sábado, 17 de maio de 2008

Mais de seiscentos mil equatorianos respaldam direito à vida

Saudações queridos leitores!

O Equador é um dos países Sul Americanos que estão passando por problemas causados por despautérios dos governos. O Brasil, a Bolívia e a Venezuela também vivem problemas semelhantes, em maior ou menor grau. No Equador, os cidadãos começam a se mobilizar para evitar que conceitos contrários à vida e à família sejam aprovados. Fiquem com reportagem de ZENIT (íntegra aqui), volto depois.

Mais de seiscentos mil equatorianos respaldam direito à vida

Apóiam as mudanças ao texto constitucional indicadas pela Conferência Episcopal

QUITO, sexta-feira, 16 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Dom Antonio Arregui, arcebispo de Guayaquil e presidente da Conferência Episcopal, acompanhado por outras autoridades da Igreja e representantes de várias entidades entregaram em 14 de maio, ao presidente da Assembléia Constituinte do Equador mais de seiscentas mil assinaturas de equatorianos que respaldam as modificações ao texto constitucional indicadas pelos bispos do país.

O bispo Arregui, segundo informa a agência missionária da Santa Sé «Fides», leu a carta entregue ao economista Acosta, na qual reitera o pedido dos equatorianos de que «sob a proteção de Deus, reconheça-se o direito à vida desde a concepção até a morte natural, reconheça-se e proteja a família formada por homem e mulher, garantam-se os direitos das famílias, especialmente à educação de seus filhos conforme as próprias convicções».

Na carta, além de pedir que «não se façam injustas discriminações às pessoas homossexuais, que devem ter o mesmo patrimônio jurídico que o resto dos cidadãos», assinalam também «a inconveniência de oferecer uma lei especial para as uniões entre pessoas homossexuais, cujas situações jurídicas de interesse mútuo têm o amparo do direito comum».

Às assinaturas apresentadas – exatamente 636.417 – continuam se somando outras de equatorianos que respaldam o pedido da Conferência Episcopal. As assinaturas foram recolhidas em todo o país em um quadro de total liberdade e consciente adesão, sem efetuar gasto algum». Os firmantes são «cidadãos comuns».

Voltei. De acordo com meus cálculos, aproximadamente 5% da população Equatoriana assinou o manifesto da Igreja. É uma porcentagem pequena, mas como toda minoria, deve ser ouvida e acatada dentro do que determina a Lei. Além do mais, o Equador, como nação cristã, certamente possui uma parte muito maior da população que não assinou o documento que apóia as proposições expostas lá, que apóiam a vida incondicionalmente.

Incrível como no mundo de hoje temos que nos manifestar contra a morte, depois de tantas experiências terríveis que vivemos em nosso passado recente.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Justiça da Bahia manda recolher livro de padre

Saudações queridos leitores!

A Justiça da Bahia mandou recolher um livor escrito pelo Monsenhor Jonas Abib. De acordo com a reportagem, houve "incitação ao desrespeito religioso". Do jeito que a reportagem foi escrita, fica difícil acreditar. Fiquem com notícia do Terra (fonte aqui), transcrita na íntegra, volto depois.

Justiça da Bahia manda recolher livro de padre

Todos os exemplares do livro "Sim, Sim! Não, Não! Reflexões de Cura e Libertação", da editora Canção Nova, do padre Jonas Abib, terão de ser recolhidos em Salvador (BA). A determinação é da Justiça da Bahia. O padre é fundador da comunidade católica Canção Nova, ligada à Renovação Carismática, ala conservadora da Igreja. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Segundo o Ministério Público baiano, que pediu o recolhimento do livro, o padre cometeu o crime de "prática e incitação de discriminação ou preconceito religioso", previsto na lei 7.716, de 1989. Cabe recurso à Justiça.

O promotor Almiro Sena alegou que Abib faz "afirmações inverídicas e preconceituosas à religião espírita e às religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, além de flagrante incitação à destruição e ao desrespeito aos seus objetos de culto".

A editora Canção Nova informou que não foi comunicada da decisão judicial e negou que o livro incorra em preconceito religioso.

Voltei. Em primeiro lugar, a reportagem, apesar de colocar a afirmação do promotor, não destacou sequer um trecho em que tais práticas atribuídas ao Monsenhor Jonas Abib são cometidas, o que torna um bocado difícil formular qualquer opinião a respeito.

Será que nenhum jornalista conseguiu um exemplar da obra, que continua a ser vendida em todo o Brasil para verificar as acusações?

Engraçado como em uma hora dessas classificam a Renovação Carismática como ala conservadora da Igreja... Tudo bem que eles têm uma grande fidelidade ao Santo Padre, uma grande devoção e uma cultura de piedade, mas alguns abusos cometidos na RCC a deixam um pouco longe de ser classificada como conservadora, no bom sentido da palavra.

Nem sequer sabemos se houve o crime de qual Monsenhor Jonas é acusado, mas será que diante de uma suspeita de crime semelhante cometido contra a Igreja Católica e seus fiéis, o Ministério Público da Bahia agiria com tanta rapidez e rigor?

"Porque os deuses dos pagãos, sejam quais forem, não passam de demônios." (Salmo XCV, 5, traduzido da Vulgata Latina).

Será que vão censurar a Bíblia também?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Páscoa dos militares leva membros das Forças Armadas às Igrejas

Saudações queridos leitores!

Está aí uma coisa que eu desconhecia. Até porque não tenho militares na família, nunca tinha ouvido falar da Páscoa dos Militares. Meus parabéns às Forças Armadas, que demonstram a sua Fé em tempos tão difíceis para os Cristãos. Fiquem com reportagem da Canção Nova.

