sábado, 21 de junho de 2008

Religiosa chinesa morre arrastada por enxurrada

Saudações queridos leitores!

A China é um dos locais onde mais se precisa levar a Deus. Tenham certeza de que enquanto escrevo esse texto, há muitas, mas muitas pessoas mesmo, pensando em como levar a Boa Nova até a China, em como driblar todas as barreiras impostas pela ditadura comunista.

Infelizmente, perdemos uma grande guerreira recentemente. Fiquem com reportagem de ZENIT (fonte aqui).

Religiosa chinesa morre arrastada por enxurrada

HUI YANG , sexta-feira, 20 de junho de 2008 (ZENIT.org).- A irmã Xue Ling, religiosa chinesa, morreu arrastada por uma enxurrada em 13 de junho, enquanto atendia leprosos no distrito de Hui Yang, da província de Guang Dong.

Segundo informa a agência da Congregação para a Evangelização dos Povos, Fides, no momento de sua trágica morte, acabava de voltar da inauguração da paróquia de São Pedro em Dan Shui.

«Sabendo que um enfermo precisava urgentemente ser hospitalizado, a religiosa saiu imediatamente para acompanhar o enfermo, sem levar em conta o cansaço. Na viagem de volta, o carro no qual viajava junto a outras pessoas foi arrastado pela enxurrada: o motorista e dois pacientes se salvaram graças ao socorro que receberam, mas não se pôde fazer nada pela irmã Xue, que perdeu a vida testemunhando o amor generoso para com os irmãos leprosos», afirma Fides.

A irmã Xue Ling, nascida em 1965, emitiu os votos perpétuos em 1999. Há cinco anos foi enviada por sua Congregação para assistir os leprosos de Hui Yang.

Voltei.O sacrifício da irmã Xue Ling certamente não foi em vão. Perdemos uma guerreira de nosso meio, mas certamente ganhamos uma grande intercessora nos céus.

Fiquem com Deus,
Fernando.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

CNBB quer 'exportar' movimento dos sem-terra para a África

Saudações queridos leitores!

Tem horas em que eu penso que a melhor coisa que poderia acontecer com a CNBB é a sua dissolução. Mas aí eu penso em todos os bispos bons que estão lá, de mãos amarradas pelos comunistas e tenho dó deles. Agora, eles querem exportar os nossos problemas.

De acordo com uma reportagem do Estadão, um grupo de representantes da África do Sul virá para o Brasil para conhecer e aprender com o modelo de terrorismo implantado pela CPT (Comissão Pastoral da Terra) e com o MST!!

De acordo com o Padre Nelito Dornelas, os sul-africanos “Querem implantar lá a metodologia desenvolvida pela CPT”. “Também estão interessados em ter missionários brasileiros que ajudem os trabalhadores rurais a organizarem seus movimentos, como foi feito no Brasil. Como se sabe, o MST é filho da CPT.”

Desde o fim do Apartheid, uma minoria ainda controla cerca de 80% das terras cultiváveis do país. Para tentar acabar com esse problema, os sul-africanos importarão uma suposta solução que só vai fazer aflorar ainda mais a luta racial no país, que foi vítima por muitos anos de um regime racista. E tudo isso graças a uma rede internacional de organizações comunistas que usam de métodos terroristas.

Estamos nos tornando exportadores de metodologia terrorista.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Onde a morte é vendida na rua

Saudações queridos leitores!

Esse lugar não é um morro carioca, ou alguma cidade tomada por outra organização criminosa. Esse lugar é a China. Um país que vive sob o regime comunista sedento de sangue. A China é o país em que mais se executam prisioneiros no mundo. Mas o regime comunista não tem sede só do sangue de criminosos, mas também de inocentes. Estimativas da revista chinesa Kejibao mostram que o número de abortos ocorridos na China é de cerca de 13 milhões (sim, milhões!) por ano.

Nas ruas e cada vez mais na internet, clínicas especializadas anunciam ofertas de "aborto fácil" e "aborto indolor" (indolor para o nascituro também???). Há até mesmo sites em que as mulheres que desejam mais informações podem conversar com "especialistas".

