sábado, 20 de setembro de 2008

Mensagem vaticana na conclusão do Ramadã

Saudações queridos leitores!

Em virtude da conclusão do Ramadã, o Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso publicou uma mensagem. Reproduzo abaixo a nota de ZENIT com a mensagem.

Mensagem vaticana na conclusão do Ramadã

Enviada pelo Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 19 de setembro de 2008 (ZENIT.org). - Publicamos a mensagem que o Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso enviou aos muçulmanos na conclusão do Ramadã. O tema deste ano é “Cristãos e muçulmanos: juntos para a dignidade da família”.

* * *

Caros Amigos muçulmanos,

1. Ao aproximar-se o fim do mês do Ramadão, é-me grato endereçar-vos, segundo uma tradição já bem arreigada, as cordiais saudações do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso. Durante este mês, cristãos pr&oacut e;ximos de vós partilharam as vossas reflexões e as vossas celebrações familiares; o diálogo e a amizade reforçaram-se. Deus seja louvado!

2. Mas, tal como no passado, este encontro amigável oferece-nos também a oportunidade de reflectir juntos sobre um tema de actualidade susceptível de enriquecer os nossos intercâmbios e de nos ajudar a melhor nos conhecermos, com os nossos valores comuns e as nossas diferenças. Para este ano, pensámos propor-vos o tema da família.

3. Um dos documentos do Concílio ecuménico Vaticano II, Gaudium et Spes, sobre a Igreja no mundo contemporâneo, afirma: «O bem-estar da pessoa e da sociedade humana e cristã encontra-se estreitamente ligado à prosperidade da comunidade conjugal e familiar. Pelo que os cristãos, juntamente com todos os que têm em grande estima esta comunidade, alegram-se sinceramente com o apoio de vária ordem que faz crescer entre os homens a estima por esta comunidade de amor e o respeito pela vida, e que ajuda os esposos e os pais no cumprimento da sua excelsa missão. Daqui esperam ainda melhores resultados e esforçam-se por alcançá-los» (n. 47).

4. Estas palavras recordam-nos oportunamente que o desenvolvimento da pessoa e da sociedade depende em grande parte da prosperidade da comunidade conjugal e familiar! Quantos são os que carregam, por vezes durante toda a vida, o peso das feridas de uma situação familiar difícil ou dramática? Quantos são aqueles e aquelas que sucumbem no abismo da droga ou da violência, tentando preencher, em vão, uma infância atribulada? Cristãos e muçulmanos, podemos e devemos trabalhar conjuntamente na salvaguarda da dignidade da família, hoje e amanhã.

5. Neste âmbi to, tivemos muitas vezes oportunidade de colaborar, quer a nível local quer internacional, tanto mais que cristãos e muçulmanos têm grande estima pela família. A família, lugar onde o amor e a vida, o respeito pelo outro e a hospitalidade se encontram e se transmitem, é verdadeiramente a «célula fundamental da sociedade».

6. Cristãos e muçulmanos, não devem hesitar em empenhar-se, não apenas para ajudar as famílias em dificuldade mas também para colaborar com todos os que se esforçam por promover a estabilidade da instituição familiar e o exercício da responsabilidade parental, particularmente no campo da educação. Não é demais recordar aqui que a família é a primeira escola em que se aprende o respeito pelo outro, na sua identidade e na sua diferença. O diálogo inter-religioso e a ci dadania só têm a beneficiar com isso.

7. Caros Amigos, ao terminar o vosso jejum, purificados e renovados pelas práticas amadas pela vossa religião, oxalá possais ter, com as vossas famílias e com aqueles que vos são queridos, uma vida serena e próspera! Que o Deus Altíssimo vos cumule a todos da sua misericórdia e da sua paz!

Cardenal Jean-Louis Tauran

Presidente

Arcebispo Pier Luigi Celata

Secretário

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Extremistas hindus queimam catedral de Jabalpur

Saudações queridos leitores!

Mais uma vez a Igreja Católica é vítima do extremismo e sofre calada em sua própria carne os males desse modo condenado de manipular a religião. A catedral de São Pedro e São Paulo de Jabalpur foi incendiada, provavelmente por dois extremistas hindus, segundo informou hoje o serviço de imprensa da Conferência Episcopal da Índia (ICNS).

O edifício, de mais de 150 anos de idade ficou seriamente avariado. Os vitrais e o altar-mor foram completamente perdidos. Esse é o terceiro ataque contra os cristãos que acontece neste Estado, após a agressão física ao vigilante noturno da escola conventual do Carmelo, em 31 de agosto passado e a queima de uma igreja em Ratlam. Mas o ataque à Catedral é certamente o mais grave deles, pois os prejuízos foram muito maiores.