Páscoa dos militares leva membros das Forças Armadas às Igrejas


José Augusto Júnior
Canção Nova Notícias, Rio de Janeiro

A Páscoa dos Militares foi comemorada nesta sexta-feira, 16, em todo o Brasil. A data levou milhares de membros das Forças Armadas às Igrejas. No Rio de Janeiro, o Cardeal Dom Eusébio Scheidt presidiu Missa na Catedral Metropolitana. A celebração foi marcada por momentos de fé e se diferenciou pela execução do Hino Nacional e pela sincronia na diposição dos membros da Marinha, do Exército e da Aeronáutica na Igreja. Tais fatos despertaram a curiosidade de quem passou pelos arredores da Igreja.

A "Páscoa fora de época" existe para os militares desde 1924. A idéia surgiu para conciliar o calendário com as escalas de serviço das Forças Armadas.

Assista à reportagem




Voltei. Uma feliz e santa Páscoa para todos os Militares do Brasil!


Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

União de Homossexuais é liberada na Califórnia

Saudações queridos leitores!

Governos democráticos devem garantir os direitos básicos a todos os cidadãos e no restante, deve seguir sempre os desejos da maioria. Infelizmente não é isso que acontece na Califórnia, onde o Governo passou por cima dos desejos expressos da população em nome da minoria homossexual. Fiquem com notícia de ACI, volto depois.

Bispos lamentam decisão de Corte que legaliza o “matrimônio” homossexual em Califórnia

.- A Conferência de Bispos de Califórnia (Estados Unidos) condenou a decisão da

Corte Suprema de Califórnia, anunciada nesta quinta-feira, de declarar legal o “matrimônio” homossexual no estado mais populoso dos Estados Unidos.

Em uma decisão de 4 a 3 juizes, a Corte Suprema do estado mais rico do país declarou que a proposição que reconhecia que o matrimônio só se podia dar entre pessoas de distinto sexo é “inconstitucional”, e que portanto as pessoas do mesmo sexo devem ter “direito” ao “matrimônio”.

A decisão judicial deixa sem efeito a “Proposição 22”, uma iniciativa aprovada em 2000 pelo 61.4% dos votantes no estado, que definiam o matrimônio em Califórnia como um ato exclusivo entre um homem e uma mulher.

“A Conferência de Bispos Católicos de Califórnia expressa sua frustração perante a decisão da Corte Suprema de Califórnia de declarar a Proposição 22 inconstitucional”, diz o documento dos Bispos.

“A Proposição 22, que assinala que '’só o matrimônio entre um homem e uma mulher é válido e reconhecido em Califórnia’, foi aprovado faz oito anos por uma maioria de 61.2 contra 38.8 por cento”, lembram os bispos; e assinalam que esta votação “refletia a sabedoria dos eleitores de Califórnia ao manter a definição tradicional do matrimônio como uma realidade biológica e um bem para a sociedade. Infelizmente, hoje, a corte acreditou conveniente ignorar a vontade da maioria do povo de Califórnia”.

Voltei. De acordo com o Relatório Kinsey, aproximadamente 10% da população mundial é gay. Mas essa minoria está acuando a grande maioria heterossexual, com sua rede de articulações e lobbies, estão destruindo o conceito tradicional de família. Como vemos na reportagem, o Governo da Califórnia passou por cima de uma decisão soberana de maioria da população, que havia expressado a aceitação do conceito de que o casamento é exclusivamente a união entre um homem e uma mulher.

Ao se permitir que qualquer simulacro de união seja considerado matrimônio, desconstrói-se um dos pilares da civilização ocidental, uma das bases que nos permitiram chegar até onde chegamos. A união homossexual é algo que termina em si mesma. Como tal união impossibilita o nascimento de filhos pelas vias naturais, é algo que, se levado às últimas conseqüências, leva a humanidade à extinção.

Deparando-se com a impossibilidade de geração de filhos, "casais" homossexuais também fazem pressão para obter poder de adotar crianças, que são criadas em estruturas familiares anormais e que acabam sofrendo distorções irreversíveis em seus conceitos morais.

O comportamento homossexual é muito mais perigoso do que parece.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Papa acusa mídia de incentivar prostituição e pedofilia

Saudações queridos leitores!

O Santo Padre está colocando as coisas no lugar. Normalmente a imprensa não recebe bem as críticas e nesse caso duvido que seja diferente. Fiquem com notícia do Terra (fonte aqui), volto depois.

Papa acusa mídia de incentivar prostituição e pedofilia

O papa Bento XVI acusou os meios de comunicação e a indústria do entretenimento de prejudicarem a sociedade ao retratarem a sexualidade de forma trivial, o que, segundo o pontífice, estaria entre as causas de males sociais como a prostituição e a pedofilia.

O Papa deu essas declarações durante um pronunciamento feito diante de bispos da Tailândia, que, nas palavras dele, estavam particularmente preocupados com o tráfico de mulheres e de crianças bem como com a prostituição.

"Sem dúvida, a pobreza é um fator subjacente a esses fenômenos", disse Bento XVI, que nasceu na Alemanha.

"Mas há um outro aspecto que precisamos reconhecer. Estou me referindo à trivialização da sexualidade nos meios de comunicação e na indústria do entretenimento, o que alimenta o declínio dos valores morais."

Segundo o Papa, a forma como os meios de comunicação apresentavam a sexualidade também alimentava a "degradação das mulheres, a fragilização da fidelidade no casamento e até mesmo o abuso sexual de crianças."

Voltei. Vejam, achei a chamada da reportagem muito forte para o conteúdo. É claro que a crítica é válida, mas o sentido dado na chamada é amplo demais para a verdadeira situação. Não pode haver essa generalização de que a mídia como um todo incentive propositalmente tais comportamentos. É claro que há muito erotismo sendo lançado hoje em dia na cara de qualquer pessoa, independente da idade que ligue um aparelho de TV.