A perversidade é tão grande que ao ser questionada sobre a possibilidade da realização de um aborto no nono mês de gestação, um dos supostos especialistas responde: "É possível, mas desaconselho porque a chance de sobrevivência do bebê nesses casos é alta". Somente após dezenas (!!!) de tentativas, todas com respostas positivas, uma das clínicas se recusou a realizar o aborto em uma gravidez tão avançada: "Aos nove meses é um homicídio, nossa clínica não faz", diz uma atendente. O custo da cirurgia varia entre cerca de 100 e mil euros, mas há quem diga ser possível realizar a operação por muito menos.

Em 2002 o governo comunista-homicida-cerceador-de-liberdades de Pequim proibiu a revelação do sexo dos bebês, pois com a política do filho único, muitas famílias abortam meninas para poder ter um menino. Tal comportamento ocorre não só na China, mas em outros países como a Índia e tem provocado um déficit de mulheres, fazendo com que algumas famílias seqüestrem (literalmente) meninas de partes mais pobres para que essas sirvam de esposas. Os comunistas-homicidas de Pequim estabeleceram que para a interrupção de uma gravidez com mais de 14 semanas, a mesma deveria ser autorizada pelas autoridades. Mas não há como controlar isso, visto que a proliferação de clínicas é tão grande que é muito fácil achar uma clínica que aborte após isso. O difícil por lá é achar uma clínica que não aborte após 14 semanas. Apenas os hospitais de Pequim teriam realizado em 2007 uma média de 820 abortos por dia. A revista Kejibao fala de uma "maré de abortos", praticados com total desenvoltura inclusive por adolescentes e mesmo depois do 4º ou 5º mês de gravidez.

Que Deus tenha piedade de nós,
Fernando.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Bento XVI diz que gostaria de visitar a Terra Santa

Saudações queridos leitores!

Conhecer a Terra Santa é um sonho de cristãos, judeus e muçulmanos. E até mesmo de outras pessoas fora desses grupos, para os quais aquele lugar tem especial significado. Visitar a a Terra Santa também é um desejo de Bento XVI.

O Santo Padre manifestou seu desejo e declarou que reza ardentemente para que uma viagem sua até lá se concretize. O Papa fez essa declaração ao receber os participantes da Reunião das Obras para Ajuda às Igrejas Orientais (Roaco), uma associação de ajuda aos cristãos do Oriente Médio.

Dirigindo-se às comunidades cristãs de ritual latino e oriental da Terra Santa, o Papa disse compartilhar "suas provações e suas esperanças". "Rezo ardentemente para poder visitá-la em pessoa, como rezo também para que alguns sinais de paz, que saúdo com imensa confiança, se concretizem", acrescentou Bento XVI.

Além da manifestação de seu desejo de poder visitar a Terra Santa, O Papa fez um apelo aos governantes dos países do Oriente Médio, em especial Iraque e Líbano, para que lutem para proporcionar a paz e a estabilidade social e os respeito aos direitos fundamentais das pessoas, inclusive a liberdade religiosa.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Pesquisa acusa que a Igreja é responsável por uma homofobia praticamente inexistente na Itália

Saudações queridos leitores!

O lobby gay tenta transformar qualquer comportamento que não seja o louvor à sodomia em homofobia e crime. Uma pesquisa feita na Itália prova que entre os pais que não aceitam a orientação sexual de seus filhos, as reações violentas são uma minoria absoluta. Oitenta por cento dos pais declararam que o importante é a felicidade de seus filhos, independente da condição sexual.

Os pais católicos da Itália, que somam 40% dos pesquisados manifestaram que se recusariam a aceitar a homossexualidade de um filho, mas após um tempo a aceitação acaba surgindo. As reações violentas são mínimas, tão mínimas que não foram sequer citadas na reportagem do Estadão.

