sábado, 5 de julho de 2008

Carta do Prelado (julho de 2008)

Saudações queridos leitores!

Todos os meses publico a carta enviada pelo Prelado do Opus Dei, Dom Javier Echevarría. É uma grande fonte de meditação e conhecimento, além de mostrar ao mundo muito do carisma da Obra.

Carta do Prelado (julho 2008)

"Senhor, que queres que eu faça?". O Prelado recolhe esta pergunta dos escritos de São Paulo e convida-nos a fazê-la pessoalmente em nossa oração, colocando-nos sempre à disposição de Deus.

05 de julho de 2008

Caríssimos: que Jesus guarde as minhas filhas e os meus filhos!

Ao escrever-vos estas linhas, vem impetuosamente ao meu coração a necessidade de dar graças a Deus pelos benefícios que nos concede. Uma vez mais, no dia 26 de junho, vimos como se difunde a devoção a São Josemaria pelo mundo inteiro. Em muitas dezenas de países se comemorou o nosso Padre na sua festa, e são inúmeras as cidades em que se celebrou nesse dia a Santa Missa em sua honra. Deste modo, o espírito do Opus Dei chegou a mais pessoas, a novos ambientes, ajudando os cristãos a encontrar e amar a Deus nas situações habituais da sua existência.

Além disso, precisamente nessa data, recebemos uma carícia especial do Senhor: a conclusão do processo de instrução da Causa de canonização do queridíssimo D. Álvaro, no Tribunal do Vicariato de Roma. Quando se encerrarem dentro de poucas semanas as sessões do Tribunal da Prelazia, apresentar-se-ão os correspondentes documentos à Congregação para as Causas dos Santos. Depois, após o reconhecimento da validade dos processos, começará uma nova etapa: a redação da positio sobre a vida e virtudes heróicas do primeiro sucessor do nosso Padre. Peço-vos desde agora que rezemos com insistência pela feliz conclusão desses trabalhos: servir-nos-á de ajuda para seguirmos fielmente e muito de perto São Josemaria, como sempre fez D. Álvaro.

No dia 28, véspera da solenidade de São Pedro e São Paulo, Bento XVI inaugurou o ano paulino, que tinha convocado para comemorar os dois mil anos do nascimento do Apóstolo. Secundando os desejos do Romano Pontífice, empenhar-nos-emos em conhecer melhor a sua vida e a sua doutrina, e em seguir o seu exemplo. Pude presenciar a imensa alegria com que o nosso Padre contemplava o espírito de conversão contínua de Paulo, no propósito de procurar Cristo pessoalmente.

São João Crisóstomo, grande admirador e devoto do Apóstolo, fazia um panegírico dessa grande figura, que pode ajudar-nos muito. Dizia esse Padre e Doutor da Igreja que “não se enganaria quem chamasse à alma de Paulo prado de virtudes e paraíso espiritual, pois nela florescia a graça e, ao mesmo tempo, nela se manifestava a sabedoria de uma alma digna da graça. Com efeito, desde que se converteu em instrumento de eleição e se purificou convenientemente, sobre ele se derramou copiosamente o dom do Espírito Santo. Dali nasceram para nós uns rios maravilhosos; não apenas quatro, como eram os mananciais do paraíso (cfr. Gen 2, 10-14), mas muitos mais. Esses rios fluem cada dia, mas não regam a terra e sim as almas dos homens, incitando-os a produzir como fruto a virtude” (1).

Hoje, convido-vos a considerar a resposta de Saulo à sua vocação. Era um judeu zeloso, fiel obervante da Lei de Moisés. Ele próprio nos recorda que era por esse motivo que perseguia com sanha a Igreja de Deus e a combatia; avantajava-me no judaísmo a muitos contemporâneos da minha raça, por ser extremamente zeloso das tradições de meus pais (2). E apareceu-lhe o Senhor ressuscitado que, chamando-o pelo nome, lhe revelou o seu desígnio: fazer dele um vaso de eleição − como o próprio Senhor manifestou a Ananias − para levar o seu Nome aos gentios (4). Tens pensado com freqüência que Jesus Cristo também nos procurou a cada um de nós, mais ainda, que nos procura todos os dias, pedindo-nos uma conversão sincera rumo à santidade?

Enquanto São Lucas conta o episódio com abundância de pormenores − comenta o Santo Padre −, ele, nas suas Cartas, vai ao essencial e não fala somente de uma visão (cfr 1 Cor 9, 1), mas também de uma iluminação (cfr. 2 Cor 4, 6) e sobretudo de uma revelação e uma vocação [...]. De fato, definir-se-á explicitamente como “apóstolo por vocação”(cfr. Rom 1, 1; 1 Cor 1, 1) ou “apóstolo por vontade de Deus”(cfr. 2 Cor 1, 1; Efes 1, 1; Col 1, 1), como que para sublinhar que a sua conversão não foi resultado de pensamentos ou reflexões, mas fruto de uma intervenção divina, de uma graça divina imprevisível (5).