"Os cristãos na Índia são tratados como cidadãos de segunda categoria. Eles se sentem desprotegidos. Os sacerdotes, para não comprometer as famílias cristãs, tiveram de refugiar-se nos bosques", afirma o Padre Joaquín Alliende, Assistente Eclesiástico Internacional e Presidente da Associação Católica "Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

O presidente da AIS compôs esta oração para rezar pelos cristãos perseguidos na Índia:

Pai do céu, fazeis brilhar vosso sol
sobre maus e bons.
Vosso filho Jesus morreu por todos
e em sua ressurreição gloriosa
conservou as cinco chagas do tormento.
Com seu poder divino, ele sustenta agora
todos que sofrem perseguição e martírio
por serem fiéis à fé da Igreja.
Pai misericordioso e forte,
impedi que hoje Caim volte a matar
o desvalido Abel, o inocente Abel.
Que os cristãos perseguidos na Índia,
como Maria Mãe, permaneçam
de pé junto à cruz do Cristo Mártir.
Confortai quem é ameaçado pela violência
e estremecido pela insegurança.
Que vosso Espírito Santo de amor
torne fecundo o testemunho e o sangue
de todos que morrem perdoando.

Amém.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Brasileira procura tratamento com céulas-tronco de fetos abortados na China

Saudações queridos leitores!

Uma reportagem da Folha de São Paulo mostra que uma brasileira, chamada Daniela Bortman, que sofreu um acidente de carro em 2006 e ficou tetraplégica recorreu a um tratamento com células-tronco que só existe na China: transplante de células obtidas a partir de fetos abortados.

Não entro no mérito da dor e do sofrimento passado pela brasileira, que teve que se deslocar até a China para poder submeter-se ao tratamento. Mas não posso deixar de sentir a dor desses inocentes assassinados por um mero capricho de suas progenitoras, que os consideravam um estorvo e que tiveram o inglório destino de servir como meras partes para uma experiência macabra, que já nasce condenada.

Ser contra o assassinato de embriões não é ser contra o progresso, mas sim contra a morte. Há outras possibilidades de tratamento e outras alternativas sendo pesquisadas. Preferir justamente a alternativa que leva à morte dos outros revela um total desprezo pela vida.

Será que arriscar um tratamento sem provas compensa o assassinato que permitiu que isso fosse possível?

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus,
Fernando.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Jovens são mortos com 666 facadas em rito satânico

Saudações queridos leitores!

O satanismo é um mal que acomete nosso mundo. Apesar de ser uma prática pouco difundida e muitas vezes pouco séria, fruto de uma espiritualidade precária que leva adolescentes a usá-lo como uma expressão de revolta perante a sociedade, seus frutos são sempre malignos.

Na Rússia, oito jovens foram detidos pela polícia acusados de assassinar quatro adolescentes com 666 facadas e comer partes de sus corpos. Os detidos têm entre 17 e 19 anos e segundo informações preliminares, embriagaram suas vítimas antes de matá-las a punhaladas, assar pedaços de seus corpos em uma fogueira e comer algumas partes. O grupo estava desaparecido desde junho passado.

Os jovens assassinados tinham entre 16 e 17 anos e pertenciam ao movimento gótico. Eles teriam dito a seus familiares que iriam a um festival de música, mas o grupo acabou atraído para uma mata próxima à casa do líder satânico Nikolai Ogolobyak, onde foram mortos.

Que Deus tenha piedade dessas pobres almas desgarradas que se perderam em meio aos perigos desse mundo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Pastores Anglicanos "se casam" na Inglaterra e jogam mais lama nos restos do Anglicanismo

Saudações queridos leitores!

Dois "pastores" da Comunhão Anglicana, homossexuais, participaram de uma cerimônia de união civil em St Albans, na Inglaterra. Esse ato demonstra o caos doutrinário que vive a Comunhão Anglicana em seu fim. A ruína é tamanha que as poucas esperanças de continuidade da denominação cismática criada por Henrique VIII já começam a se esvair. Durante a cerimônia, ambos os pastores estavam paramentados com seus hábitos religiosos.

Sempre sou xingado quando falo que a Comunhão Anglicana acabou e que apenas alguns poucos fiéis ainda não sabem disso. Mas o caos que toma conta dos anglicanos, fruto demoníaco do maldito livre-exame introduzido por Lutero em uma jogada muito astuta de Satanás.

O colapso vivido pelos Anglicanos é só mais um exemplo como tudo o que não vem de Deus está fadado ao fracasso. Vai ser assim com o Anglicanismo e com todo o resto do protestantismo. Esse colapso, causado pela vertente que quis distanciar ainda mais o Anglicanismo da Verdade, acabou por distanciar tanto a doutrina que ela não suportou e ruiu.

Me solidarizo com os pobres anglicanos que, por causa de uma sincera busca pela Verdade, escandalizam-se hoje ao ver o tamanho do erro em que sua denominação incorre. Rezo por suas conversões para que encontrem a Luz da Verdade.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Simpósio em Roma destaca a ajuda de Pio XII aos judeus durante a Segunda Guerra

Saudações queridos leitores!

