sábado, 7 de junho de 2008

Proselitismo no Piauí. Nessa hoa ninguém fala que o Estado é Laico...

Saudações queridos leitores!

No Piauí as vítimas das enchentes estão recebendo um item extra junto com suas cestas básicas. Uma Bíblia. Em um primeiro momento, isso parece ser algo bom, mas infelizmente as Bíblias são, conforme a própria SBB confirma, são escritas em linguajar mais simples e por isso correm o sério risco de serem adulteradas.

Segundo a reportagem do Terra, as Bíblias possuem uma "tradução para linguagem menos rebuscada que a utilizada nas convencionais, para facilitar a compreensão por parte dos leitores". Entendam isso como adulteração. Todos nós sabemos o que acontece com quem muda uma vírgula na Palavra de Deus, não é?

Quem lê o que eu escrevo deve pensar o que eu acho das diversas traduções utilizadas pelos Católicos. Não existe problema com as traduções Católicas, pois as Bíblias são integrais (contém os Deuterocanônicos) e as adaptações, além de serem fiéis aos originais, são autorizadas pela entidade que compilou a Bíblia, a Igreja Católica.

Não que eu seja contrário ao conforto espiritual dos desabrigados. Não consigo imaginar a dor que eles passam. Mas isso não justifica fazer proselitismo usando o Estado. Se a Igreja resolvesse distribuir terços aos desabrigados, garanto que a tropa de choque laicista e protestantóide já derrubaria o mundo sobre a iniciativa da Igreja.

Nessas horas ninguém fala que o Estado é laico, né?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

TVE promove desrespeito com a populção católica da Bahia

Saudações queridos leitores!

Chega ao Blog uma denúncia de uma leitora da Bahia. A TVE, emissora local tirou do ar, sem aviso algum a Santa Missa transmitida do Santuário de Aparecida e colocou no ar justamente um programa espírita.

Os telespectadores da Bahia, como bem me mostra a internauta, não têm preconceito nem faltam com o respeito aos espíritas, apesar de discordar de sua doutrina, mas isso não quer dizer que tolerarão essa imposição do canal. Se querem transmitir o tal programa espírita, que o façam em um horário que não prejudique a transmissão da Santa Missa.

Você, baiano, proteste. Mande um e-mail para espacodoleitor@grupoatarde.com.br e faça sua queixa contra essa imposição.

Todas as comunidades de Salvador estão se mobilizando pela Santa Missa. Faça sua parte!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Tá explicado: os políticos brasileiros tão com encosto!

Saudações queridos leitores!

Padre Gabriele Amorth é um sacerdote notável! Um dos exorcistas mais conhecidos da atualidade respondeu a uma de minhas dúvidas mais antigas: que diabos acontece com os políticos do Brasil? A resposta: "O diabo gosta de apropriar-se dos que ocupam cargos políticos".

Na mosca!

É por isso que tantas iniciativas contrárias à vida têm espaço no Brasil. Pensando assim, o encosto do Ministro Temporão deve ser enorme.

Agora, voltando um pouco à serenidade, a afirmação do Padre Amorth foi feita ao jornal espanhol La Razón, que publicou a entrevista em um artigo de Alexander Smoltczyk que reproduz uma sessão de exorcismo realizada pelo sacerdote, que já tem 82 anos e assegura ter praticado 70 mil exorcismos.

De acordo com Padre Amorth, "existe o mal na política, inclusive é freqüente. O diabo gosta de apropriar-se daqueles que ocupam cargos de responsabilidade, empresários, políticos. Hitler e Stalin estiveram possuídos. por que sei? Porque mataram a milhões de pessoas. O Evangelho diz: ‘Pelos frutos os conhecerão’. Desgraçadamente, um exorcismo não teria bastado com eles, pois estavam convencidos do que faziam. Não se pode dizer que fora uma possessão no sentido estrito da palavra, mas bem se tratava de uma aceitação total e voluntária das sugestões do diabo".