Agradeçamos com freqüência a nossa vocação cristã e o modo concreto de a vivermos de acordo com o espírito do Opus Dei. Não manifestemos, porém, essa gratidão apenas com palavras, mas também com as obras. Para isso, servir-nos-ão de muita ajuda a leitura e a meditação diária do Evangelho, em cujas páginas Jesus Cristo continua a interpelar de modo pessoal as mulheres e os homens, como fazia com as pessoas na sua passagem pela terra.

Ao abrires o Santo Evangelho − escreveu São Josemaria − [...], não só deves saber, mas viver o que ali se narra [...]. Tudo, cada ponto que se relata, foi registrado, detalhe por detalhe, para que o encarnes nas circunstâncias concretas da tua existência.

− O Senhor chamou-nos, a nós, católicos, para que o seguíssemos de perto; e, nesse Texto Santo, encontras a Vida de Jesus; mas, além disso, deves encontrar a tua própria vida.

Aprenderás a perguntar tu também, como o Apóstolo, cheio de amor: “Senhor, que queres que eu faça?...” − A Vontade de Deus!, ouvirás na tua alma de modo terminante.

Pois bem, pega no Evangelho diariamente, e lê-o e vive-o como norma concreta. − Assim procederam os santos (6).

Antes de prosseguirmos, como é que amas, como é que aprendes da leitura do Evangelho? Vem-te à cabeça o pensamento de que foi para ti que o Senhor quis essas palavras? Recomendas aos outros essa maneira de conhecer Jesus Cristo e de relacionar-se com Ele?

A Vontade de Deus manifesta-se de modos muito diversos a cada pessoa. Além das inspirações que suscita diretamente nas almas, o Senhor dá-se a conhecer por meio das celebrações litúrgicas, da assistência a uma pregação, da direção espiritual, das circunstâncias normais da vida de cada um. O bom exemplo de outras pessoas, os deveres do próprio estado, o cumprimento das obrigações familiares, sociais e profissionais, são também campo em que Deus nos fala cada dia, dando-nos a conhecer a sua Vontade. Convence-te de que, pela tua condição de cristão, pela tua situação de mulher ou de homem do Opus Dei, o Mestre te repete que és luz acesa para iluminar (7).

Certa vez, perguntaram a São Josemaria: como saber o que Deus pede a cada um? Esta foi a sua resposta: Por que não o perguntas a Ele? Não é esquivar-me à tua pergunta; digo-te que te responderá. E acrescentava logo a seguir: Tu, que tens vida interior, podes em qualquer momento pôr-te na presença de Deus: numa igreja, na rua, no teu quarto, na sala de aula... Onde quiseres! Pede-lhe perdão pelas tuas fraquezas e pelas minhas, e depois dize-lhe: Senhor, queres que eu faça?, como lhe dizia São Paulo. E previno-te que às vezes o Senhor pede coisas que custam... (8).

Como é natural, é preciso que cultivemos no fundo do coração o desejo de escutar Deus, que não queiramos fechar os olhos à sua luz. São Paulo, no caminho de Damasco, rendeu-se plenamente ao chamado de Jesus. Quem és tu, Senhor?, perguntou-lhe. E Ele: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Levanta-te, entra na cidade e lá te será dito o que deves fazer [...] Saulo levantou-se do chão e, embora tivesse os olhos abertos, não via nada. Conduziram-no pela mão a Damasco, onde esteve três dias sem ver e sem comer nem beber (9).

Na atitude de Paulo, chama poderosamente a atenção, em primeiro lugar, a sua docilidade. Deixa-se conduzir pela mão até à cidade. Só então, depois de três dias de intensa oração acompanhada de generoso jejum, é que Jesus Cristo lhe enviará Ananias, que após devolver-lhe a vista lhe diz: O Deus dos nossos pais escolheu-te para que conhecesses a sua vontade, visses o Justo e ouvisses a palavra da sua boca, porque serás sua testemunha diante de todos os homens do que viste e ouviste. Agora, que esperas? Levanta-te e recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o seu nome (10).

Quid moraris?, que esperas, para pores em prática o que Deus quer de ti? Sempre me tocaram estas palavras de Ananias a Paulo, instando-o a começar imediatamente a sua missão. O Senhor no-las dirige também a nós: que esperas para lançar-te em cheio à tarefa que te confiei? Porque a fé e a vocação de cristãos afetam toda a nossa existência, não apenas uma parte. As relações com Deus são necessariamente relações de entrega, e assumem um sentido de totalidade. A atitude do homem de fé é olhar para a vida, em todas as suas dimensões, sob uma perspectiva nova: a que Deus nos dá (11).