Pio XII é um dos seres humanos mais injustiçados de nossa história. Ele foi um dos que mais ajudaram a proteger os judeus durante a Segunda Guerra Mundial mas devido a uma série de boatos espalhados mundo afora pelos detratores da Igreja, a sua imagem ficou por muito tempo atrelada ao apelido de "Papa de Hitler".

O mais incrível de tudo é que a ampla maioria da comunidade judaica internacional reconhece Pio XII como um herói. Tanto é que o Sumo Pontífice, de grande memória foi agraciado com o título de Justo Entre as Nações, a maior honraria concedida a um não-judeu.

Pois bem, em Roma está ocorrendo um simpósio sobre Pio XII organizado pela Fundação Pave The Way, que reúne Judeus e Católicos, em que está sendo debatido o papel de Pio XII durante o regime nazista. Para esse simpósio, foi preparada uma compilação com 200 páginas de documentos, recortes de jornais do período e telegramas diplomáticos mostrando que Pio XII se empenhou bastante em proteger os judeus e que recebeu a gratidão de seus líderes, contrariando uma tese difundida por alguns grupos judaicos e outros detratores da Igreja, segundo os quais houve omissão do Vaticano durante o genocídio na Europa.

Entre o material da compilação, há um depoimento de Golda Meir, ex-primeira-ministra de Israel. "Quando o temeroso martírio se abateu sobre nosso povo na década do terror nazista, a voz do papa se ergueu pelas vítimas".

Bento XVI, uma das vítimas do regime nazista, participando do simpósio disse que "graças à vasta quantidade de material documentado que vocês reuniram [a Fundação Pave The Way], apoiados por muitos testemunhos avalizados, o seu simpósio oferece ao fórum público a possibilidade de saber mais plenamente o que Pio XII conseguiu para os judeus perseguidos pelos regimes nazi-fascistas".

Gary Krupp, um judeu norte-americano que fundou e preside a Fundação Pave the Way, disse ao papa que a investigação do grupo "contradiz diretamente a percepção negativa das atividades do papa em tempo de guerra".

Bento XVI ainda lembrou que em novembro de 1945, cerca de seis meses após o fim da guerra, oitenta representantes de sobreviventes de campos de concentração foram a Roma agradecer Pio XII por seu empenho.

No próximo dia 9 de outubro completar-se-ão 50 anos da morte de Pio XII. A data será lembrada pelo Vaticano com uma Conferência e uma exposição de fotos.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Venezuela e o totalitarismo no Século XXI

Saudações queridos leitores!

Os proto-ditadores continuam mostrando suas garras na América Latina. Um dos queridinhos das esquerdas por aqui, Hugo Chávez, expulsou ninguém menos que o diretor da Human Rights Watch e seu assistente, uma das mais respeitadas organizações de direitos humanos no mundo.

A causa? A divulgação de um relatório da organização que critica as instituições do governo venezuelano. Na verdade, o documento elenca uma série de atos ielgais cometidos por Chávez e seus asseclas nesses anos de governo, entre os principais, "o controle" do governo sobre o poder judiciário, "discriminação política aos opositores", "limitações à liberdade de expressão e ao sindicalismo".

Essas violações todas não são fruto de uma subversão do sistema socialista, mas estão em sua raiz. Não existe regime socialista no mundo que não tenha que apelar para tais expedientes para se manter no poder, com um viés cada vez mais totalitarista com o passar dos anos. É assim em Cuba, na China, na Coréia do Norte, foi assim na Rússia e em todas as outras repúblicas que estiveram nas mãos dos socialistas/comunistas passaram por problemas semelhantes.

Aproveito para reforçar a condenação da Igreja com relação ao socialismo e ao comunismo:

“A doutrina comunista que em nossos dias se apregoa, de modo muito mais acentuado que outros sistemas semelhantes do passado, apresenta-se sob a máscara de redenção dos humildes. E um pseudo-ideal de justiça, de igualdade e de fraternidade universal no trabalho de tal modo impregna toda a sua doutrina e toda a sua atividade dum misticismo hipócrita, que as multidões seduzidas por promessas falazes e como que estimuladas por um contágio violentíssimo lhes comunica um ardor e entusiasmo irreprimível, o que é muito mais fácil em nossos dias, em que a pouco eqüitativa repartição dos bens deste mundo dá como conseqüência a miséria anormal de muitos. [...] Ora, a doutrina que os comunistas em nossos dias espalham, proposta muitas vezes sob aparências capciosas e sedutoras, funda-se de fato nos princípios do materialismo chamado dialético e histórico, ensinado por Karl Marx, de que os teóricos do bolchevismo se gloriam de possuir a única interpretação genuína. Essa doutrina proclama que não há mais que uma só realidade universal, a matéria, formada por forças cegas e ocultas, que, através da sua evolução natural, se vai transformando em planta, em animal, em homem. [...] É, pois, evidente que neste sistema não há lugar sequer para a idéia de Deus; é evidente que entre espírito e matéria, entre alma e corpo não há diferença alguma; que a alma não sobrevive depois da morte, nem há outra vida depois desta. [...] Aqui tendes, Veneráveis Irmãos, diante dos olhos do espírito, a doutrina que os comunistas bolchevistas e ateus pregam à humanidade como novo evangelho, e mensagem salvadora de redenção! Sistema cheio de erros e sofismas, igualmente oposto à revelação divina e à razão humana; sistema que, por destruir os fundamentos da sociedade, subverte a ordem social, que não reconhece a verdadeira origem, natureza e fim do Estado; que rejeita enfim e nega os direitos, a dignidade e a liberdade da pessoa humana” (Sua Santidade, o Papa Pio XI. Encíclica Divini Redemptoris, nn.8-9.14).

"A Igreja tem rejeitado as ideologias totalitárias e atéias associadas, nos tempos modernos, ao "comunismo" ou ao "socialismo". Além disso, na prática do "capitalismo", ela recusou o individualismo e o primado absoluto da lei do mercado sobre o trabalho humano." (Catecismo da Igreja Católica, 2425)

"Não ajudar o socialismo - Tomai ademais sumo cuidado para que os filhos da Igreja Católica não dêem seu nome nem façam favor nenhum a essa detestável seita" (Sua Santidade, o Papa Leão XIII. Encíclica Quod Apostolici Muneris, de 1878, 34).

E sobre a Teologia da Libertação, a criação pseudo-cristã que infecta a Igreja, já se falou também:

"A libertação é antes de tudo e principalmente libertação da escravidão radical do pecado. Seu objetivo e seu termo é a liberdade dos filhos de Deus, que é dom da graça. Ela exige, por uma conseqüência lógica, a libertação de muitas outras escravidões, de ordem cultural, econômica, social e política, que, em última análise, derivam todas do pecado e constituem outros tantos obstáculos que impedem os homens de viver segundo a própria dignidade." (Libertatis Nuntius).

E, como não poderia deixar de ser, cito o Papa Bento XVI:

“O cristão não pode ser, de forma alguma, insensível à miséria dos povos do Terceiro Mundo. Todavia, para acudir cristãmente a tal situação, não lhe é necessário adotar um sistema de pensamento que é anticristão como a Teologia da Libertação; existe a doutrina social da Igreja, desenvolvida pelos Papas desde Leão XIII até João Paulo II de maneira cada vez mais incisiva e penetrante. Se fosse posta em prática, eliminaria graves males de que sofrem os homens, sem disseminar o ódio e a luta de classes.”

Recusar o devido assentimento a estas indicações é afastar-se decididamente da Verdade cristã sobre o Homem, sobre a Igreja e sobre Deus.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Lula defende "casamento gay". E ainda há quem ache ele católico

Saudações queridos leitores!

O Apedeuta-mor, Sapo Barbudo que está à frente do Brasil, nos conduzindo diretamente ao buraco moral defendeu o "direito" da união de homossexuais em uma entrevista à TV Brasil, aquela estrovenga populista que consome rios de dinheiro e que ninguém vê. "Eu a vida inteira defendi o direito à união civil. Acho que nós temos de parar com hipocrisia, porque a gente sabe que existe. Tem homem morando com homem, mulher morando com mulher e muitas vezes vivem bem, de forma extraordinária", disse ele na entrevista.

Lula é um achado. É o cúmulo do populismo chulo, que inspira proto-ditaduras América Latina afora. Enquanto o Papa visitava o Brasil, ele fazia pose de mais devoto dos Católicos. Quando tem que falar em favor da causa gay, mesmo que isso entre em contradição com sua posição anterior, o faz sem o menor embaraço. É isso, Lula transita pelos extremos da contradição sem nenhuma vergonha na cara.

Cadê a chamada "esquerda católica" pra cantar as glórias da eleição (e reeleição) do Apedeuta Sapo Barbudo? Onde estão os que se dizem católicos, mas que defendem partidos socialistas e com propósitos claramente pró-morte?

É, nessa hora eles pegam suas bandeirinhas do PT e do MST e fingem que eu não falo com eles!

Vergonhoso!

Com informações do Terra.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

A islamização da Europa

Saudações queridos leitores!

A Europa passa por um período pós-cristão. Enquanto a cultura cristã, um dos pilares da Europa vem sendo minada e renegada, vai-se abrindo um vácuo cultural que vem sendo preenchido pelo Islã. Em nome de uma falsa tolerância e de uma convivência pacífica, a conquista da Europa, tentada pelos povos ilsâmicos durante a Idade Média, mas detida com sucesso pelo cristianismo, vem ocorrendo de forma cada vez mais contundente através de uma revolução cultural.