Normalmente a mídia recebe muito mal as críticas. Sendo exposta de maneira tão clara a seus crimes, provavelmente vai reagir duramente, caso o Santo Padre insista em abordar essa tese. Mas ataques da mídia são enfrentados pela Igreja há muito tempo... como me disse um amigo, não há outra forma de ser profético.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Cristina Kirchner decide mudar Te Deum por "cerimônia multi-religiosa"

Saudações queridos leitores!

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, demonstra que não dá muita bola e não respeita as tradições Catolicas. Em seu último ato presidencial, ela declara que vai acabar com uma tradição de quase dois séculos na Argentina, que é a cerimônia do Te Deus que ocorre na Catedral de Buenos Aires. Fiquem com reportagem da ACI, volto depois.

Kirchner decide mudar Te Deum por "cerimônia multi-religiosa"

.- O governo de Cristina Kirchner, em uma nova atitude de desplante às autoridades da Igreja Católica na Argentina por sua postura independente, anunciou que cortará uma tradição de 198 anos e substituirá o tradicional Te Deum de 25 de Maio na Catedral de Buenos Aires por uma cerimônia "multi-religiosa" em Salta… a província mais católica da Argentina.

Nenhum bispo argentino se pronunciou oficialmente sobre a insólita decisão da Presidenta; mas o Presidente da Pastoral Universitária de Buenos Aires, o Pe. Guillermo Marcó –até recentemente porta-voz do Arcebispado de Buenos Aires–, falou sem rodeios com a agência Notícias Argentinas e explicou que o traslado do ato ao norte argentino se deve ao "desagrado" do oficialismo pelas francas homilias do Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Jorge Bergoglio.

O Pe. Marcó descartou o argumento da Presidência, que justificou a decisão do traslado com o suposto fim de "federalizar" um festejo que comemora um evento estritamente capitalino, pois foi o conselho de Buenos Aires quem decidiu, em 25 de maio de 1810, criar o primeiro governo rioplatense independente da Espanha. A cerimônia tradicionalmente federal na Argentina é 9 de julho.

"Durante muito tempo a única instituição que advertia sobre os perigos de algumas tendências deste governo e do anterior foi a Igreja Católica"; disse o Pe. Marcó a Notícias Argentinas. "um pouco o que marca esta fuga de Buenos Aires é o desagrado pelas homilias do Cardeal", adicionou.

Não é a primeira vez que os Kirchner reagem contra as justas críticas das autoridades eclesiásticas. Em 2005, interrompendo uma longa tradição, Néstor Kirchner decidiu mudar o Te Deum a Santiago del Estero e em 2007 a Mendoza, logo do mal-estar que lhe causaram os comentários sobre a realidade argentina do Cardeal Bergoglio na Missa de 2006.

Voltei. Como podem ver, queridos leitores, Cristina está aprendendo direitinho com Hugo Chávez, financiador de sua campanha eleitoral e com Evo Morales, índio cocalero que na verdade é um rascunho de Chávez, o caudilho-mor do lado debaixo do Equador.

Para demonstrar seu descontentamento com as críticas recebidas da Igreja, ela usa do poder do Estado para atacar a Igreja de modo sutil. Não há fundamento para as mudanças que ela ordenou, só a ameaça velada mesmo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Dom Joseph Naumann para a CNBB! Urgente!

Saudações queridos leitores!

Apesar de algumas maluquices promovidas nos Estados Unidos em nome do Estado Laico, ainda acho que lá é um bom lugar para ser Católico. Vejam o exemplo dado pelo Arcebispo de Kansas City. Por ACI, volto depois.

Arcebispo pede a governadora abortista de Kansas que se abstenha de comungar

.- O Arcebispo de Kansas City, Dom Joseph F. Naumann, admoestou publicamente à governadora de Kansas, Kathleen Sebelius, por ter vetado uma lei que restringia o aborto e lhe pediu abster-se de comungar.

Conforme informou o periódico diocesano The Leaven, o Arcebispo considera que o abortismo de Sebelius –potencial candidata a vice-presidência nacional pelo Partido Democrata- transmite a falsa idéia de que a defesa da vida é um ensinamento opcional da Igreja.

Sebelius, que se declara católica, recebeu donativos para sua campanha eleitoral de George Tiller, um médico que pratica abortos tardios e é processado atualmente pela Corte Suprema de Kansas por ter violado supostamente as leis do estado sobre estas práticas anti-vida.

O Arcebispo pediu a Sebelius que se abstenha de receber a comunhão até que mude sua postura a favor do aborto.

Voltei. O Arcebispo está certíssimo. Que não só a Governadora, mas qualquer Católico que apóie as políticas contrárias à vida seja afastado da Santíssima Eucaristia. Isso não é feito para intimidar ou punir as pessoas, mas sim para preservar a Santíssima Eucaristia. A demonstração de zelo do Arcebispo é algo que precisamos ter aqui no Brasil.

Que falta faz alguns Bispos assim por aqui... Dom Joseph, venha atuar na CNBB!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Governo demoníaco anuncia introdução de aborto químico em Cuba

Saudações queridos leitores!

Depois eu falo que os comunistas promovem a morte, que se alimentam do sangue dos inocentes, que não se cansam de produzir cadáveres e aí dizem que sou radical e coisa e tal. Cuba, a ilha particular de Fidel Castro, está promovendo testes do horrendo aborto químico. Fiquem com notícia da ACI, volto depois.

Governo comunista anuncia introdução de aborto químico em Cuba

.- As autoridades sanitárias cubanas anunciaram a introdução do aborto químico na ilha, seguindo desta maneira os planos de organismos abortistas internacionais que fazem de Cuba um país cobáia na América Latina, ao ser a única nação onde o aborto é legal.