Na imensa maioria dos casos, a vocação cristã deixa cada um no seu lugar − no posto de trabalho, na família −, dando-lhe uma visão nova, mais profunda, do sentido da sua existência na vida. Com que simplicidade e clareza o explica o nosso Fundador em Sulco! Escreves-me na cozinha, junto ao fogão. Está começando a tarde. A teu lado, a tua irmãzinha − a última que descobriu a loucura divina de viver a fundo a sua vocação cristã − descasca batatas. Aparentemente − pensas −, o seu trabalho é igual ao de antes. Contudo, há uma diferença!

− É verdade: antes “só” descascava batatas; agora, santifica-se descascando batatas.

Que alegria proporciona a certeza de que em qualquer lugar, em qualquer trabalho honrado, podemos servir a Deus e aos homens, podemos santificar-nos, podemos contribuir para o cumprimento da missão da Igreja! Temos de ensiná-lo aos outros, por meio do nosso exemplo e das nossas palavras. Cada criatura é chamada a ter − como São Paulo − um encontro pessoal com o Senhor. E isso depende em parte de ti e de mim, porque a graça de Deus não falta. Depende de que nós, os cristãos, tomemos muito a sério a correspondência à nossa vocação.

Considerando a resposta de São Paulo ao convite divino no caminho de Damasco, Bento XVI conclui que daqui deriva uma lição muito importante para nós: o que conta é pôr Jesus Cristo no centro da nossa vida, de maneira que a nossa identidade se caracterize essencialmente pelo encontro, pela comunhão com Cristo e com a sua palavra. À sua luz, qualquer outro valor se recupera e ao mesmo tempo se purifica de possíveis escórias (13).

Cuidamos de falar mais intensamente com o Senhor cada dia? Procuramo-lo nas incidências do dia? Preparamo-nos para descobri-lo nos diversos momentos, mediante uma vida de oração e o cumprimento exato e gozoso do dever? Repetimos muitas vezes como São Paulo: Quid faciam, Domine?, Senhor, que queres que eu faça? Peçamos ao Apóstolo que nos alcance de Deus essas disposições profundas da alma, que constituem a preparação necessária para escutar as inspirações divinas e pô-las em prática. Saboreemos as palavras de São Josemaria: Como é formosa a nossa vocação de cristãos − de filhos de Deus! −, que nos traz na terra a alegria e a paz que o mundo não pode dar! (15).

No dia 7 de julho completa-se outro aniversário do dia em que D. Álvaro respondeu ao Senhor: “Aqui estou!”. Uma atitude que renovava com freqüência, cheio de gratidão para com o nosso Deus que, como com todos, não cessava de ir ao seu encontro. Falou-nos muitas vezes de fidelidade: era o que trazia na alma. Aprendamos.

Dentro em breve, o Santo Padre irá a Sidney para encerrar a Jornada Mundial da Juventude. Acompanhemo-lo com a nossa oração e o nosso carinho. Eu, além disso, estarei fisicamente perto, pois também irei à Austrália por esses dias. Agradeço ao Senhor que me permita estar com as minhas filhas e os meus filhos daquele país e da Nova Zelândia, e cumprimentar muita gente que recebe formação nos Centros da Prelazia. Aproveitarei a viagem para passar em breves etapas por outros lugares da Ásia onde a Obra desenvolve estavelmente o seu trabalho apostólico: a Índia, Hong-Kong, as Filipinas, Singapura. Como vos tenho recordado em outras ocasiões, conto com que todos me acompanheis nesse itinerário, em unidade de orações e intenções.

Com todo o afeto, abençoa-vos

o vosso Padre

+ Javier

Pamplona, 1 de julho de 2008.

−−−−−−−

(1) São João Crisóstomo, Sermões panegíricos de São Paulo, I, 1.
(2) Gal. 1, 13-14.
(3) Fil. 3, 12
(4) Cf. Atos, 9, 15.
(5) Bento XVI, Discurso na audiência geral de 25-10-2006.
(6) São Josemaria Escrivá, Forja, n. 754.
(7) Cfr. Mt 5, 14.
(8) São Josemaria Escrivá, Apontamentos tomados numa tertúlia, 13-4-1974.
(9) Atos 9, 5-9.
(10) Atos 22, 14-16.
(11) São Josemaria Escrivá, É Cristo que passa, n. 46.
(12) São Josemaria Escrivá, Sulco, n. 498.
(13) Bento XVI, loc. cit.
(14) Atos 22, 10.
(15) São Josemaria Escrivá, Forja, n. 269.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

A mensagem das roupas

Saudações queridos leitores!