Um dos aspectos mais marcantes relacionados a isso são os problemas gerados pela construção de mesquitas em solo europeu. A Alemanha é um exemplo claro disso. O exemplo de Colônia é o mais conhecido. Após dois anos de controvérsias, a municipalidade deu finalmente o sinal verde, na quinta-feira, 28 de agosto, para a construção de uma mesquita no bairro de Ehrenfeld. Quer isso tenha sido fruto do acaso ou deliberado, esta decisão foi tomada alguns dias antes do começo do período do ramadan, em 1º de setembro. As obras deverão ser iniciadas no começo de 2009, enquanto a sua conclusão está planejada para o final de 2010. Em função das suas dimensões - dois minaretes se erguerão rumo ao céu a 55 metros de altura (contra 157 metros para a catedral) -, a mesquita de Colônia suplantará então a de Duisburg.

Como podem ver, há uma subversão da liberdade, que está sendo usada para suplantar a cultura cristã. Muitos me acusam de islamofobia ao manter essa posição. Negativo. Apesar de não dever justificativas a ninguém, deixo claro que meu posicionamento é simplesmente o de alguém coerente. Todos devem ser tratados com igual dignidade e liberdade. E assim deve ser com cristãos e muçulmanos. Eles subvertem a liberdade encontrada aqui erguendo as mesquitas, criando sociedades paralelas, onde as liberdades são minadas e jamais conceberiam que construíssemos Catedrais no Oriente Médio. Sou favorável a um tratamento recíproco para os muçulmanos: que eles permitam a cristandade a erguer uma catedral em solo muçulmano para cada mesquita que se levantar em terras cristãs. Que eles dêem a mesma liberdade de culto aos cristãos que os muçulmanos têm em terras cristãs.

Mas isso não vai acontecer. Não vai acontecer porque o Islã não consegue conviver com a liberdade. A Fé do Profeta só sobreviveu até hoje graças à imposição pela espada. Mas como hoje a espada não pode ser usada para destruir o cristianismo, a nova tática é a revolução cultural.

Deus queira que os europeus acordem antes que os véus lhe sejam impostos.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Ao contrário da população, juízes e promotores querem liberar o aborto

Saudações queridos leitores!

Como eu já disse, esse julgamento no STF é um jogo de cartas marcadas. Em duas pesquisas realizadas no Brasil, foi constatado que 78% dos juízes e promotores entrevistados são favoráveis à ampliação do assassinato de bebês, sejam anencéfalos, sejam portadores de pé-chato, sejam normais!

De todos os pesquisados, 61,2% são favoráveis a um maior número de possibilidades de aborto, enquanto 16,8% (um número altíssimo) são favoráveis à liberação completa do aborto!

Esse é um dado extremamente preocupante, pois revela o quão encalacrada em certos meios está essa maldita cultura da morte. Os números são muito discrepantes dos anseios da sociedade. Enquanto diversas pesquisas feitas com a população em geral apontam uma grande rejeição ao aborto, essa pesquisa, feita em um setor específico da sociedade, justamente o que tem poder para mudar isso, demonstra que os juízes e promotores não possuem as mesmas convicções que o povo. Sendo assim, enquanto defendem o assassinato de inocentes, não estão representando a ampla maioria do povo, mas sim uma minoria, um verdadeiro lobby que visa promover o assassinato indiscriminado de inocentes.

De acordo com um dos entrevistados em um reportagem da Folha (íntegra aqui), o juiz José Henrique Torres, um dos autores da pesquisa que foi feita com juízes, há poucos casos de abertura de inquéritos para apurar casos de aborto por má-formação fetal. "Sou a favor da descriminalização em qualquer hipótese, mas enquanto isso não acontece que sejam pelo menos descriminalizados os casos de má-formação fetal."

Vejam que ele já fala como se a permissão indiscriminada para o assassinato de inocentes fosse algo a ser aprovado em um futuro não muito distante. Percebam o jogo de cartas marcadas!

E pensar que o nosso futuro e o futuro de tantos inocentes estão nas mãos de pessoas com essa linha de pensamento!

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus,
Fernando.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

A batalha pela vida - Conseqüências da cultura da morte

Saudações queridos leitores!

Na última audiência convocada pelo STF para ouvir os diversos setores da sociedade com relação ao assassinato de anencéfalos, presenciamos um espetáculo macabro promovido pelas pessoas que supostamente são especialistas em vida.

As manifestações não diferiram muito do que era previsto. Mas um detalhe me chamou a atenção. Eleonora Menecucci citou o caso de uma jovem peruana que, diante da negativa do Estado em concedê-la o direito de abortar um feto anencéfalo, recorreu à Organização das Nações Unidas em 2005. A resposta do Comitê de Direitos Humanos foi no sentido de reconhecer o direito de opção da mãe. "O Comitê considerou que a impossibilidade de interromper gerou sofrimento excessivo à jovem", informou. Em 1996, o comitê já havia considerado como "desumana" a tipificação do aborto de anencéfalos como crime.