Ele também alerta que ninguém, nem ele está a salvo do diabo. "Todo mundo é vulnerável," esclarece o sacerdote e explica que "o diabo é muito inteligente. Conservou a inteligência do anjo que foi".

A matéria completa está disponível aqui, em espanhol.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Parlamento Europeu debate papel da religião no espaço público

Saudações queridos leitores!

São notórios o laicismo e o islamismo que ganham força na Europa contemporânea. Um encontro realizado no Parlamento Europeu dedicados ao "Islã, cristianismo e Europa" visou discutir a presença da religião nos espaços públicos. Tal assunto abrange diretamente essas duas religiões no tocante à construção de Igrejas e Mesquitas e como essas se mesclam ao mundo cada vez mais laicista que se torna a Europa. Mais informações sobre o encontro em ZENIT.

Enquanto em alguns países a presença do cristianismo é duramente atacada, em outros países, devido ao aumento significativo da população muçulmana, surge com cada vez mais força a vontade dessa comunidade de erguer seus templos em solo europeu em dimensões similares aos templos do mundo árabe.

Penso eu que essa iniciativa é muito perigosa não só para os cristãos, mas para a Europa, pois todos sabemos que a mentalidade islâmica não é amiga da liberdade religiosa e, se a Europa é o que é hoje, deve isso a sua herança cristã. Uma hipotética mudança dessa magnitude no velho mundo tem uma possibilidade muito alta de estagnar o desenvolvimento do continente como um todo, de modo semelhante ao que aconteceu com a expansão do Islã no mundo árabe, que antes da religião, era um dos pólos mais promissores na área das ciências exatas.

Além do mais, tenho como uma opinião pessoal minha que os europeus devem ser recíprocos aos descendentes de árabes nesse caso. Que eles gozem da mesma liberdade que gozamos em suas terras. Se os cristãos puderem erguer seus templos em solo árabe, que eles construam mesquitas na Europa. Caso contrário, que não ergam um minarete no velho mundo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

terça-feira, 3 de junho de 2008

Luiz Mott: suas idéias são caso de segurança pública

Saudações queridos leitores!

Eu normalmente não gosto de elaborar artigos sobre pessoas, mas nesse caso, percebo que é necessário alertar a todas as pessoas, sejam católicas ou não, sobre os evidentes perigos que a conduta de Luiz Mott apresenta para a liberdade em nosso país.

Para quem não conhece, Luiz Mott é o líder da ONG Grupo Gay da Bahia. É uma das maiores lideranças da minoria homossexual em nosso país e um dos militantes mais agressivos da causa. Ele tem uma vida recheada de declarações polêmicas, com viés preconceituoso, autoritário e totalitário, que mostra que sua luta não é meramente por reconhecimento de direitos da minoria homossexual, mas sim por uma hegemonia de pensamento, por uma aceitação e louvor forçados ao comportamento homossexual, envolvida em um totalitarismo digno dos piores regimes que já assolaram nosso mundo.

Em sua mais recente investida contra as vozes discordantes de sua conduta, ele publicou, de maneira suja, asquerosa e criminosa, os endereços residenciais de ativistas pró-família e contrários à sodomia pela qual Luiz Mott luta. Alguns ativistas declararam que estão com medo de represálias vindas da comunidade gay. O modo como o endereço dos ativistas foi parar nas mãos de Mott é desconhecido.

Os ideais totalitários, praticamente megalômanos de Luiz Mott são expostos com maestria por Olavo de Carvalho, em seu artigo "O Evangelho segundo Luiz Mott". Nesse artigo fica claro como Luiz Mott não quer o fim à discriminação contra os homossexuais, mas sim, quer que os Católicos não condenem a prática homossexual nem mesmo dentro das Igrejas, que aceitem passivos às imposições delirantes de Luiz Mott e que ainda por cima, a Bíblia seja rasgada, com todas as condenações à prática homossexual e às bandeiras defendidas por Mott sejam censuradas! Vejam parte da análise que Olavo de Carvalho faz do pensamento de Mott:

"O Professor Doutor não prega abertamente a proibição do livro, mas deixa claro que só está disposto a permitir sua leitura em voz alta se ele for expurgado de todos os trechos considerados inconvenientes. A pergunta “Quem fará a seleção?” é ociosa, pois, de um lado, o Professor Doutor já considerou desqualificados para essa função “o Papa Ratzinger, os pastores fundamentalistas et caterva ”, subentendendo por esta expressão latina todos os desafetos do movimento gay ; de outro lado, ele próprio já fixou o critério seletivo: devem ser excluídos todos os versículos desagradáveis aos gays, às feministas, aos abortistas, aos adeptos de religiões fetichistas e animistas, bem como aos não-cristãos e não-judeus em geral, que se sentem barbaramente discriminados ao ouvir dizer que os primeiros são Filhos de Deus e os segundos são o Povo Eleito."

Em um artigo de tom blasfemador, intitulado "Jesus era gay?", de 2004, Luiz Mott passa diversas inverdades sobre fatos históricos, enquanto omite e distorce outros tantos, para tentar usurpar de Nosso Senhor Jesus Cristo e torná-lo um símbolo gay. É o cúmulo da arrogância! Confesso que meu estômago embrulhou enquanto lia o artigo de Mott. Graças a Deus que consegui resistir para chegar até o fim. Santo Antão me ajudou nessa.

Luiz Mott tenta, no começo de seu artigo, negar a existência de Nosso Senhor Jesus Cristo, ao questionar as relíquias da Santa Cruz e do Santo Sudário, que ele afirma serem farsas, coisa que nem os cientistas fazem (vale lembrar que essas relíquias nunca foram usadas como prova da existência de Cristo), enquanto questiona a veracidade dos Evangelhos, baseando-se em supostas contradições entre os Evangelistas.

Mas em seu artigo, Luiz Mott muda de idéia e começa a aceitar os Evangelhos, mas não como qualquer cristão, mas sim, como provas de que Jesus Cristo era homossexual! Ele distorce de maneira grosseira o relacionamento que Nosso Senhor tinha com os Apóstolos, fazendo a insinuação de que Nosso Senhor tinha um caso com São João Apóstolo e que os Apóstolos praticaram sodomia no Horto das Oliveiras! É blasfêmia pura, sem base alguma, usada simplesmente para militar em prol da causa sodomita!

No fim de seu show de horrores, Luiz Mott incita os homossexuais a usurpar da figura de Nosso Senhor Jesus Cristo, lhes incentivando a se apropriar de Jesus como um ícone gay.

Como vemos, Luiz Mott não quer apenas que os homossexuais tenham direitos reconhecidos. Ele quer reescrever a Bíblia, redefinir o Cristianismo, usurpar de Jesus Cristo e torná-lo um personagem gay e quer punição para quem ousar entrar em seu caminho.

Luiz Mott é assunto de segurança pública.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Ditadura Gay: O comportamento homossexual

Saudações queridos leitores!

Poucos dias atrás presenciamos, com um grande alarde da mídia, a Parada do Orgulho Gay em São Paulo. Essa parada representa as reivindicações não dos homossexuais, mas sim dos gays. Pode não parecer, mas existe uma diferença entre as pessoas qualificadas por esses dois termos. Por homossexual, devemos entender aquelas pessoas que possuem o desejo por outras pessoas do mesmo sexo. Agora, o gay, esse é o homossexual militante, que levanta aquela bandeira de arco-íris e que milita em prol da ditadura gay que se instala aos poucos no Brasil. Esses não se contentam em exercer a sua sexualidade como bem entendem, entre quatro paredes, como fazem maioria absoluta das pessoas, eles querem que sua sexualidade seja conhecida, aceita e aplaudida, até mesmo por quem discorda dela. Mesmo que as pessoas tenham o direito de discordar da conduta dos homossexuais, os mesmos não aceitam tal discordância e fazem de tudo para calar toda e qualquer voz contrária, mesmo que seja pelos meios mais sujos, conforme foi mostrado no artigo do Mídia Sem Máscara, que foi reproduzido aqui.