A revista Veja dessa semana traz uma reportagem muito boa (até que enfim) sobre o significado das vestes litúrgicas do Santo Padre, o Papa. Mais que estilo ou beleza, as vestes do Papa são cheias de significado. Reproduzo abaixo um trecho da reportagem que retrata bem isso.

Originalmente, os sapatos papais eram feitos de couro tingido de vermelho e decorados com uma cruz dourada, que devia ser beijada por aqueles que se dirigiam ao pontífice. Paulo VI, papa entre 1963 e 1978, eliminou a cruz dos calçados e interrompeu o costume do beijo. João Paulo I ainda usou os sapatos vermelhos, bem como João Paulo II no começo de seu pontificado. Logo depois, entretanto, o papa polonês os substituiu por sapatos marrons comuns. O vermelho dos sapatos representa o sangue do martírio de Cristo. O camauro e a mozeta, recuperados também pelo alemão, são acessórios que estavam em desuso desde o pontificado de João XXIII, encerrado em 1963. O camauro, um gorro de veludo vermelho enfeitado com pele de arminho, remonta ao século XIII. Aparece em pinturas que retratam pontífices como Inocêncio VII, Julio II, Bento XIV e Clemente XIII. O vermelho, nesse caso, explica-se pelo fato de ter sido, no passado, a cor distintiva dos papas na hierarquia da Igreja. Isso mudou no século XVI, quando Pio V instituiu o branco como a cor pontifícia. A mozeta é uma capa curta que cobre os ombros, parte das costas e dos braços. Uma das referências mais antigas do uso dessa peça vem de um afresco de Melozzo da Forlì, de 1477, que retrata o papa Sisto IV. A mozeta pode ser vermelha ou branca – na segunda versão, é usada na Páscoa e representa a alegria pela ressurreição de Cristo.

Na reportagem também é possível ver imagens das principais peças resgatadas por Bento XVI. Para acessar a reportagem completa, clique aqui.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

"Homem grávido" dá à luz em parto natural nos EUA

Saudações queridos leitores!

Avançamos mais um ponto em direção à barbárie. O nascimento do filho de Thomas Beatie, (fonte aqui) a mulher que se mutilou para tentar parecer-se com um homem nos força a exercermos uma aceitação que não deveria existir.

Ao aceitarmos qualquer tipo de conduta, por mais bizarra e anti-natural que seja, o que nos impedirá que nos imponham a pedofilia, a zoofilia e tantos outros desvios sexuais que conhecemos? Não prego que discriminem Thomas Beatie ou seu filho, mas sim que a ideologia que permitiu que essa criança inocente nascesse sob tais circunstâncias não deve ser aceita jamais. Abrir a porta para tal conduta é uma invasão do relativismo, relativismo esse que foi e é responsável por verdadeiras barbáries em nosso mundo.

Thomas Betie afirmou: "Acho que a necessidade de ter um filho não é um sentimento masculino ou feminino. Sou um ser humano e tenho direito a ter um filho biológico".

Ora essa, ninguém está negando que ter um filho seja um desejo que transcenda o gênero. O que está em questão são as circunstâncias em que esse filho foi gerado. Por quê escolher duas mulheres se escolhem como parceiras sexuais, mesmo sabendo da impossibilidade biológica de gerarem um filho? Se tal desejo fosse algo real, ela deveria ter elegido um homem para tal. Mas nas atuais circunstâncias, esse filho vem apenas para ser um troféu para a comunidade gay, que usa tal criança para tripudiar das outras pessoas, como se isso fosse uma vitória deles.

Nessa história o maior perdedor é justamente o bebê, que crescerá totalmente desorientado, dentro de uma estrutura familiar estranha e anti-natural.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

A Renúncia de Dom José Cardoso Sobrinho

Saudações queridos leitores!

Os inimigos de Dom José Cardoso Sobrinho, Arcebispo de Olinda e Recife, um dos melhores bispos desse país, estão em polvorosa. Tudo isso porque Dom José apresentou sua renúncia ao Papa. O que muitos não sabem é que esse é um procedimento normal quando um bispo chega aos 75 anos (caso de Dom José). O Jornal do Commercio dedicou um caderno inteiro à difamação de Dom José, notadamente adversário dos modernistas, comunistas, abortistas e TL em sua diocese.

Meu amigo Jorge Ferraz está dedicando uma série de reportagens a esse assunto, que podem ser conferidas em se excelente blog.

Bento XVI pode recusar a renúncia de Dom José Cardoso e nesse caso seus detratores estribucharão. Estribucharão e babarão. E eu cobrirei isso.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Achado no Rio corpo de padre que desapareceu em Santa Catarina

Saudações queridos leitores!