Já está mais do que na hora de alguém colocar a ONU em seu lugar. Essa história dessa ONG gigante ficar se metendo em assuntos estritamente internos e pressionando, literalmente os países para que aprovem a maldita cultura da morte pregada por esse organismo já passou todos os limites que podem ser considerados razoáveis. É lamentável que uma oraganização desse porte, que foi fundada com um propósito tão nobre acabe servindo de mero instrumento de proselitismo, obrigando os países a aprovar iniciativas contrárias à vida e até mesmo contrárias aos desejos da população simplesmente para entrar nesse "clube do bolinha" que se tornou a ONU.

E ainda quando se manifesta, a ONU consegue ser incrivelmente contraditória. Enquanto para essa organização, que mais me lembra uma ONG gigante, o sofrimento da mãe pela gestação de um anencéfalo é algo considerado desumano, a mesma organização considera perfeitamente humano, civilizado, "progressista", que se mate não só anencéfalos, mas qualquer bebê no ventre de suas mães, serja por alguma suposta necessidade médica, seja por mero capricho.

Essa postura da ONU está custando caro aos países que aderiram. A Europa vive um declínio populacional sem precedentes e o Oriente Médio está se aproveitando dessa situação para promover uma islamização nas terras qur foram berço do cristianismo, a cultura que nos deu o modo de vida do qual desfrutamos hoje. Cidades inteiras estão sendo abandonadas por falta de população, os sistemas previdenciários estão quebrando e as perspectivas futuras não são boas.

Tudo obra da cultura da morte.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus,
Fernando.

A Igreja nunca condenou a teoria de Darwin

Saudações queridos leitores!

Como não poderia deixar de ser, já tem gente apontando para a Igreja Católica e cobrando "desculpas" pelo fato de ela não ter aplaudido a Teoria de Evolução das Espécies de Charles Darwin. Se eles esperam que alguém se manifeste pedindo desculpas por qualquer coisa, podem tirar o cavalinho da chuva. Não há nada com o que se desculpar, pois a teoria de Darwin nunca foi condenada pela Igreja e nem mesmo seu livro A Origem das Espécies foi colocado do Index Librorum Prohibitorum.

Desde o anúncio da Teoria de Evolução das Espécies, a Igreja jamais emitiu qualquer condenação ao evolucionismo. Pio XII se manifestou com relação a isso na Encíclica Humani Generis, lá em 1950.

"o magistério da Igreja não proíbe que nas investigações e disputas entre homens doutos de ambos os campos se trate da doutrina do evolucionismo, que busca a origem do corpo humano em matéria viva preexistente (pois a fé nos obriga a reter que as almas são diretamente criadas por Deus), segundo o estágio atual das ciências humanas e da sagrada teologia, de modo que as razões de uma e outra opinião, isto é, dos que defendem ou impugnam tal doutrina, sejam ponderadas e julgadas com a devida gravidade, moderação e comedimento".

Como vemos, não existe condenação alguma, mas sim um pedido de ponderação no estudo e no assertimento dado a cada opinião, para se tomar o cuidado de não assumir um radicalismo que pode levar à negação da Doutrina Católica.

Gianfrancesco Ravasi, Ministro da Cultura do Vaticano se manifestou contra o a visão que muitos têm de que a história é como um Tribunal. "Talvez devêssemos abandonar a idéia de emitir pedidos de desculpas como se a história fosse um tribunal que está eternamente em sessão", disse, acrescentando que as teorias de Darwin "nunca foram condenadas pela Igreja Católica e nem seu livro havia sido banido".

Como vemos, as pessoas não conseguem perder uma oportunidade de tentar denegrir a Igreja.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Atriz pode ser processada por blasfemar contra o Papa

Saudações queridos leitores!

Existe na Itália uma Lei que iguala a dignidade do Papa à dignidade do Presidente da República. Todas as punições previstas para quem desacata o Presidente são previstas para quem o faz contra o Papa.

Pois bem, uma comediante italiana está sendo processada por blasfemar contra o Santo Padre, o Papa Bento XVI durante um discurso em um comício em Roma. "Graças à lei Moratti (ex-ministra da educação, Letizia Moratti), daqui a 20 anos os professores serão escolhidos pelo Vaticano. Mas daqui a 20 anos, Ratzinger vai estar onde deveria estar, no inferno, atormentado por dois diabos homossexuais superativos e não passivos", blasfemou Sabina Guzzanti.

O processo contra a comediante foi pedido por Giovani Ferrara, procurador do Tribunal de Roma, que alega ao Ministério da Justiça que a comediante ofendeu o Santo Padre com palavras vulgares que ultrapassam o limite da sátira.