Essa fúria homossexual é freqüentemente descarregada com especial força sobre a Igreja Católica. A simples oposição ao ato homossexual é taxada de homofobia, reacionarismo, e vários outros termos pejorativos. Mas esses mesmos militantes não percebem que são contaminados por uma "catolicofobia", que faz com que eles ataquem a Igreja de modo exatamente igual ao que eles acusam a Igreja de atacá-los. É uma mentira grotesca que a Igreja discrimina os homossexuais. Mas é uma verdade que a mesma Igreja reprova seu comportamento, do mesmo jeito que reprova o adultério e a fornicação dos heterossexuais, o roubo, o falso testemunho e tudo mais que vá contra a Lei de Deus. Falarei mais sobre isso adiante.

Numa sociedade pluralista (pleonasmo inventado por sociólogos moderninhos) espera-se que os homossexuais tenham garantidos o respeito que lhes é devido, mas que estes também respeitem determinados parâmetros e não façam as pessoas aceitarem de forma agressiva seu modo de ser. Penso por exemplo, que a chamada "Parada do Orgulho Gay" atrai muito mais antipatia do que simpatia à causa,se é que podemos chamá-la assim.

A homossexualidade existe assim como muitos outras formas se sexualidade. Isso não quer dizer que sejam todas elas lindas e maravilhosas. Penso,por exemplo, por qual razão a Parada e seus organizadores valorizam tanto comportamentos neuróticos como o fetiche,o sado-masoquismo e mesmo a pedofilia. Poderia ser uma "parada" bem menos aberrante.

Ocorre que quando a Igreja se posiciona a respeito dessas questões,ela tida por "Homófoba"(outro neologismo). Ora homófobo é aquele indivíduo que odeia o homossexual simplesmente por ele existir, sem importar-se com seu caráter, profissão e fé. É quem agride agride fisicamente e impede o acesso ao trabalho.

A Igreja, em seu Catecismo nos pede que acolhamos os gays, homossexuais ou seja lá o nome que se queira dar. Mas ela também tem suas diretrizes em relação a esse comportamento. O fato de ela não aceitar a união entre homossexuais é simples. Para nós, católicos,casamento é firmado pelo Sacramento do Matrimônio, o qual é voltado ao homem e a mulher. Simples assim. Para a Igreja Católica e para seus fiéis, a família se baseia nesse princípio. Entendemos por experiência milenar que uma criança encontra seu bem estar em famílias assim estruradas, salvo casos de viuvez ou abandono do lar por parte de um dos cônjuges. Se encontramos esse modelo muitas vezes doente, não é culpa da Igreja.

Vejo também com muita apreensão as atitudes do Luiz Mott, líder do Grupo Gay da Bahia. Em cada esquina ele vê um uma atitude de homofobia ou um homossexual enrustido. Mesmo entre os ativistas mais ferrenhos há uma atitude agressiva de patrulhamento segundo a qual TODOS os homossexuais deveríam apoiar incondicionalmente a causa. Lembro-me uma vez das críticas que fizeram ao cantor Ney Matogrosso porque ele não participava do movimento. Este artista sempre deixou clara sua homossexiualidade mas também que não queria levantar bandeiras. Foi criticado por preferir auxiliar em causas mais urgentes como o tratamento da hanseníase.

Então pergunto: de onde vem a intolerância? Será que é tudo lindo nesse movimento que quer transformar a sociedade de acordo com aquilo que um certo grupo pensa? E que ainda distorce questões profundas e embasadas como a visão da Igreja diante de tudo isso?

Pense no quesito "adotar crianças", por exemplo. Uma criança não precisa somente de amor, mas também de modelos:o masculino e o feminino. Nem sempre isso é possível, sabemos; a criança pode ser órfã, ser criada pela mãe, pelo pai, um tutor ou orfanato. Mas espera-se que existam outras figuras que as substituam no universo familiar e social da criança. E ainda pergunto: que tipo de homossexuais poderíam adotar uma criança? Teria ela boas condições de ser criada por um travesti, um transformista? Por mulheres masculinizadas? Nessa situação, a Justiça deveria fazer discriminações?