Depois de quase dois meses desaparecido, foi encontrado hoje o corpo do Padre Adelir de Carli, que tentou quebrar o recorde de vôo com balões de festa. Fiquem com notícia do UOL, (fonte aqui) volto depois.

Achado no Rio corpo de padre que desapareceu em SC

O corpo do padre Adelir Antônio de Carli, que desapareceu em 20 de abril no Paraná tentando bater o recorde de vôo usando balões de festa, foi encontrado ontem a 100 quilômetros da costa de Maricá, no Rio de Janeiro, por um rebocador a serviço da Petrobras, informou a companhia hoje.

O padre tinha saído da cidade de Paranaguá, no Paraná, com o objetivo de pousar em Dourados, no Mato Grosso do Sul. Porém, os ventos teriam desviado o padre de seu percurso, levando-o para o mar.

O rebocador Anna Gabriela encontrou o corpo por volta das 16h de ontem no mar, ainda com aparatos de vôo, e chegou de madrugada à cidade de Macaé, também no Rio, onde o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) local.

Voltei. Espero que o encontro do corpo diminua ao menos um pouco o sofrimento dos familiares e fiéis da Paróquia do Padre Adelir. Que essa tragédia sirva de lição a todos que desejam arriscar-se sem tomas as devidas precauções.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Votação do PL sobre a descriminalização do aborto

Saudações queridos leitores!

Trago um recado urgente sobre o PL 1135/91, que trata da descriminalização do aborto no Brasil. O projeto vai ser votado na próxima semana, por isso, toda manifestação em prol da vida é necessária. Segue o recado:

Caro(a) amigo(a) pró-vida

Conforme indicado no Portal da Câmara dos Deputados, o PL 1135/91, que libera totalmente o aborto no Brasil, deve ser votado na próxima semana na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania). A notícia, assim como a íntegra do Projeto de Lei, podem ser vistos aqui:

Este projeto foi derrotado em votação histórica na Comissão de Seguridade Social e Família, na qual, depois que os deputados favoráveis se retiraram do Plenário, o resultado foi 33 x 0 em favor da vida. Uma das razões para essa grande vitória foi a mobilização das bases, manifestando-se junto aos deputados de seu Estado.

Precisamos novamente nos mobilizar para que o aborto não seja legalizado no Brasil.

O relatório do Deputado Eduardo Cunha foi pela inconstitucionalidade e injuridicidade do PL 1135/91. Vamos escrever aos Deputados de nosso Estado, identificando-nos como da sua região eleitoral, e pedindo o seu voto contra o aborto, com o parecer do relator.

Segue abaixo, para facilitar, a relação de e-mails dos Deputados, por Estado.

RELAÇÃO DOS DEPUTADOS DA CCJ POR ESTADO

ALAGOAS

2º Vice-presidente (AL)
Titulares (AL)
(não há suplentes de AL)

AMAZONAS

Suplentes (AM)
(não há titulares do AM)

BAHIA

Titulares (BA)
Suplentes (BA)
CEARÁ

Titulares (CE)
Suplentes (CE)
DISTRITO FEDERAL

Titulares (DF)
Suplentes (DF)
ESPÍRITO SANTO

Titulares (ES)
(não há suplentes do ES)

GOIÁS

3º Vice-presidente (GO)
Titulares (GO)
Suplentes (GO)
MARANHÃO

Titulares (MA)
Suplentes (MA)
MATO GROSSO

Titulares (MT)
Suplentes (MT)
MATO GROSSO DO SUL

Titulares (MS)
Suplentes (MS)
MINAS GERAIS

Titulares (MG)
Suplentes (MG)
PARÁ

Titulares (PA)
Suplentes (PA)
PARAÍBA

Titulares (PB)
Suplentes (PB)
PARANÁ

Suplentes (PR)
(não há titulares do PR)

PERNAMBUCO

Titulares (PE)
Suplentes (PE)
PIAUÍ

Titulares (PI)
Suplentes (PI)
RIO DE JANEIRO

Presidente CCJ (RJ)
(Este foi o relator, cabe cumprimentá-lo pelo relatório)
Titulares (RJ)
Suplentes (RJ)
RIO GRANDE DO NORTE

Titulares (RN)
Suplentes (RN)
RIO GRANDE DO SUL

Titulares (RS)
Suplentes (RS)
RONDÔNIA

Titulares (RO)
Suplentes (RO)
RORAIMA

Titulares (RR)
(não há suplentes de RR)

SANTA CATARINA

Suplentes (SC)
(não há titulares de SC)

SÃO PAULO

1º Vice-presidente (SP)
Titulares (SP)
Suplentes (SP)
SERGIPE

Titulares (SE)
(não há suplentes de SE)

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Debate sobre o aborto na TV Câmara

Saudações queridos leitores!