Foram entrevistadas 200 famílias de gays e lésbicas entre 14 e 22 anos. A pesquisa foi respondida por 119 mães e 53 pais, além de irmãos e irmãs. Dos entrevistados, 70% se declararam de esquerda, 4% de direita e 26% se divide entre centro-esquerda e centro-direita. Surpreende esse número de pessoas que se declaram de esquerda, visto que nas últimas eleições italianas os esquerdistas não conseguirar superar a barreira de 4% dos votos e ficaram sem representantes no governo do país.

Para 53% dos pais e 44% das mães tal descoberta é inesperada e a primeira reação é de surpresa, medo e dor. Mas pouquíssimos pais confessaram ter reagido de modo violento à notícia: três mães deram um tapa em seus filhos e duas os expulsaram de casa, um pai disse que não era mais seu filho e duas mães chamaram os filhos de "pervertidos". Quase todos recusam a idéia da homossexualidade como uma doença.

Apesar de a própria pesquisa demonstrar que o comportamento que pode ser considerado homofóbico é mínimo, a Igreja Católica foi mais uma vez considerada a grande vilã na rejeição ao comportamento homossexual, já que a mesma expressa sua posição contrária com relação ao tema. Isso é meramente mais um ataque à Igreja. Os pesquisadores desconsideraram completamente o peso que uma revelação dessas tem em uma família e o fato de as pessoas reagirem de maneira inesperada a isso. A Igreja não pode ser culpada por esse comportamento. Uma revelação assim é algo chocante e as pessoas tendem a reagir de maneira mais emocional nesses casos.

Ademais, quero que algum homossexual se manifeste e me apresente um conceito objetivo de homofobia, pois praticamente todo comportamento que não seja louvar a cultura gay é considerado homofóbico.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Zapatero acaba com financiamento e isenção fiscal da Igreja Católica

Saudações queridos leitores!

O governo anti-católico da Espanha, que vinha manifestando seu laicismo radical nos últimos anos acaba de desferir mais um golpe na Igreja Católica. O governo de Jose Luiz Zapatero cancelou a ajuda financeira oficial que o governo dava para a Igreja Católica por causa da oposição da mesma às políticas de aborto e união entre pessoas do mesmo sexo. Os católicos espanhóis podiam doar à instituição 0,7% dos seus rendimentos, através da declaração de impostos. A Igreja Católica era a única instituição que recebia tal tipo de colaboração na Espanha, mas o seu corte repentino motivou uma campanha dos bispos espanhóis para a arrecadação de fundos para a manutenção da Igreja. Segundo fontes do Episcopado espanhol, a verba estatal era responsável por até 30% da manutenção das dioceses. Anualmente eram destinados 141 milhões de euros para a Igreja, dinheiro esse que sabemos que o governo de Zapatero usará para financiar iniciativas abortistas e que privilegiem os homossexuais.

O cancelamento da verba aumentou ainda mais o abismo entre a Igreja e o governo espanhol e até mesmo entre os liberais e os conservadores do país. Apesar de tudo, alguns religiosos se manifestaram favoráveis à medida, mesmo que por motivos errados. O professor de Direito Eclesiástico da Universidade Pública de Navarra, Alejandro Gutiérrez, comentou que a medida “até demorou a chegar”, porque a Espanha é um país laico. “Mais de 100 mil sacerdotes tinham o privilégios de isenção de impostos, enquanto um professor, um jornalista ou um funcionário público deve pagar por comprar uma casa”.

Muitos dos que apóiam a medida desconsideram todos os benefícios e as lutas nas quais a Igreja se envolveu para defender o povo espanhol. Também desconsideram que muito do que a Espanha é hoje deve à herança da cultura ocidental, um valor que foi muito desenvolvido pela Igreja. Por outro lado, o corte dessa verba dá uma autonomia ainda maior para que a Igreja erga sua voz contra os abusos e o laicismo radical que vêm se instalando no país e trazendo consigo uma cultura de morte que coloca em risco o futuro não só da Espanha, mas de toda a Europa.

Por causa do fim do repasse, a Igreja passará a pagar os mesmos impostos que qualquer outra organização. Para isso, foi iniciada uma campanha massiva de sensibilização dos fiéis, que passarão a ocobrir as despesas da Igreja do próprio bolso. A manutenção das catedrais históricas será uma das maiores despesas.