O presidente da Sociedade Cubana de Desenvolvimento da Família, Miguel Sosa, informou que se "começou, de forma limitada ainda, a introdução do aborto medicamentoso", o qual "irá-se estendendo escaladamente aos 96 hospitais autorizados" para praticar abortos.

Em declarações ao jornal oficial Granma, Sosa indicou que o objetivo é que 80 por cento dos abortos se realizem com métodos químicos "sob rigoroso controle médico". O médico cubano admitiu que na ilha o volume de abortos "é elevado".

O aborto químico consiste em induzir o consumo de um fármaco que inicia o processo abortivo, para logo terminá-lo como atenção de um aborto incompleto.

A fins do ano passado, Gynuity, a ONG que dirige a estratégia mundial do aborto químico, publicou um documento que introduz a prática do aborto de maneira maciça e ensina a driblar as legislações nacionais que o proibem.

Diante disso, Janet Ramos Barrientos, do Comitê Legal de Aliança Latino-americana para a Família (ALAFA), explicou a ACI Prensa que Gynuity está a cargo de dirigir esta estratégia mundial desde 2003.

Indicou que o projeto desenhado então para introduzir este tipo de aborto no Brasil, Colômbia, México e Peru, foi desenvolvido a pedido da International Planned Parenthood Federation (IPPF), o maior promotor de abortos cirúrgicos do mundo.

Voltei. O que os cubanos e as organizações abortistas têm o disparate de chamar de "planejamento familiar" não é nada mais que assassinato. Eles buscam formas cada vez mais cruéis de acabar com as vidas de nascituros inocentes. E nem mesmo alegam que as crianças sofrem de alguma deformidade ou colocam a vida da gestante em risco. É tudo em nome do planejamento familiar.

Será que eles não conseguem pensar que o planejamento familiar deve ser pensado em dois tempos: antes da concepção e após a concepção e que o aborto é um meio inaceitável para isso? Muitas organizações justificam o aborto como um meio que busca a dignidade da mulher. Mas essa dignidade é totalmente relativa, visto que ninguém pensa na dignidade do nascituro. Só usam a dignidade da mulher quando lhes convém.

Comunistas têm sede de sangue. Comunistas aumentam a taxa de mortalidade no mundo. O comunismo é uma ideologia demoníaca que, se não for extirpada do mundo, extirpará a humanidade.

Que Deus nos livre da maldição do aborto e do comunismo demoníaco!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Padre conta os segredos do trabalho de exorcista

Saudações queridos leitores!

Em uma reportagem boa, o jornal El Pais mostra um pouco (bem pouquinho mesmo) do trabalho de um padre exorcista, espécie rara hoje em dia. A íntegra da reportagem está acessível aqui (somente para assinantes). Fiquem com trechos da reportagem, volto depois.

Padre conta os segredos do trabalho de exorcista

(...)

O padre Fortea veste batina com um duro colarinho branco, estudou teologia na Universidade de Navarra e é pároco de Anchuelo, um povoado de 700 habitantes nas proximidades de Alcalá de Henares. Seu bispo o enviou para lá para que tivesse mais tempo de escrever livros e dar conferências. O prelado auxiliar de Madri e porta-voz da Conferência Episcopal, Juan Antonio Martínez Camino, dirigiu sua tese na faculdade de teologia da Pontifícia Universidade Católica de Comillas. Intitula-se "O Exorcismo na Época Atual". O sábio teólogo são Tomás de Aquino escreveu a "Suma Teológica". O padre Fortea publica agora sua "Summa Daemoniaca", um tratado completo de demonologia (editado na Espanha pela La Esfera de los Libros). Entre seus outros livros há um que se intitula "Exorcística", um manual de uso imprescindível por seus colegas.

O aspecto de Fortea é o de um padre da Opus Dei. De aparência tímida, voz contida, mas firme nos princípios, quase desafiador, fala com a segurança dos convictos, inclusive sobre as reticências de seus superiores pelo fato de ele sair tanto na mídia. Nasceu na mesma cidade que são Josemaría Escrivá [o fundador da Opus Dei], Barbastro (Huesca), em 1968. Mas não. "Não sou da Opus Dei, nunca fui. Fui a Navarra porque sua faculdade de teologia é uma das melhores do mundo, e em seu seminário havia uma grande vida espiritual. Sabia que sempre me considerariam da Opus Dei por ter ido, mas não me importava. O importante era me formar bem", afirma.

(...)

Apesar de suas relações com os demônios, Fortea concorda com o papa em que o inferno, como lugar concreto, não existe. Não é que compartilhe a afirmação de Schopenhauer -"o inferno é o mundo"- ou a de Sartre -"o inferno são os outros"-, mas quase. "O que são os campos de concentração senão o inferno? Grandes demônios Hitler e o doutor Mengele, por exemplo. O inferno é viver a ausência de Deus. Mas Deus tem de ser justo. Não pode não acontecer nada. O inferno é uma necessidade de justiça", diz. Sobre outros assuntos pode sair pela tangente. Afinal, "até Deus, às vezes, gosta de não ser sério; às vezes tem um senso de humor incrível".

(...)


Voltei. No primeiro trecho da reportagem, vemos como a Universidade de Navarra e o Opus Dei são caracterizados como instituições conservadoras, o que realmente são, mas não no sentido em que são. Parece soar confuso, mas isso acontece porque o significado de conservador para a mídia hoje em dia é algo quase que pejorativo, revestido de um tradicionalismo e um ritualismo que apenas remetem aos tempos medievais. Besteira! O conservadorismo está longe disso, está em se conservar aspectos imutáveis da humanidade.