A Doutora Lenise Garcia estará hoje em um debate na TV Câmara às 13:20. Ela tratará sobre o aborto. Recebi o recado de última hora, por isso o aviso está meio em cima, mas vale a pena conferir.

O endereço é http://www.camara.gov.br/internet/TVcamara/.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Humano, Marca Registrada

Saudações queridos leitores!

Cuidado! Em um futuro próximo vocês e seus descendentes podem ter que pagar royalties pelo coração que bate no peito ou por um rim que está em seu corpo.

A grande Câmara de Apelação do Escritório Europeu de Patentes (EPO), recebeu um processo para decidir se é possível patentear células-tronco embrionárias (fonte aqui). Tal iniciativa pode iniciar uma nova era na mercantilização do homem. A patente sobre partes humanas. Já não chega os tratamentos que são patenteados, agora James Thomson apresentou um processo para a patente de suas técnicas e das células obtidas pela mesma.

O grande problema é que a Direção 23D dessa mesma corte exclui o registro de patentes a embriões humanos. Se essa regra não existisse, teria gente capaz de querer cobrar royalties de pessoas que fizessem filhos de maneira tradicional, afinal, o embrião é uma marca registrada. Haha! Os pais teriam que achar outro processo para trazer seus filhos ao mundo.

"Não existem motivos para excluir as células-tronco embrionárias de uma possível patente", disse, na capital bávara um porta-voz da Wisconsin Alumni Research Foundation, que representa os interesses de Thomson perante a grande Câmara de Apelação do EPO. O porta-voz também afirmou que essa diretriz (a 23D) não tem por que afetar as células que são obtidas desses embriões. Ele fala como se o resultado das manipulações não fosse parte humana. Como diz a minha amiga Lenise, se não é humano, a que espécie pertence?

Duvido muito que eles consigam registrar tais patentes. O argumento de que as células não podem ser consideradas partes humanas é intrinsecamente furado (haha!), pois os seres humanos são formados por células! Que tal processo mostre o quanto a vida humana é desvirtuada em nome do lucro. Se esse cientista estivesse mais preocupado com o bem ao próximo do que com o próprio bolso, certamente que não tentaria restringir seus métodos com patentes.

É o mercado humano. Daqui a pouco a Mayanna Zatz vai tentar fazer algo similar.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um Bispo a desserviço da Igreja

Saudações queridos leitores!

Dom Clemente Isnard, 91 anos, ainda não sabe como a Igreja funciona. Ele deve achar que é uma democracia. Depois de tantos anos de serviços prestados à Igreja, Dom Isnard lança um livro que é um verdadeiro desserviço.

Ele deu uma entrevista (enorme) ao jornal O Globo, que pode ser conferida aqui. Não vou comentar a entrevista toda, senão não saio daqui hoje, mas pincelo os pontos mais críticos, ainda mais vindo de um sucessor dos Apóstolos.

O GLOBO ONLINE-O senhor defende o fim do celibato dos padres?

DOM CLEMENTE - Eu defendo a possibilidade de permitir o casamento dos padres bons e zelosos.

O sexo está super valorizado em nossa sociedade. E é esse super valor todo que traz essa tendência de marginalizarem o celibato. Isso é uma norma da Igreja para auxiliar uma melhor administração das paróquia pelos padres. Afinal de contas, com os poucos padres que temos, imagina se eles forem casados, tendo que cuidar, além da Igreja, da administração de uma casa, esposa, filhos... Se hoje em dia muitos sacerdotes celibatários não dão conta nem das paróquias...

O GLOBO ONLINE-O senhor acredita que o celibato cria para a igreja um outro problema, que é o do homossexualismo?

DOM CLEMENTE -Não há duvida que a lei do celibato contribui para que nos seminários alguns se encaminhem para o homossexualismo. O celibato não cria o homossexualismo, mas pode favorecer alguns casos. O problema do homossexualismo é muito delicado.

Dom Clemente pisa em um terreno perigoso. Se o celibato favorecesse o homossexualismo, tal prática seria muito menor fora dos seminários do que dentro. O que vemos é justamente o contrário. Não se pode dizer com base científica qual comportamento favorece o desvio da sexualidade dessa maneira. Mas tenham certeza de que não é liberando o casamento dos sacerdotes que essa prática vai ser coibida. Quem é homossexual não vai querer se casar com uma mulher e manter um relacionamento heterossexual, é evidente. Se tal premissa fosse verdadeira, poderíamos acabar com o homossexualismo no mundo obrigando os gays a se casar com pessoas do sexo oposto, oras!