A Igreja espanhola deveria passar a cobrar os mesmos direitos que qualquer pessoa ou instituição tem na Espanha. Mas dificilmente o governo de Zapatero permitirá à Igreja uma maior liberdade de atuação e de manifestação, visto que ambas têm posições diferentes. É sempre assim: todos devem ter os mesmos deveres, mas na hora de reivindicar os direitos, os socialistas vão escolher muito bem sobre o que a Igreja pode se manifestar, fazendo a velha confusão entre Estado Laico e Estado anti-católico.

Que Deus tenha piedade da Espanha, terra de tantos santos, que sofre um verdadeiro cerco das forças do mal.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Liturgia em Foco

Saudações queridos leitores!

Dom Francisco Paulo Machado, bispo de Uberlândia acaba de lançar o blog Liturgia em Foco onde serão tratados temas como Canto Litúrgico, comportamento durante a Missa e outros assuntos relacionados ao campo da Liturgia.

E olha que ele já chegou com um primeiro texto de arrasar! Em seu primeiro texto após a apresentação, Dom Francisco trata da maneira correta de se receber a Eucaristia, desde o estado de graça até o comportamento no momento de se receber a Santíssima Eucaristia durante a Missa. Dom Francisco nos lembra que existem duas formas de se receber a Comunhão na Missa. Uma delas é diretamente na boca, "expressão da mesma bondade do Pai que alimenta os seus filhos como crianças" e a outra, nas mãos, consumindo toda a Hóstia Consagrada imediatamente após recebê-la. Por fim, ele esclarece que "nossa presença na Missa deve ser total: corpo, coração, alma. Aquele que bem recebe a comunhão certamente se empenhará em acolher o Espírito de Cristo que nos congrega na Igreja, Corpo de Cristo".

Já fiquei fã e o blog já está nos favoritos! Quem quiser acessar fazê-lo através do endereço http://liturgiaemfoco.zip.net/.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

terça-feira, 17 de junho de 2008

História de amizade entre católico e judeu

Saudações queridos leitores!

Muito se fala de tolerância em nosso mundo. Mas o que muitos consideram tolerância, não passa de condescendência com o erro. Não falo nem de um ponto de vista religioso, mas sim da moral universal. Toleram-se diferenças, mas não se tolera um erro. Um erro deve ser combatido sempre da forma mais eficaz possível, analisado através do todo.

Mas não vou falar de erros ou de lógica nesse texto. Vou trazer uma reportagem de ZENIT sobre como conviver com as diferenças.

História de amizade entre católico e judeu

Um livro sobre como a amizade pode vencer a morte e construir a paz

Por Antonio Gaspari

ROMA, segunda-feira, 16 de junho de 2008 (ZENIT.org).- A amizade entre os homens, ainda mais se é reflexo do amor de Deus, pode vencer a morte e consolidar a paz.

É esta a mensagem que emerge do livro em italiano «Aspettare insieme» (Esperar juntos, editora Mariaetti), que narra o caminho de conhecimento de Deus de dois jovens amigos, um americano de origem irlandesa, Jonah Lynch, e o outro francês de raízes judaicas, David Gritz.

Os dois se encontram na Universidade McGill de Montreal, tocando violão e violino. Na busca da verdade, dialogam sobre tudo, amor, mulheres, literatura, música, vida, justiça, beleza.

Em uma carta que David escreve de Paris a Jonah, na primavera de 98, pergunta: «Mas as estrelas podem ser alcançadas?».

Desde o ponto de vista religioso, Jonah havia perdido a fé transmitida por seus pais, e David, filho de judeu e católica não-praticante, era agnóstico. Contudo, os dois, através da amizade, aproximam-se do Senhor.

Graças ao movimento Comunhão e Libertação, Jonah havia entrado no seminário e David havia encontrado na ética da Torá, lida com os olhos de Emmanuel Lévinas, um pensamento universal.

Por este motivo, acabados os estudos em Ciências Políticas em 2002, David optou por ir a Jerusalém para fazer uma tese sobre a Torre de Babel e o pluralismo político.