Para variar, qualquer pessoa pode se defender de uma ofensa, mas quando o ofendido é o Papa, o mero exercício de uma Lei em vigor serve para que críticos acusem a sociedade italiana de estar na era medieval, conforme fez Paolo Guzzanti, pai da comediante e deputado conservador do Partido da Liberdade, de Berlusconi.

Para o ex-magistrado Antonio Di Pietro, Sabina Guzzanti não ofendeu ninguém, apenas "exerceu o direito de manifestar livremente seu pensamento". Como se tal direito fosse absoluto e desse margem para que a comediante se referisse com palavras de baixo calão a uma figura importante na Itália como o Papa. Queria ver se alguém se referisse ao ex-magistrado com os mesmos termos em um evento público se ele defenderia a liberdade do ofensor.

E como nem mesmo um prêmio Nobel está livre de dizer bobagens, Dario Fo, ator e autor teatral, usar uma norma do Pacto Lateranense (a Lei que iguala a dignidade do Papa com a dignidade presidencial), "uma lei fascista, é andar para trás no tempo". Ainda de acordo com Fo, "Seria preciso, então, condenar até Dante, o maior poeta italiano", pois "ele também mandou um Papa (Bonifácio VIII) ao inferno, dizendo que ele iria para um buraco no meio de um grande fogo", disse ele em entrevista ao jornal La Reppublica.

E a análise da situação em que Dante condena Bonifácio VIII passa longe da lógica e da sensatez, né?

E mais uma vez temos uma demosntração descarada de como os supostos tolerantes, liberais, tratam com desdém a Igreja e a discriminam em nome de uma suposta igualdade que só vale para os que pensam igual a eles.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

STF realiza última audiência (de cartas marcadas) sobre aborto de anencéfalos

Saudações queridos leitores!

Nessa quarta-feira acontecerá a última audiência pública convocada pelo STF para debater o assassinato de anencéfalos. Entre as pessoas que serão ouvidas, está Nilcéia Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, que defenderá o "direito" da mulher de terminar com uma vida que está em seu ventre.

De acordo com a Ministra, impedir o assassinato de um inocente é um ato de violência, enquanto permitir a morte de um anencéfalo deve ser considerado um progresso. Essa mentalidade bárbara me dá asco!

Defendendo a morte também esrará a socióloga (tinha que ser!) e professora do Departamento de Medicina Preventiva da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Eleonora Menecucci de Oliveira, que representará o Conectas Direitos Humanos e Centro de Direitos Humanos (CDH). Para ela, um feto deficiente não tem dignidade, pois seu assassinato é uma questão de preservação da dignidade da mulher. Como se o nascituro, por ser menos perfeito, seja menos humano.

Também será ouvido o psiquiatra Talvane Marins de Moraes, representando a Associação Brasileira de Psiquiatria, de quem não tenho nenhuma pista da opinião.

Acompanhando a reportagem do Estadão, vejo a tamanha má vontade dos representantes da Justiça e até mesmo de quem redigiu a reportagem. Ao citar a Doutora Elizabeth Kipman Cerqueira, que é favorável à vida, a referência é a seguinte:

"Os que são contrários ao aborto nesses casos defendem que o direito à vida é inviolável. A posição contrária, levantando argumentos religiosos, deverá ser defendida pela médica Elizabeth Kipman Cerqueira, da Santa Casa de São Paulo e do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis."

É uma tática deles. Eles batem no peito bradando a laicidade do Estado e acusam qualquer argumento contrário a seus anseios de ser religioso. Assim tentam desmoralizar os interlocutores, ignorando os pronunciamentos, por mais científicos que sejam, rotulando-os de religiosos e usando a laicidade do Estado de forma deturpada para calar as vozes contrárias. É uma verdadeira máquina de desmoralizar oponentes.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus,
Fernando.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Darwin e os Anglicanos

Saudações queridos leitores!

150 anos atrás Charles Darwin lançou o livro A Origem das Espécies. A publicação sacudiu muitos religiosos e alguns deles se prontificaram a condenar a teoria evolucionista sem ter uma melhor compreensão da mesma.

Agora, um clérigo do que sobrou da Comunhão Anglicana escreve nessa segunda-feira que a Comunhão Anglicana (ou o que restou dela) deve um pedido de desculpas a Darwin, por ter recebido a teoria evolucionista com hostilidade quando foi apresentada.

Segundo o reverendo Malcolm Brown, a Igreja da Inglaterra (anglicanos) deveria dizer que lamenta não ter entendido as descobertas do naturalista na época e "por reagir de forma errada no início, ter encorajado outros a interpretar (Darwin) errado também".

Essa pataquada toda, apesar de ser apoiada pela hierarquia anglicana, não é um pedido de desculpas oficial.