O GLOBO ONLINE- Na Igreja Católica, faltam padres, mas mulher não reza missa. Por que é assim?

DOM CLEMENTE - A tradição católica vem do judaísmo, só admitir o sacerdócio masculino. Assim fez Jesus Cristo. O papa João Paulo II escreveu uma encíclica em que dava uma decisão que ele chamou definitiva contra a ordenação de mulheres. Mas os comentadores acham que não é "ex-catedra" e que a Igreja poderá resolver ainda outras coisas.

Nossa! João Paulo II, de grande memória solta um documento Ex Cathedra, mas parece que ele não tem autoridade suficiente para isso, visto que alguns comentadores (quem será) "acham" que não é. Desse jeito parece que o documento escrito pelo Santo Padre é algo obscuro, de difícil entendimento. Que parte do "mulheres não podem ser ordenadas" ele não entendeu?

Essa fala é patética demais para acreditar que veio de um Bispo.

O GLOBO ONLINE- O senhor defende que elas passem a rezar missa e fazer casamentos?

DOM CLEMENTE - Fazer batizados e casamentos podiam na minha diocese de Nova Friburgo. E podem até hoje. Tínhamos uma religiosa, Madre Cosmelli, que era solicitada mais que os padres para casamentos. Alguns até rejeitavam o Vigário para ela abençoar as núpcias.

Ihh, quantos casamentos nulos não devem haver na Diocese de Dom Isnard, hein? Visto que um Ministro ordenado é condição sine qua non para a validade do matrimônio. Alô, casais! É melhor vocês irem a uma Igreja para checar sua situação!

Nesse mesmo parágrafo podemos ver outro abuso escandaloso ocorrido com a anuência (e ouso especular apoio) de Dom Isnard. Uma Madre era escalada para "celebrar" casamentos, mesmo com padres disponíveis. Um ministro ordenado (padre ou diácono) é condição sine qua non para a validade de um casamento entre católicos.

O GLOBO ONLINE-O senhor defende mudança neste processo [de escolha dos bispos]?

DOM CLEMENTE - Acho que o bispo deveria ser eleito pelo clero de sua Diocese, pelas freiras e por uma delegação de leigos, e confirmado pelo Papa. Era assim que se fazia na Igreja primitiva.

Invocar o primitivismo aqui não tem sentido. As eleições eram feitas dessa maneira na antigüidade não por ser uma fórmula acertada, mas porque o desenvolvimento da Igreja como instituição foi algo gradual. Nosso Senhor Jesus Cristo não chegou a Pedro e entregou a ele a Igreja pronta, com os prédios erguidos, dicastérios formados, Conselhos Pontifícios e estrutura da Cúria. Tudo isso foi se desenvolvendo com o passar dos anos.

Assim também foi se aperfeiçoando o modelo de eleição de novos bispos. Voltar a um método anterior é desnecessário, visto que o Papa tem autoridade para escolher quem ele bem entender. E também seria um retrocesso feito em nome da democracia que Dom Isnard tanto defende.

O GLOBO ONLINE-A Igreja é contra o uso de camisinha, embora tenha um amplo trabalho de ajuda a portadores do vírus da Aids. Isso é um contra-senso?


DOM CLEMENTE - A Igreja condena o uso da camisinha para os que podem ter filhos mas não querem. Mas admito o uso da mesma para que um dos cônjuges não contraia um vírus incurável como o HIV.

Ao admitiro uso de preservativos sob qualquer circunstância, Dom Isnard está usurpando de uma autoridade que ele não tem, visto que a Igreja condena o uso em qualquer circunstância. Nesse caso temo pelo povo, que é guiado para um buraco, mas tenho um temor ainda maior por Dom Clemente, que é o responsável direto por levar todas essas almas para o buraco.

O GLOBO ONLINE-Na sua opinião, no Brasil, o aborto deve ser discutido como uma questão de saúde pública ou de direito à vida?

DOM CLEMENTE - O aborto deve ser condenado por respeito à vida.

Ufa! Pelo menos nisso ele está de acordo com a Doutrina da Igreja.

O GLOBO ONLINE- Por que os integrantes da Igreja que são favoráveis [ao casamento de padres e eleição de bispos por comissões] se calam?

DOM CLEMENTE - Por que os integrantes da Igreja se calam, sendo favoráveis? Porque não sabem se são maioria para aprovar.

Aqui Dom Clemente se engana de novo. Ele pensa que a Igreja é uma democracia. Se assim fosse, já não existiríamos a muito, muito tempo. O fato de serem maioria ou não é totalmente irrelevante nesse caso, visto que a Palavra de Deus não se dobra a clamores democráticos. Nem se fossem cem por cento pedindo, a Igreja nunca vai mudar essas questões por causa disso.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Grupo tradicionalista deixa abismo entre anglicanos evidente

Saudações queridos leitores!