Naquele verão, Jonah foi aos Estados Unidos para trabalhar com alguns sacerdotes missionários da Fraternidade de São Carlos Borromeu, levou um grupo de jovens a Toronto para a Jornada Mundial da Juventude, e voltando a passar por Montreal, recebeu uma ligação dos pais de David: ele havia morrido, despedaçado por uma bomba terrorista na cantina da Universidade em Jerusalém.

Jonah escreve na introdução ao livro: «Meu primeiríssimo pensamento, irreflexivo, era: agora ele vê. Agora vê a verdade. Logo as lágrimas me inundaram, enquanto repassava na mente seis anos de amizade».

Para dar sentido à dor inconsolável pela perda de um querido amigo e para encontrar esperança na consciência ditada pela fé, Jonah Lynch decidiu publicar este livro.

Segundo Jonah Lynch, que, após formar-se em Astrofísica, tornou-se sacerdote em 2006 e agora é vice-reitor do seminário da Fraternidade Sacerdotal dos Missionários de São Carlos Borromeou, «aquela amizade, nunca interrompida, pode converter-se em motivo de esperança para todo um povo».

E Massimo Camisasca, superior da Fraternidade Sacerdotal dos Missionários de São Carlos Borromeu, acrescenta no prólogo do livro: «A morte de David não pode deixar-nos indiferentes».

«A divisão que nasceu em torno de Jerusalém - acrescenta - permanece como uma espada em nosso ânimo e se torna súplica para que os olhos de todos se abram.»

Com este livro, Jonah pretende dar razões à esperança, porque «em uma terra disputada e despedaçada pelas divisões, a amizade entre um católico e um judeu é o simples testemunho de que existe um caminho para a paz».

Neste sentido, o sacerdote americano escreve no prólogo: «Quero descrever uma amizade» para «dar um pouco de razão de minha grande esperança».

«O fato de que tenha irmãos, por muito amados que sejam, não elimina a necessidade do amigo. Para viver entre os irmãos deve-se ter um amigo, ainda que seja distante.» Assim escreveu o teólogo russo Pavel Florenskij, mártir no campo de concentração soviético das ilhas Solovki.

«Ter um amigo permite viver o drama desta vida sem reduções ou fugas - conclui Jonah. É um companheiro de viagem, inclusive quando não está fisicamente presente. É uma presença que vence toda distância.»

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Governo do Zimbábue impede ajuda da Cáritas

Saudações queridos leitores!

Todos repitam comigo: ditadura é mau, ditadura é mau e ditadura é mau.

Começo esse texto dessa maneira porque ainda encontro pessoas que acham que ditaduras ou regimes totalitários têm alguma chance de ser bons. Não existe tal possibilidade.

O presidente-ditador e candidato à re-eleição no Zimbábue, Robert Mugabe, está impedindo a ação da Cáritas e de outras organizações de ajuda humanitária a seu próprio povo!

De acordo com uma nota divulgada pelo governo do Zimbábue, a Cáritas e as demais organizações estrangeiras foram proibidas de atuar no país por estarem colaborando com partidários do candidato da oposição do país. Com essa proibição, um milhão de habitantes do país ficará sem comida e a paralisação dos demais projetos deixará outros três milhões de pessoas com fome. Como exemplo da nova política, segundo Associated Press, um carregamento de 20 toneladas de grão, feijão e óleo, dirigidos a uma escola no leste do Zimbábue, foi apreendido e logo distribuído aos seguidores do presidente Robert Mugabe em uma manifestação na semana passada.

O arcebispo Buti Tlhagale declarou que a situação no Zimbábue não deve ser permitida por mera diplomacia: "A diplomacia silenciosa não está alimentando as pessoas, mas permitindo às atuais estruturas que ameacem a verdadeira sobrevivência dos extremamente vulneráveis".

Vi a alguns dias que outros países da África defendem um diálogo com o governo de Mugabe. Frouxos! Não se dialoga com ditadores! Providências devem ser tomadas para que ele seja afastado e que seu regime ditatorial seja substituído por uma alternativa justa.