No segundo trecho que destaco há um escorregão fenomenal, que tirou muito do crédito da reportagem. Lá diz que o Padre Fortea compartilha da visão de Bento XVI de que o inferno como um lugar concreto não existe. Isso está em desacordo com o que o próprio El Pais publicou alguns meses atrás, onde dizia em uma reportagem que o inferno realmente existe. A reportagem está aqui. Eles que se decidam sobre o que publicam sobre o Papa. Ficar desse jeito é que não dá.

Outro ponto a se esclarecer é que nem Bento XVI e nem João Paulo II, de grande memória, jamais negaram a existência do inferno como um lugar onde há dor. João Paulo II, ao dizer que o inferno é a ausência de Deus, não resume a idéia a isso, mas expõe um aspecto complementar, já que, no inferno, as almer terão o vislumbre eterno do Amor de Deus, mas nunca o alcançarão, passando a eternidade buscando algo que jamais poderão ter. É um aspecto muito terrível, mas não é tudo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

terça-feira, 13 de maio de 2008

É possível crer em Deus e extraterrestres, diz padre

Saudações queridos leitores!

O Padre José Gabriel Funes, diretor do Observatório Astronômico do Vaticano deu uma entrevista sobre possibilidade da existência de seres extraterrestres. As distorções e contradições na reportagem me deram um nó na cabeça. Fiquem com reportagem da ANSA, traduzida pelo Terra (íntegra aqui), volto depois.

É possível crer em Deus e extraterrestres, diz padre

O diretor do Observatório Astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, declarou que "é possível crer em Deus e nos extraterrestres" e "se pode admitir a existência de outros mundos e outras vidas, até mais evoluídas que a nossa, sem por isso colocar em discussão a fé na criação, na encarnação e na redenção".

Em entrevista ao jornal Osservatore Romano, o astrônomo jesuíta confirmou que a nova sede do observatório astronômico, que ficará em um monastério em Albano, deverá estar pronta dentro de um ano. Para lá serão transferidos os laboratórios, salas de estudo e a biblioteca do observatório, que se encontram na atual sede no Palácio Apostólico de Castel Gandolfo.

(...)

Segundo a Ansa, quando questionado sobre a possibilidade de tais extraterrestres serem pecadores, o padre afirmou: "Jesus reencarnou uma vez para todos. A reencarnação é um evento único e não pode ser repetido. Assim, estou seguro de que também eles, de algum modo, teriam a possibilidade de ter a misericórdia de Deus, assim como aconteceu para nós humanos".

Voltei. Os desvios começam já no título da reportagem. A crença em Deus e a crença na existência de extraterrestres possuem bases diferentes, não sendo possível compará-las, visto que a crença em Deus é um ato de fé e Sua existência, apesar de compreensível pela razão, não é provável cientificamente. Quanto aos ETs, sua existência é "acreditável" para usar um termo que seja melhor. "Eu acredito em ETs, mas creio em Deus".

Outro erro crasso, que eu recuso a admitir que a informação original seja assim, é quando o Terra publica que o Padre disse que "Jesus reencarnou uma vez para todos. A reencarnação é um evento único e não pode ser repetido". Isso é um erro enorme de tradução, visto que a frase é um paradoxo do nível da bola quadrada.

Se a encarnação é um evento único, a reencarnação é impossível. Ai que falta fazem jornalistas com um mínimo conhecimento religioso nas redações...

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Faculdade leva umbanda para sala de aula

Saudações queridos leitores!

Eu já vi muita coisa nessa vida, mas faculdade de umbanda é novidade. Fiquem com reportagem do UOL (íntegra aqui), volto depois.

Faculdade leva umbanda para sala de aula

De segunda a sexta-feira, por volta das 19h30, eles atravessam o pátio arborizado em direção ao templo. Bolsas, livros e sapatos enfileirados esperam do lado de fora, enquanto reverenciam o altar com flores, velas e oferendas aos guias espirituais. O ritual diário, para equilibrar energias positivas e negativas, antecede as aulas na FTU (Faculdade de Teologia Umbandista), na zona sul de São Paulo.

Autorizada em 2003 pelo então ministro da Educação, Cristovam Buarque, a instituição é a primeira no país que leva a umbanda, religião afro-brasileira para os bancos universitários. E são destes bancos que, no final do ano passado, saíram os primeiros 35 teólogos umbandistas diplomados do Brasil.

Os canudos desta turma, que iniciou a graduação em 2004, serão entregues em novembro deste ano. A princípio, a colação de grau poderia ser já no primeiro semestre. A prorrogação da festa em longo prazo tem motivo: coincidir com a comemoração do centenário da umbanda em terras brasileiras, marcada para o dia 15 daquele mês. Novembro marca ainda outra efeméride importante, o Dia da Consciência Negra.

Além destes já bacharéis em teologia umbandista, outros 150 estudantes também querem se especializar na umbanda, doutrina que mescla crenças e rituais africanos, indígenas e europeus. Eles freqüentam as aulas -- ministradas somente no período noturno -- de filosofia, inglês, metodologia científica, ciências políticas, antropologia, entre outras.

"São disciplinas convencionais de um curso superior, com a diferença de terem um viés espiritual", explica a professora Maria Elise G. B. M. Rivas, que também atende pelo nome iniciático de sacerdotisa Aramaracyê.

No último ano da graduação -- são quatro anos, no total --, a grade curricular se afunila em matérias mais específicas, como hermenêutica (interpretação de livros sagrados), botânica umbandista, medicina espiritual e administração templária. Além disso, os alunos têm duas aulas práticas quinzenais que envolvem ritos e liturgia.

(...)

A meta dos dirigentes da FTU é tornar público o ensino da umbanda. "Estamos buscando isso, mas é um plano a longo prazo, que precisa ser processado junto ao MEC (Ministério da Educação). Ainda vai levar um tempo porque estamos só começando".