O cisma na Comunhão Anglicana é evidente. Algumas pessoas não queriam reconhecer, mas agora não dá mais. Já faz algum tempo que venho falando que os anglicanos não existem mais. O legado de Henrique VIII voltou ao pó. Nem todos sabiam, mas agora todos começam a perceber. Fiquem com notícia da Folha de São Paulo (fonte aqui, somente para assinantes), volto depois.

Bispos conservadores criam grupo que contesta hierarquia

Membros conservadores da Igreja Anglicana, liderados por um conselho cuja maioria é de bispos africanos, criaram um "bloco de poder" que desafia a atual hierarquia, embora não rompa com ela. O motivo maior é a insatisfação ante o avanço da aceitação da homossexualidade -em 2003, a Igreja Episcopal, ramo do anglicanismo nos EUA, consagrou seu primeiro bispo gay.

O anúncio foi feito anteontem, após uma semana de encontros em Jerusalém. Os conservadores afirmam falar pela maioria dos 77 milhões de membros da Comunhão Anglicana no mundo.

O bloco -cuja criação foi anunciada como ápice da luta anticolonialista contra a cúpula da igreja- diz que "descendentes dos missionários anglicanos no Reino Unido e nos EUA estão seguindo um "falso evangelho'" que permite uma interpretação maleável das Escrituras.
O arcebispo da Cantuária, Rowan Williams, líder da igreja, questionou a legitimidade do bloco e disse que ele criará mais problemas do que soluções. Para a líder da Igreja Episcopal dos EUA, bispa Katharine Jefferts Schori, "boa parte do mundo anglicano deve estar lamentando a decisão" do grupo.

Voltei. Eu num sei como os anglicanos se acham sérios. Uma rebelião desse tamanho e os superiores não fazem nada para controlar essa situação. Se eu fosse um anglicano enfiaria minha cabeça debaixo da terra por vergonha de uma situação dessas. Mas com a Graça de Deus que eu não sou. Interessante é ver que enquanto a coisa aperta, os anglicanos mais sérios começam a enxergar uma deturpação cada vez mais miserável das Sagradas Escrituras.

Eu começo a achar que vou viver para ver os anglicanos retornando em massa para Roma.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Lara Fabian

Saudações queridos leitores!

É por isso que eu sou fã dela!



Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 29 de junho de 2008

Evangelho de Domingo - Solenidade de São Pedro e São Paulo

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários de São Máximo de Turim.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.

Evangelho (Mt 16, 13-19 (Solenidade de São Pedro e São Paulo))

13Em seguida, foi Jesus para os lados de Cesareia de Filipe e perguntou aos discípulos: Quem dizem os homens que é o Filho do homem? 14Responderam-Lhe: Uns, João Baptista: outros, Elias; outros, Jeremias ou algum dos profetas. 15Disse-lhes Jesus: E quem dizeis vós que Eu sou? 16Respondeu Simão Pedro, dizendo: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo. 17E Jesus, respondendo-lhe, disse: Bem-aventurado és tu, Simão, Barjona, porque não foi a carne e o sangue que to revelaram, mas Meu Pai que está nos Céus. 18E Eu digo-te a ti que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja, e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela. 19Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus, e tudo o que ligares na terra, será ligado nos Céus; e tudo o que desligares na terra, será desligado nos Céus.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por:

São Máximo de Turim (?-c. 420), bispo

Sermão CC1

«Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu» O Senhor reconheceu em Pedro o intendente fiel, a quem confiou as chaves do Reino, e em Paulo um mestre qualificado, a quem encarregou de ensinar na Igreja. Para prometer aos que foram formados por Paulo que encontrariam a salvação, era preciso que Pedro os acolhesse para lhes dar repouso. Quando Paulo tiver aberto os corações com a sua pregação, Pedro abrirá às almas o Reino dos Céus. Assim, pois, também Paulo recebeu de Cristo uma espécie de chave, a chave da ciência, que permite abrir em profundidade os corações endurecidos para a fé, para em seguida trazer à superfície, por uma revelação espiritual, aquilo que se encontrava escondido no interior. Trata-se de uma chave que deixa escapar da consciência a confissão do pecado e que nela encerra para sempre a graça do mistério do Salvador.

Ambos receberam, pois, chaves das mãos do Senhor; um deles recebeu a chave da ciência, o outro a chave do poder; este dispensa as riquezas da imortalidade, aquele distribui os tesouros da sabedoria. Porque há tesouros do conhecimento, como está escrito: «O mistério de Deus, isto é, Cristo, no Qual estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência» (Col, 2, 2-3).

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.