Nenhuma ditadura deve ser tolerada, seja no Zimbábue, seja na China, seja em Cuba ou na Venezuela! Tolerar esses comportamentos desumanos é condescender com o erro. E quem faz isso erra igualmente.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Judeus sobreviventes do holocausto visitarão o Papa

Saudações queridos leitores!

Hoje em dia eu vejo que as pessoas dão menos crédito às teorias de que Pio XII foi um Papa que se omitiu durante a Segunda Guerra. Parte significativa dessa mudança deve ser creditada à Fundação Pave The Way (PTWF). A Fundação Pave The Way é uma instituição dedicada ao trabalho inter-religioso, promovendo a tolerância e a compreensão entre as religiões através de intercâmbio cultural e intelectual. Na próxima quarta-feira, um pequeno grupo de judeus sobreviventes do Holocausto se encontrará com o Papa Bento XVI para agradecerem pessoalmente pelos esforços da Igreja para salvar suas vidas durante a Segunda Guerra Mundial.

Essa fundação promoverá um simpósio sobre o papado de Pio XII em Roma de 15 a 18 de setembro próximos, onde serão exibidos testemunhos de pessoas que foram salvas graças às ações de Pio XII e de membros da Cúria Romana. Algumas dessas ações eram desconhecidas até mesmo pelo Vaticano.

De acordo com Gary L. Krupp, presidente da fundação, O propósito do Simpósio é o de «analisar o que se sabe até hoje, antes da abertura dos arquivos vaticanos. Não se trata de fazer uma revisão erudita centrada só nos arquivos originais, mas sim um tribunal onde os acontecimentos de então e os testemunhos atuais ajudem o grupo a chegar a uma conclusão razoável, que receberá confirmação histórica quando os arquivos forem abertos».

«O mundo judaico foi exposto só à obra fictícia «O Vigário». Contudo, na opinião dos historiadores internacionais reconhecidos da Segunda Guerra Mundial, assim como do biógrafo oficial de Winston Churchill, sir Martin Gilbert (Também judeu), essa obra é uma hábil invenção não baseada na precisão histórica. Também o livro de John Cornwell, «O Papa de Hitler», foi desacreditado.

Entre os palestrantes, destaca-se o historiador alemão Peter Gumpel S.J., o historiador judeu e rabino David Dalin, e os investigadores Ron Rychlad, William Doino, Margherita Marchione, Patrick Gallo e Dan Kurzman, especialistas naquela época. A Fundação destaca também a colaboração do jornal Inside the Vatican.

Certamente esse evento tratá novas luzes sobre um tema que começa a ser revelado de forma mais séria e imparcial.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Padre quase é enganado por duas mulheres em casamento

Saudações queridos leitores!

Por pouco uma união homossexual não foi celebrada na Igreja Católica! Mas dessa vez, o caso não tem nada a ver com o terrível lobby gay e nem com os liberais que tentam destruir a Igreja Católica por dentro (como aconteceu com os anglicanos). Com informações do Terra.

Na cidade de Lambaré, próximo a Assunção, no Paraguai, um casamento estava prestes a acontecer quando o sacerdote descobriu que o noivo, impecavelmente vestido era na verdade uma mulher. Após a denúncia de um dos convidados, ocorrida pouco antes do início da celebração, o padre alertou a um fiscal da jurisdição que solicitou um fiscal forense e a polícia. Após o exame, o médico constatou que o noivo era uma mulher, para a sua própria surpresa!

O fiscal ordenou a detenção das duas mulheres: Blanca Estigarribia Lugo, 44 anos, e Catalina Vero, 40 anos, que se registrou para o casamento como Jesús Alejandro Martínez. Elas foram levadas para um uma prisão feminina de Assunção.

Essa foi por pouco!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

A Seleção da CBF perdeu. Que legal!

Saudações queridos leitores!

Apesar de não ter muito a ver com o tema do blog, gostaria de registrar aqui a minha alegria pela derrota da Seleção da CBF (esse time aí não é seleção brasileira coisa nenhuma!) para os terríveis adversários Paraguaios (dia 15) e Venezuelanos (dia 6).

