu muitos anos na França. Começou a atuar no Egito no início dos anos 70.

No Egito, ela passou quase duas décadas trabalhando com os zabbalim, ou catadores de lixo, que ganham a vida vasculhando os rejeitos da capital egípcia. Lá, ela ajudou a estabelecer uma rede de clínicas, escolas e jardins para as crianças faveladas e uma associação que fundou opera hoje em oito países, do Líbano à Burkina Faso.

Irmã Emmanuelle foi um verdadeiro exemplo da caridade cristã e do exercício do amor incondicional aos mais pobres. Por sua vida, ela já chegou a ser comparada a Madre Teresa de Calcutá. Irmã Emmanuelle encontrou-se definitivamente com Deus em uma casa de repouso na França, enquanto dormia, aos 99 anos, dedicados inteiramento ao amor aos pobres.

O ministro francês de Relações Exteriores e co-fundador do movimento Médicos Sem Fronteiras, Bernard Kouchner, disse que jamais esquecerá "a fé de Irmã Emmanuelle, que movia montanhas".

Fico triste pela falta que Imrã Emmanuelle fará a nós, mas alegre por saber que nesse momento ela já se encontra junto de Deus.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Site israelense coloca suástica sobre foto de Bento XVI

Saudações queridos leitores!

Bento XVI demonstrou intenção de dar continuidade ao processo de canonização de Pio XII. Esse fato, mesmo sendo de interesse apenas da Igreja, desperta sentimentos em muitas outras pessoas mundo afora. Alguns judeus que se opõem à continuidade do processo de canonização, acusando Pio XII de ter feito "vista grossa" à perseguição promovida pelo regime nazista, publicou em um site israelense mantido por simpatizantes do partido governista Kadima uma fotomontagem em que Bento XVI aparece usando um emblema nazista.

A demonstração asquerosa e lamentável de intolerância contra o Papa e os Católicos foi prontamente condenada pela Chanceler Tzipi Livni, que trocou a foto por outra, em que Bento XVI aparece sorridente junto a uma multidão na Praça de São Pedro. Logo antes da troca da imagem, o porta-voz do Kadima, Amir Goldstein declarou que "Tzipi Livni condena isso fortemente, e estamos trabalhando para remover esta foto vergonhosa. Nós nos opomos a isso fortemente. Isso não representa o Kadima".

O portal em questão, o Yalla Kadima, se apresenta como um portal para "ativistas e apoiadores" do partido Kadima. A fotomontagem de Bento XVI com a suástica havia sido publicada junto com um artigo sobre o processo de beatificação de Pio XII.

Tais manifestações só servem para atrapalhar o andamento do processo. Os judeus deveriam ser os maiores interessados em tal processo, pois para que Pio XII venha a ser canonizado, sua vida será completamente investigada. Se há algo que eles consideram nebuloso na atuação de Pio XII, certamente virá a luz durante o processo. Mas para o correto andamento de tal processo, é necessário que não hajam pressões de nenhum dos lados, tanto dos que se opõem quanto aos que apóiam a causa.

Shimon Peres deu uma declaração muito sensata nesse sentido ao um grupo de jornalistas. Segundo ele, "se o ex-papa Pio XII ajudou os judeus, isso pode ser provado, mas se não, também deveria ser provado." Certamente, tudo será provado a seu tempo, desde que não hajam pressões para desvirtuar o processo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Presidente de Israel defende visita de Bento XVI ao país

Saudações queridos leitores!

Não é segredo que Bento XVI deseja visitar a Terra Santa. Infelizmente, tal visita não pode realizar-se no momento devido a uma legenda difamatória colocada junto à foto de Pio XII no Museu do Holocausto, em Jerusalém. A frase em questão acusa Pio XII de ter se calado enquanto milhões de judeus eram conduzidos aos campos de extermínio durante a Segunda Guerra Mundial. Ignorando todas as evidências em contrário que já foram apresentadas desde o fim da guerra, o museu insiste em manter tal legenda.

O presidente israelense, Shimon Peres pediu para que Bento XVI não cancele a visita por causa da legenda da foto. Apesar da intenção clara de ambos os lados, a visita não pode se realizar em tais condições, pois acabaria tornando-se uma atitude de escâncalo por parte de Bento XVI, que daria a impressão de crer no que está escrito acerca de Pio XII.

Apesar do Porta-voz do Vaticano, Padre Frederico Lombardi, S.I. ter declarado que a legenda, mesmo relevante, não é algo que impeça a visita do Papa, a situação acarretaria outros problemas não só para com parcela dos judeus, mas com os próprios Católicos, que discordam veementemente das acusações a Pio XII.

Já o Museu do Holocausto emitiu uma nota em que afirma que "qualquer visita do papa a Israel é um assunto político e, portanto, não é parte da questão (de Pio XII)." A nota emitida pelo museu é, para ficar nas palavras publicáveis, ignóbil. Apesar de ser também um Chefe de Estado, uma visita do Papa a qualquer lugar do mundo jamais é um assunto unicamente político. O Papa não dissocia sua imagem de Chefe de Estado da imagem de líder da Igreja Católica. Onde um vai, o outro vai.