Voltei. É uma iniciativa a que todos têm direito dentro de um Estado Laico. Gostemos ou não, eles estão em exercício de seus direitos e não os critico por isso. A minha opinião sobre os cultos africanos já é conhecida e não preciso ficar repetindo. O último parágrafo do texto é que me chama a atenção.

Espero que esse "tornar público o ensino da umbanda" não tenha nada a ver com proselitismo do culto em escolas públicas, pois aí já vai ser um problema, afinal de contas, como muitos gostam de jogar na cara dos Católicos, o Estado é laico.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Extremistas muçulmanos assassinam a jovem por deixar Islã e converter-se ao cristianismo

Saudações queridos leitores!

Mais uma vez extremistas islâmicos demonstram não ter o mínimo respeito ao próximo e condições de conviver no mundo. Em um ato brutal e covarde, assassinam um jovem somali por sua conversão ao cristianismo. Fiquem com reportagem de ACI, volto depois.

Extremistas muçulmanos assassinam a jovem por deixar Islã e converter-se ao cristianismo

.- A organização International Christian Concern (ICC) informou que extremistas islâmicos assassinaram uma jovem cristão convertido do islamismo; David Abdulwahab Mohamed Ali, em Mogadishu, Somália.

Conforme explica ACPress.net, este jovem de 29 anos abraçou a fé cristã em 1995, no Yemen, durante sua estadia neste país como refugiado. No ano 2000 se transladou a Etiópia, porque seu amigo Mohammed Omer Haji foi sentenciado a morte pelo governo do Yemen por confessar sua fé no Jesus Cristo. Depois de sua morte, corria perigo também sua vida.

David decidiu viajar a Somália em abril deste ano para visitar sua família. Um primo seu conduziu a vários membros de um grupo islâmico radical até onde estava. Ao chegar na sua presença, interrogaram-lhe sobre se seguia sendo muçulmano ou se converteu em um "infiel". À pergunta, David respondeu "Sou um seguidor do Messías".

Suas palavras enfureceram a todo o grupo. Foi seu primo o primeiro que atirou contra ele e logo o fizeram outros dois extremistas.

David, conforme explica ACPress.net levou a muitas pessoas à fé cristã. Era além disso um jovem culto e profundo, já que tinha estudos como lingüista e filósofo, até o ponto de que alguns etíopes de seu grupo de amigos o conheciam como "o grande pensador".

Voltei. Por mais que eu respeite os muçulmanos, tenho de repetir. O islamismo não sobreviveria em um ambiente sem violência, já que muitas vezes, as conversões são inibidas com base na violência. É assim nas nações predominantemente muçulmanas e é assim entre as comunidades muçulmanas nos países ocidentais. Se no ocidente eles não matam porque não conseguem, há ainda assim uma grande hostilidade voltada contra os conversos.

Bento XVI está certo quando lembra que o Islã tem se propagado por meio da espada. Ainda hoje é assim. Se os muçulmanos não gostam de ouvir isso, que mudem essa verdade então, pois está nas mãos deles.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Viagem do Papa causou impacto positivo nos católicos americanos

Saudações queridos leitores!

Mais efeitos da passagem de Bento XVI nos Estados Unidos. As opiniões positivas sobre o Santo Padre e a visão sobre a Doutrina Católica aumentaram consideravelmente, de acordo com pesquisa dos Cavaleiros de Colombo. Fiquem com reportagem de ZENIT (íntegra aqui), volto depois.

Viagem do Papa causou impacto nos católicos americanos, segundo pesquisa

Ajudou a compreender os ensinamentos da Igreja

NEW HAVEN, segunda-feira, 12 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Uma pesquisa dos Cavaleiros de Colombo revela que os católicos americanos compreendem melhor o ensinamento da Igreja, têm uma impressão mais positiva do Papa e é mais provável que se apresentem para votar, após a visita de Bento XVI aos Estados Unidos.

Os dados recolhidos pelo Instituto de Opinião Pública do Colégio Marista, publicados em 9 de maio, revelam que a viagem do Santo Padre em abril teve uma clara influência nos católicos praticantes e não-praticantes.

Por exemplo, a proporção de católicos praticantes que descrevem positivamente Bento XVI como um líder espiritual passou de 70%, antes da visita, a 82% depois, um aumento de 12%. Entre os não praticantes, a proporção foi de 62% antes da visita e 79% depois, um aumento de 17%.

Uma maioria de católicos, 54%, disse que se sentia mais próximo de seus valores espirituais como resultado da visita do Papa; 41% disse que era mais provável que votasse nas eleições de novembro; 64% dos católicos disse que tinha uma melhor compreensão da postura da Igreja Católica em temas importantes, como resultado da viagem.

(...)

O Instituto de Opinião Pública do Colégio Marista entrevistou 1.013 adultos de todo o país e os resultados da pesquisa publicada em 9 de maio são estatisticamente significativos a aproximadamente 4,4%. Todas as pesquisas foram feitas entre 22 e 29 de abril de 2008, imediatamente depois do retorno do Papa a Roma.

O resultado completo do estudo pode ser visto em

www.kofc.org/un/cmf/resources/Communications/documents/catholics_reflect.pdf

Voltei. Como a pesquisa foi realizada logo após a visita do Papa, penso que esses números podem, por um lado estar meio inflados, já que pela empolgação, muitos devem ter respondido sem ter um compromisso tão sério quanto se espera. Por outro lado, um dado muito significativo que dá pra tirar dessa pesquisa é que Bento XVI sempre causa uma ótima impressão por onde quer que passe.

Lembro-me de quando Ratzinger foi eleito Papa, que muitos temiam uma queda de popularidade, visto que João Paulo II, de grande memória, foi um fenômeno sem precedentes no tocante à popularidade. Esse medo hoje em dia foi superado, pois Bento XVI cativou o mundo inteiro com seu jeito simples e acolhedor.