Vamos ver se o Dunga larga mão de ser marionete do Ricardo Teixeira, um dos maiores responsáveis pela situação lastimável do nosso futebol e começa a pensar por si mesmo.

Enquanto essa situação persistir, o time da CBF, com jogadores convocados mais por força da Confederação e dos patrocinadores do que por próprios méritos tem mais é que perder!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 15 de junho de 2008

Diocese de Roma nega permissão para filmagem baseada em livro de Dan Brown

Saudações queridos leitores!

Pra cara de pau, o bom é óleo de peroba, diz a minha mãe. Ron Howard, diretor americano que filmou "O Código Da Vinci" pediu ao Vicariato de Roma permissão para filmar cenas de seu novo filme "Anjos e Demônios", também baseado em um livro de Dan Brown, no interior das Igrejas de Santa Maria del Popole e Santa Maria della Vittoria, duas Igrejas onde ocorrem cenas do filme.

O Vicariato de Roma negou as permissões. Haha!

Bem feito. Um dos porta-vozes da Diocese de Roma, Marco Fibbi informa que eles concedem "freqüentemente a entrada a nossas igrejas para filmes que tenham uma finalidade ou compatibilidade com o sentimento religioso, mas não àqueles que possam prejudicá-lo".

Com a recusa, Ron Howard terá que se contentar em filmar nas áreas externas das Igrejas e se virar para criar os interiores. Ele deve ter pensado que os Católicos eram bobos o suficiente para deixar que usassem suas próprias casas para produção de material ofensivo.

Alguns anos atrás, quando "O Código Da Vinci foi lançado, fiquei um tanto preocupado com os ataques sofridos pela Igreja e principalmente pelo Opus Dei. Mas o filme passou, os ataques cessaram e tudo continua como sempre. Não será mais esse filme que conseguirá fazer as portas do Inferno prevalecerem sobre a Santa Igreja.

Agora, cá entre nós, agüentar o Tom Hanks com aquele cabelo horrível que ele exibiu em "O Código Da Vinci" deve ser um sufoco e tanto!

As fotos no texto são das Igrejas de Santa Maria del Popolo e Santa Maria della Vittoria, respectivamente.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Sacerdotes gays anglicanos se casam em igreja em Londres

Saudações queridos leitores!

A igreja Anglicana acabou. Os anglicanos estão começando a perceber isso. Em uma clara demonstração de que os princípios que norteavam a fé anglicana se foram, dois "sacerdotes" anglicanos, homossexuais, se "casaram" na Igreja de São Bartolomeu, em Londres. Com informações da EFE.

A cerimônia foi celebrada pelo pároco do lugar, Martin Dudley e aprofunda ainda mais o abismo entre os liberais e os conservadores. Questões como a união de homossexuais e a ordenação de mulheres e homossexuais são muito discutidas entre os anglicanos.

A cerimônia de união dos dois "sacerdotes" foi realizada sem a autorização do Bispo Anglicano de Londres. Essa não é a primeira vez que anglicanos abençoam uniões entre pessoas do mesmo sexo, mas pela primeira vez, a cerimônia foi celebrada de acordo com a liturgia anglicana, fato que gera ainda mais críticas e desgaste entre as partes.

O Arcebispo Anglicano de Uganda, Henry Orombi, disse que a cerimônia foi "blasfema" e pediu ao primaz dessa confissão, Rowan Williams, que tome medidas para que a Igreja Anglicana não se desintegre.

Olha, pode parecer um disparate isso que vocês leram acima, mas eu até que vejo um lado muito bom em todas essas abominações que ocorrem em meio aos anglicanos. Enquanto eles permitem a ordenação de qualquer coisa (não duvido muito se não começarem a transformar cones de trânsito em sacerdotes anglicanos) e permitem a união entre homossexuais, a comunidade anglicana se enfraquece cada vez mais, mostrando a real dimensão do erro e os perigos de se afastar da Fé Católica. Diversas comunidades anglicanas estão migrando para a Igreja Católica por causa da rejeição aos princípios cada vez mais liberais que tomam conta da doutrina anglicana.