Mas até mesmo um descendente de Darwin, seu tataraneto, Andrew Darwin está achando que isso é um pedido de desculpas oficial. Em declaração ao jornal Daily Mail, ele disse que "auando as desculpas chegam 200 anos depois, é menos para corrigir um erro e mais para fazer com que a pessoa ou organização que pede as desculpas se sinta melhor".

Tudo bem, Andrew, mas guarde esse discurso para quando as desculpas realmente chegarem.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 14 de setembro de 2008

Igreja não pode reconhecer divórcios e novas uniões

Saudações queridos leitores!

Periodicamente, alguns grupos clamam por certas mudanças na Igreja que simplesmente não ocorrerão. Seja a ordenação de mulheres, seja o reconhecimento e aceitação do divórcio.

Em Lourdes, o Papa Bento XVI falou, mais uma vez, que a Igreja não pode reconhecer as uniões irregulares de católicos que se divorciam e contraem novas núpcias fora da Igreja. No discurso proferido no Santuário de Lourdes, Bento XVI disse que "as iniciativas com o objetivo de abençoar uniões irregulares não podem ser admitidas".

A Igreja exerce um trabalho pastoral um tanto delicado com pessoas que se divorciam e se casam novamente mas querem ainda assim permanecer em plena comunhão com a Igreja. Tais almas merecem uma acolhida generosa, pois o impedimento à recepção da Sagrada Eucaristia é um entrave que machuca muito. Quem se casa novamente fora da Igreja e deseja estar em comunhão plena deve abrir mão do relacionamento sexual com o novo parceiro.

Apesar da clareza da Doutrina, há muitas pessoas, inclusive bispos, que clamam por uma flexibilização que simplesmente não pode ocorrer, pois diz respeito diretamente à Doutrina deixada por Cristo. Há de se entender que qualquer concessão feita nesse campo é na verdade uma desobediência à Palavra de Deus, transmitida por Cristo e presente integralmente apenas na Igreja Católica.

A Igreja tem espaço para todos, sem exceção. Na Igreja, todos devem se sentir em casa. Com esse pensamento, devemos acolher a todos os que vêem em busca de Deus.

Com informações da Reuters.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Evangelho de Domingo - Exaltação da Santa Cruz

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, Festa da Exaltação da Santa Cruz e aniversário do Motu Proprio Summorum Pontificum, com comentários de Santo Éfrem.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João.

Evangelho (Jo 3, 13-17 (Exaltação da Santa Cruz))

Cristo na Cruz, do escultor Pasquale Sciancalepore

13Ninguém subiu ao Céu, a não ser Aquele que do Céu desceu, o Filho do homem. 14Do mesmo modo que Moisés elevou a serpente no deserto, assim tem de ser elevado o Filho do homem, 15para que todo aquele que acredita tenha, por Ele, a vida eterna.
16De facto, Deus amou de tal maneira o mundo que deu o Seu Filho único, para que todo o que n'Ele acredita não pereça, mas tenha a vida eterna. 17É que Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para o mundo ser salvo por Seu intermédio.

Palavra da Salvação.

Comentário do Evangelho feito por Santo Efrém (c.306-373), diácono na Síria, doutor da Igreja.

Homilia atribuída a Santo Efrém

«Quando for erguido da terra, atrairei todos a Mim» (Jo 12,32) De ora em diante, pela cruz, as sombras estão dissipadas e a verdade eleva-se, como diz o apóstolo João: «Porque as primeiras coisas passaram [...] Eu renovo todas as coisas» (Ap 21,4-5). A morte é espoliada, o inferno liberta os cativos, o homem está livre, o Senhor reina, a criação está em alegria. A cruz triunfa e todas as nações, tribos, línguas e povos (Ap 7,9), vêm para O adorar. Com o beato Paulo, que exclama : «Quanto a mim, porém, de nada quero me gloriar, a não ser na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo» (Ga 6,14), encontramos nela a nossa alegria. A cruz traz a luz a todo o universo, ela afasta as trevas e reúne as nações do Ocidente, do Oriente, do Norte e do mar numa só Igreja, numa única fé, num só baptismo na caridade. Fixada no Calvário, ela dirige-se ao centro do mundo.

Armados com a cruz, os apóstolos vão pregar e reunir na sua adoração o universo inteiro, espezinhando todas as forças hostis. Por ela, os mártires confessaram a sua fé com audácia e não temeram os ardis dos tiranos. Carregando-a, os monges fizeram da solidão a própria morada, numa imensa alegria.

Na hora em que Jesus regressar, aparecerá primeiro no céu esta cruz, ceptro precioso, vivo, verdadeiro e santo do Grande Rei: «Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem» (Mt 24,30). Vê-la-emos, escoltada pelos anjos, a iluminar a Terra, de uma a outra ponta do Universo, mais clara que o sol, a anunciar o Dia do Senhor.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.