Que Bento XVI viva tanto ou mais que Pedro!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Falece o "Anjo do Gueto de Varsóvia"

Saudações queridos leitores!

Coisas assim os anti-semitas de miolo mole ignoram. Fiquem com reportagem de ZENIT (íntegra aqui), volto depois.

Falece «uma das mais heróicas salvadoras católicas do holocausto»

Irena Sendler salvou a vida de 2.500 crianças judias

VARSÓVIA, segunda-feira, 12 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Irena Sendler, conhecida como «o anjo do Gueto de Varsóvia» por ter salvado do Holocausto 2.500 crianças judias, faleceu nesta segunda-feira em Varsóvia, aos 98 anos.

Irena era uma assistente social polonesa que organizou e dirigiu um grupo de mais de 20 pessoas para salvar da morte certa as crianças nesse bairro da capital polonesa sob a ocupação nazista. Como ela explicou depois, pôde realizar este trabalho graças à ajuda de religiosas polonesas.

A Fundação Internacional Raoul Wallenberg, uma organização não-governamental educativa internacional, fundada pelo argentino Baruj Tenembaum, que analisou e documentou numerosos casos de salvadores do Holocausto, em declarações à Zenit qualificou Sendler como «uma das mais heróicas salvadoras católicas do Holocausto».

Esta fundação com sede em Jerusalém, Nova York e Buenos Aires, recorda que este trabalho levou Irena a suportar a tortura na prisão nazista e uma condenação à morte que para sua sorte não foi executada.

Irena Sendler nasceu na Polônia em 1910. Quando a Alemanha invadiu o país em 1939, Irena era enfermeira no Departamento de Bem-estar Social de Varsóvia que era responsável pelos refeitórios da cidade.

Lá trabalhou incansavelmente para aliviar o sofrimento de milhares de pessoas, tanto judias como católicas. Graças a ela, estes refeitórios não só proporcionavam comida para órfãos, anciãos e pobres, mas também entregavam roupa, medicamentos e dinheiro.

(...)

Em 1965 recebeu o título de Justa entre as Nações pela organização Yad Vashem de Jerusalém e em 1991 foi declarada cidadã honorária de Israel.

Voltei. Irena Sendler viveu as virtudes cristãs de maneira heróica, amando ao próximo incondicionalmente e arriscando sua própria vida pela salvação de todos aqueles quanto pôde, sejam cristãos ou judeus.

O sentimento que todos devemos ter para com os judeus é de amor e respeito, pois eles foram os primeiros transmissores da Palavra de Deus. Nosso Senhor Jesus Cristo foi judeu, assim como Maria Santíssima.

Aqueles que denigrem e atacam os judeus, o fazem também a nós, Católicos. Aqueles que acolhem aos judeus, acolhem também a nós. Defender o judaísmo é defender parte de nossa herança.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 11 de maio de 2008

Discutir o aborto cria mentalidade perversa

Saudações queridos leitores!

Ao se permitir discutir a possibilidade de realização do aborto, abre-se um caminho para que se apóie e até mesmo que se incentive a morte. Com essa idéia, Dom João Carlos Petrini concede entrevista a ZENIT. Fiquem com a entrevista (fonte aqui), volto depois.

Discutir o aborto cria mentalidade perversa

Entrevista a Dom João Carlos Petrini, bispo auxiliar de Salvador (Brasil)

Por Alexandre Ribeiro

SALVADOR, domingo, 11 de maio de 2008 (ZENIT.org).- O simples fato de discutir sobre a possibilidade do aborto já abre a porta para «uma deformação da cultura, para uma mentalidade que cultiva uma sensibilidade perversa, na qual a morte aparece como solução».

É o que afirma nesta entrevista a Zenit Dom João Carlos Petrini, bispo auxiliar de Salvador (Bahia), especialista em questões de vida e família. Dom Petrini foi perito na Conferência de Aparecida no âmbito da bioética.

--Como está a questão demográfica no Brasil?

--Dom João Carlos Petrini: O índice de natalidade no Brasil está nos níveis da pura reposição. Cada mulher está em média gerando dois filhos. Isso quer dizer que os dois filhos gerados por uma mulher repõem o pai e a mãe que futuramente irão morrer. Nesse sentido, do ponto de vista demográfico, este é um índice pelo qual a população não cresce mais e fica apenas, digamos assim, num intercâmbio positivo. Abaixo de dois filhos por mulher começamos a ter aquilo que se chama de inverno demográfico, assim como acontece em muitos países da Europa, e com um processo de envelhecimento, porque os jovens vão diminuindo e os idosos continuam prolongando a sua vida graças a recursos da medicina. Isso cria desequilíbrios demográficos e desequilíbrios nas contas de qualquer nação. Porque se avolumam os gastos com aposentadoria, com saúde dos idosos, e não há jovens suficientes que possam repor os idosos e trabalhar para poder pagar inclusive a conta da população que vai envelhecendo.

É claro que a população brasileira continua aumentando como número absoluto. Não por causa de uma exagerada reprodução, como se poderia pensar há 20 ou 30 anos atrás. Mas por causa do aumento da expectativa de vida, graças às condições melhores de higiene, de saúde, das condições gerais de existência. A vida média que era, no começo do século passado, de 33 anos para um brasileiro, agora está em torno de 70 anos e acima de 70 anos. Mas esse crescimento do número absoluto da população brasileira é uma questão de pouco tempo. Na realidade, os índices de reprodução estão nesse momento na posição ideal.

--Que consequências uma cultura que agride a vida humana pode trazer?