Onde se encaixariam os valores religiosos? Não seria no mínimo estranho e contraditório esses "pais" batizarem e ofecer-lhe a fé cristã, nessas condições?

Como se vê são muitos desejos sem se pensar ao menos em conseqüências. Fruto de um mundo imediatista."Quero isso agora,e pronto. Quem é contra é criminoso, intolerante, atrasado, medieval, reacionário!".

Diante disso tudo, é que penso na Igreja como uma senhora "com dois mil anos de janela". Já viu muita coisa, alertou a respeito de muitas outras. Portanto pode com muita autoridade nos advertir quanto aos rumos que estamos dando à nossa sociedade.

Dando continuidade: O que dizer da chamada "Cultura Gay" que a mídia procura disseminar entre adolescentes? Observa-se uma crescente experimentação de comportamento homossexual entre certos grupos e "tribos". Isso é propaganda e jovem compra, mesmo não havendo uma orientação claramente homossexual nele. E a sociedade não deveria reagir a isso? Os pais? Assistam meia hora da MTV e vejam o que de lá se aproveita...Tais experimentações por parte dos jovens não poderão custar alto demais no futuro? Quais? Pensemos somente na questão da identificação: Quem sou? Do que gosto? Mas talvez para os defensores da liberdade sem limites tudo seja válido. Só posso garantir que sessões de psicoterapia não são baratas.

Outra questão: o que dizer do tal "selo de qualidade gay" para estabelecimentos comerciais? Ora, uma loja deve atnder delicadamente a qualquer cliente seja ele negro, oriental, judeu, umbandista, ateu, petista, hetero ou homossexual. Mas seja quem for o cliente, ele também deve saber respeitar o estabelecimento e por extensão, outros clientes que estejam no local. Se é incoveniente um beijo escandaloso de dois jovens namorados numa loja de sapatos, o mesmo também é para dois homens, duas mulheres ou homem e um cachorro (sim,há muita coisa hoje por aí que a gente ainda vai ver). Mas se alguém reclama, é intolerante preconceituoso, medieval(!).E com isso tudo, esse selo quer também o que? Dizer que o comerciante apóia a causa? Causa-me espanto que apoiar certas causas não tem mesmo qualquer ligação ideológica.

O comportamento homossexual é algo que, se for seguido por toda a população, levaria a nossa raça à extinção.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Santo Sudário voltará a ser exibido em 2010

Saudações queridos leitores!

O Santo Padre anunciou que o Santo Sudário, a mortalha que é venerada pelos Católicos como o pano que envolveu Nosso Senhor Jesus Cristo voltará a ser exposta ao público em 2010! A última vez que o sudário foi exposto foi em 2000, ano do Jubileu. A notícia pode ser encontrada no Estadão e em ZENIT.

O pano, com 4,4 metros de comprimento por 1,2 metro de largura, exibe a inexplicável imagem invertida que lembra o negativo de uma foto de um homem que foi crucificado.

O caráter científico do sudário começou a ser estudado a partir de 1898, quando um fotógrafo de Turim constatou que o negativo das imagens representam o corpo e o rosto de um homem crucificado segundo contavam os Evangelhos.

Em 1989 o pano foi submetido a um teste de carbono 14, estabelecendo-se que era um tecido datado entre 1260 e 1390. Especialistas de prestígio científico reconhecido criticaram aqueles exames por considerar que não tiveram rigor necessário. Também foi constatado que o pedaço utilizado para a realização dos testes era parte de um remendo sofrido nessa mesma época, quando um incêndio ocorrido em 1532 afetou a sua capela e pela água das tentativas de o controlá-lo e que deixou o pano danificado, criando algumas das marcas que vemos hoje.