O museu declara em sua nota que a legenda associada a Pio XII não deveria influenciar na decisão da visita do Papa por essa ser um ato político. Então, o que eles consideram que Pio XII foi? Considerar Bento XVI um líder político e fazer consideração diferente de Pio XII não faz sentido. Bento XVI e todos os Católicos têm o direito de protestar contra as mentiras associadas a Pio XII.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 19 de outubro de 2008

Traidores!

Saudações queridos leitores!

Traidores! Traidores! Traidores!

Um ato de traição premeditado. É assim que deve ser encarada a divulgação do manifesto redigido por padres traidores de sua vocação e da Igreja em apoio à candidata abortista e pró-sodomia do PT, Marta Suplicy.

Apesar do manifesto não contar com o apoio da Igreja e os padres não terem autoridade para tal, vemos que esses sacerdotes, que deveriam ser fiéis a suas vocações agiram à revelia da Igreja, apoiando o que justamente há de pior em São Paulo.

Quanto mais próximo o traidor, mais dolorosa é a traição. E é assim que eu me sinto ao ver pastores lançando os lobos contra seu próprio rebanho.

O manifesto, chamado de "Carta aos Cristãos", é vergonhoso. A tal carta tem uma tiragem de 500.000 exemplares e deverá ser distribuída na porta das Igrejas após as Missas nesse domingo. Nessa carta blasfema, vemos os sacerdotes defendendo abertamente, à revelia da Igreja, o voto na candidata petista pró-sodomia homossexual e pró-aborto de inocentes, Marta Suplicy.

Nós, cristãos (padres, religiosos, religiosas, leigas e leigos da Igreja Católica nesta cidade), inseridos na ação de evangelizar por meio das pastorais sociais desenvolvidas nas diversas situações da vida de nossa gente, como foi acima exposto, manifestamos nosso apoio à candidatura de Marta Suplicy à Prefeitura de nosso município.

Essa afirmação, vindo de sacerdotes é vergonhosa. É o inimigo usando de nossos próprios soldados para nos desferir um golpe humilhante. Traidores! Sacerdotes indignos de vestir a batina! Os fiéis que foram confiados a esses sacerdotes indignos são guiados pelo pastor diretamente para os lobos. Que a misericórdia de Deus permita que eles não sejam devorados pelo inimigo que conta com o apoio de quem deveria protegê-los do mal.

Fiquem com Deus,
Fernando.

Evangelho de Domingo - 29° Domingo do Tempo Comum

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários de Santo Antônio.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.

Evangelho (Mt 22, 15-21 (29º Domingo do Tempo Comum))

15Então os Fariseus retiraram-se e deliberaram sobre o modo como O poderiam apanhar em palavras. 16Enviam-Lhe, pois, os próprios discípulos, juntamente com os Herodianos e dizem-Lhe: Mestre, sabemos que és sincero e que ensinas com verdade o caminho de Deus e não Te preocupas com ninguém, pois não fazes acepção de pessoas. 17Dize-nos, pois, o que Te parece: É ou não é lícito pagar o tributo a César? 18Mas Jesus, que lhes conhecia a malícia, respondeu: Porque Me tentais, hipócritas? 19Mostrai-Me a moeda do tributo. E eles apresentaram-Lhe um dinheiro. 20Disse-lhes Ele: De quem são esta efígie e a inscrição? 21De César - responderam eles. Então diz-lhes: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por Santo Antônio (cerca 1195-1231), franciscano, doutor da Igreja.

Sermões para o domingo e a festa de todos os santos

«Levantai sobre nós, Senhor, a luz da Vossa face!» Tal como uma pequena moeda tem a imagem de César, assim a nossa alma é à imagem da Santíssima Trindade, segundo o que nos é dito no salmo: «a luz da tua face está impressa em nós, Senhor» (4, 7LXX)... Senhor, a luz da tua face, quer dizer a luz da tua graça que determina em nós a tua imagem e nos torna semelhantes a ti, está gravada em nós, quer dizer, gravada na nossa razão, que é a maior força da nossa alma e que recebe essa luz como a cera recebe a marca de um selo. A face de Deus é a nossa razão; porque, tal como alguém conhece o seu rosto, assim conhecemos Deus pelo espelho da razão. Mas esta razão foi deformada pelo pecado do homem, porque o pecado torna o homem antagónico a Deus. A graça de Cristo reparou a nossa razão. É por isso que o apóstolo Paulo diz aos Efésios: «renovai espiritualmente a vossa inteligência» (4,23). A luz de que nos fala este salmo é pois a graça, que restaura a imagem de Deus gravada na nossa natureza...

Toda a Trindade marcou o homem à sua semelhança. Pela memória, é semelhante ao Pai; pela inteligência, é semelhante ao Filho; pelo amor é semelhante ao Espírito Santo... Desde a criação, o homem foi feito «à imagem e semelhança de Deus» (Gn 1,26). Imagem no conhecimento da verdade; semelhança no amor à virtude. A luz da face de Deus é pois a graça que nos justifica e que nos revela de novo a imagem criada. Esta luz constitui todo o bem do homem, o seu verdadeiro bem; ela marca-o, como a imagem do imperador marca a moeda.

É por isso que o Senhor acrescenta: «Dai a César o que é de César». Como se dissesse: Tal como dais a César a sua imagem, dai a Deus a vossa alma, ornada e marcada pela luz do seu rosto.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.