O anglicanismo, aquele que surgiu da soberba de Henrique VIII já não existe mais. E faz tempo. Ela implodiu.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Evangelho de Domingo - 11° Domingo do Tempo Comum

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários da Lumen Gentium.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.

Evangelho (Mt 9,36-10,8 (11º Domingo do Tempo Comum))

36Ao ver a multidão, condoeu-Se dela, porque andavam maltratados e abatidos, como ovelhas sem pastor. 37Então disse aos discípulos: A messe é grande, mas os trabalhadores, poucos. 38Rogai, pois, ao Senhor da messe que envie trabalhadores para a Sua messe.
1E chamando a Si os doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem e para curarem todas as doenças e todas as enfermidades. 2Ora, os nomes dos doze Apóstolos são estes: primeiro Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão, e Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, 3Filipe e Bartolomeu, Tomé e Mateus, o publicano, Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu, 4Simão, o Cananeu, e Judas, o Iscariotes, o que O entregou.
5A estes doze enviou Jesus, depois de lhes dar as seguintes instruções: Não vades a terra de gentios, nem entreis em cidades de Samaritanos. 6Ide antes às ovelhas desgarradas da Casa de Israel. 7Ide e pregai, dizendo: "Está próximo o Reino dos Céus". 8Curai enfermos, ressuscitai mortos, limpai leprosos, expulsai Demônios. Dai de graça o que de graça recebeste.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por:

Concílio Vaticano II

Constituição dogmática sobre a Igreja, «Lumen Gentium», 3-5

"Proclamai que o Reino dos céus está próximo"

Cristo, a fim de cumprir a vontade do Pai, deu começo na terra ao Reino dos Céus e revelou-nos o seu mistério, realizando, com a própria obediência, a redenção. A Igreja, ou seja, o Reino de Cristo já presente em mistério, cresce visivelmente no mundo pelo poder de Deus. Tal começo e crescimento exprimem-nos o sangue e a água que manaram do lado aberto de Jesus crucificado (cfr. Jo. 19,34), e preanunciam-nos as palavras do Senhor acerca da Sua morte na cruz: «Quando Eu for elevado acima da terra, atrairei todos a mim» (Jo. 12,32 gr.)...

O mistério da santa Igreja manifesta-se na sua fundação. O Senhor Jesus deu início à Sua Igreja pregando a boa nova do advento do Reino de Deus prometido desde há séculos nas Escrituras: «cumpriu-se o tempo, o Reino de Deus está próximo» (Mc. 1,15; cfr. Mt. 4,17). Este Reino manifesta-se na palavra, nas obras e na presença de Cristo. A palavra do Senhor compara-se à semente lançada ao campo (Mc. 4,14): aqueles que a ouvem com fé e entram a fazer parte do pequeno rebanho de Cristo (Luc. 12,32), já receberam o Reino; depois, por força própria, a semente germina e cresce até ao tempo da messe (cfr. Mc. 4, 26-29). Também os milagres de Jesus comprovam que já chegou à terra o Reino: «Se lanço fora os demónios com o poder de Deus, é que chegou a vós o Reino de Deus» (Luc. 11,20; cfr. Mt. 12,28). Mas este Reino manifesta-se sobretudo na própria pessoa de Cristo, Filho de Deus e Filho do homem, que veio «para servir e dar a sua vida em redenção por muitos» (Mt. 10,45).

E quando Jesus, tendo sofrido pelos homens a morte da cruz, ressuscitou, apareceu como Senhor e Cristo e sacerdote eterno (cfr. Act. 2,36; Hebr. 5,6; 7, 17-21) e derramou sobre os discípulos o Espírito prometido pelo Pai (cfr. Act. 2,33). Pelo que a Igreja, enriquecida com os dons do seu fundador e guardando fielmente os seus preceitos de caridade, de humildade e de abnegação, recebe a missão de anunciar e instaurar o Reino de Cristo e de Deus em todos os povos e constitui o germe e o princípio deste mesmo Reino na terra. Enquanto vai crescendo, suspira pela consumação do Reino e espera e deseja juntar-se ao seu Rei na glória.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.