Ao visitar o Santo Sudário na catedral de Turim, em 24 de maio de 1998, João Paulo II explicou que o lenço constitui um "desafio à inteligência" pela extraordinária crônica visual que oferece da paixão de Cristo.

"Dado que não se trata de uma matéria de fé, a Igreja não tem competência específica para aprofundar-se sobre essas questões. Encomenda aos cientistas a tarefa de continuar investigando para encontrar respostas adequadas aos interrogantes relacionados com este lenço que, segundo a tradição, envolveu o corpo de nosso Redentor quando foi deposto da cruz", disse o falecido Papa nessa ocasião (Cf. João Paulo II, 24 de maio de 1998).

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 1 de junho de 2008

Evangelho de Domingo - 9° Domingo do Tempo Comum

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários de Santo Afraate.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.

Evangelho (Mt 7, 21-27 (9º Domingo do Tempo Comum))

21Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dosCéus, mas o que faz a vontade de Meu Pai que está nos Céus. 22Muitos hão-de dizer-Me naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome e em Teu nome expulsamos demônios e em Teu nome fizemos muitos milagres? 23Então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci, apartai-vos de Mim, obreiros da iniqüidade.

24Todo aquele, pois, que ouve estas Minhas palavras e as põe em prática, é semelhante a um homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha. 25E caiu a chuva, e vieram os rios, e sopraram os ventos, e precipitaram-se contra aquela casa, mas ela não desabou porque estava fundada sobre a rocha. 26E todo o que ouve estas Minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. 27E caiu a chuva e vieram os rios, e sopraram os ventos, e precipitaram-se contra aquela casa, e ela desabou, e a sua ruína foi grande.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por:

Santo Afraate (?-c. 345), monge e bispo em Niínive, perto de Mossul, no atual Iraque

Exposições nº 1

«Porque ninguém pode pôr outro fundamento diferente do que foi posto, isto é, Jesus Cristo» (1Co 3, 11) Um rei não permanece numa casa que se encontra vazia de tudo. Um rei exige toda uma ornamentação doméstica, por forma a que nada lhe falte. [...] O mesmo acontece ao homem que se torna uma habitação para Cristo-Messias: provê a tudo quanto convém ao serviço do Messias que nele habita, provê às coisas que Lhe agradam.

Com efeito, começa por construir o seu edifício sobre a rocha, que é o próprio Messias. Sobre esta rocha faz assentar a fé, e é sobre a fé que se eleva todo o edifício. Para que a casa se torne Sua morada, é-lhe exigido o puro jejum, estabelecido sobre a fé. É-lhe exigida a oração pura, recebida na fé. É-lhe exigido o amor, montado sobre a fé. Tem igualmente necessidade de esmolas, dadas com fé. Que peça a humildade, amada com fé. Que escolha para si a virgindade, apreciada na fé. Que leve para sua casa a santidade, plantada sobre a fé. Que medite igualmente na sabedoria, encontrada na fé. Que peça para si a condição de estrangeiro, proveitosa na fé. Terá de ter simplicidade, combinada com a fé. Que peça igualmente paciência, que é realizada por meio da fé. Que se torne perspicaz pela doçura, adquirida pela fé. Que ame a penitência, que aparece à fé. Que peça ainda a pureza, guardada pela fé. [...] Eis as obras exigidas pelo rei Messias, que habita nos homens que constroem por meio de tais obras. Com efeito, a fé é composta por muitas coisas e adorna-se com muitas cores, porque é semelhante a um edifício construído com diversos materiais, e o seu edifício eleva-se até aos céus. [...]

O mesmo se passa com a nossa fé: o seu fundamento é a verdadeira rocha, Nosso Senhor Jesus, o Messias. [...] Este fundamento é a base de todo o edifício. Se alguém acede à fé, está firmado sobre a rocha, isto é, sobre Nosso Senhor Jesus, o Messias. E o seu edifício não será abalado pelas torrentes, nem colocado em perigo pelos ventos, nem se abaterá nas tempestades, porque o edifício foi construído sobre a rocha, que é o verdadeiro fundamento.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.