--Dom João Carlos Petrini: A agressão à vida tem consequências incalculáveis. Porque, além da agressão em si, isso também cria uma mentalidade: a idéia de que a existência humana pode ser eliminada. Assim, a vida humana quando atrapalha, poderia ser posta fora de cena, ser liquidada. Isso cria um ambiente difícil na convivência social, em que depois acontecem formas de violência que são absurdas. Pais que matam filhos, filhos que matam pai e mãe...

Discutir, conversar sobre a possibilidade do aborto abre a porta para uma deformação da cultura, para uma mentalidade que cultiva uma sensibilidade perversa, na qual a morte aparece como solução. Toda a nossa civilização foi construída exatamente na percepção de uma potência divina mais forte do que a morte: a ressurreição de Cristo.

Devido a essa potência divina oferecida, doada a nós por Jesus, foi que o fez com que desde os primeiros tempos as comunidades cristãs cuidassem dos órfãos, das viúvas, dos leprosos, dos doentes em geral. E é por isso que no seio da Igreja nasceram os orfanatos, as Santas Casas de Misericórdia, os hospitais e os cuidados com as pessoas rejeitadas por todos e abandonadas. Isso significa que a vida é mais poderosa do que a morte, porque a morte foi vencida. E por isso nós abraçamos, amamos e cultivamos a vida, especialmente lá onde ela aparece mais vulnerável e frágil.

Quando agora começamos a dizer que a morte pode ser para nós uma solução, uma resposta, nós subvertemos o fundamento da civilização ocidental. E com consequências que nós não podemos avaliar adequadamente, em termos de incentivo à violência e à destruição.

Temos muitas razões para amar a vida. Em primeiro lugar porque a vida humana é uma grande dádiva, um dom extraordinário. E temos muitos motivos para acolhê-la e protegê-la. Diante da existência humana, não podemos apenas nos apresentar com cálculos mesquinhos de utilidades, de conveniências, de pesos, de atrapalhações. Temos de abrir um pouco o nosso horizonte, como que seguindo um convite que nos fez o Papa Bento XVI de alargar o uso da razão para compreender toda a riqueza e toda a grandiosidade de uma existência humana. É um sinal de dignidade, de grandeza, o sacrifício, a dedicação que um homem, uma mulher, pode dar de si para acolher, proteger e ajudar a vida humana a crescer.

--Hoje se fala de uma ecologia humana...

--Dom João Carlos Petrini: Uma carta encíclica do Papa João Paulo II, Centesimus Annus, nos números 38 e 39, traz uma proposta que foi um pouco esquecida. O Papa fala da necessidade de uma ecologia humana. Nós demoramos 200 anos para entender que não é possível utilizar todo o poder técnico de que dispomos para depredar a natureza, porque a natureza tem a sua própria finalidade, que deve ser respeitada. Respeitar as águas dos rios, as florestas, as espécies animais, o ar, é fundamental. Do mesmo modo, nós devemos entender que é necessário respeitar limites quando se trata da existência humana. A ecologia humana significa uma atenção para preservar a dignidade. Para preservar especificamente o humano do homem. Para que o homem não vire um animal, onde se devora um ao outro.

Todo o Brasil se comoveu, chocado, com a morte da menina Isabella. Aqueles que ainda não nasceram são iguais à Isabella, só um pouco menores de tamanho e de idade. Mas em nada diferentes, mesmo estando dentro do ventre materno, ainda terminando a primeira etapa da sua formação. Mas são idênticos àquela menina Isabella, que foi arremessada de uma janela no sexto andar de um prédio em São Paulo. Nós não queremos que nenhuma mulher e nenhum homem carreguem o peso de estar destruindo vidas humanas, porque isso é algo que não está ao nosso dispor, não está no nosso poder. E por isso é uma transgressão grave à lei divina, inclusive à lei da natureza.

Voltei. Eloqüente demais para qualquer comentário.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Evangelho de Domingo - Pentecostes

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, solenidade de Pentecostes, com comentários do Santo Padre, o Papa Bento XVI, enquanto Cardeal.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João.

Evangelho (Jo 20, 19-23 (Pentecostes))

19Na tarde deste dia, o primeiro da semana, estando, por medo dos Judeus, fechadas as portas no lugar onde se encontravam os discípulos, veio Jesus colocar-Se no meio deles e disse-lhes: A paz seja convosco! 20Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos ficaram cheios de alegria, ao verem o Senhor. 21Jesus então disse-lhes de novo: A paz seja convosco! Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos mando a vós. 22Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. 23Àqueles a quem perdoardes os pecados, ficar-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ficar-lhes-ão retidos.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por:

Cardeal Joseph Ratzinger [Papa Bento XVI]

Retiro Vaticano 1983

"Todos os ouvimos proclamar nas nossas línguas as maravilhas de Deus" (Act 2,11) O dia de Pentecostes revela a catolicidade da Igreja, a sua universalidade. O Espírito Santo manifesta a sua presença pelo dom das línguas. Renova assim, mas invertendo-o, o acontecimento de Babel (Gn 11), aquela expressão do orgulho dos homens que querem tornar-se como Deus e construir com as suas próprias forças, isto é, sem Deus, uma ponte até ao céu, a torre de Babel. Esse orgulho provoca divisões no mundo e ergue os muros da separação. Por causa do orgulho, o homem reconhece apenas a sua própria inteligência, a sua própria vontade, o seu próprio coração; desse modo, ele já não é capaz, nem de compreender a linguagem dos outros, nem de ouvir a voz de Deus.

O Espírito Santo, o amor divino, compreende e faz compreender as línguas; ele cria a unidade na diversidade. Assim, desde o primeiro dia, a Igreja fala em todas as línguas. Por isso, ela é católica, universal. A ponte entre o céu e a terra existe mesmo: essa ponte é a cruz e foi o amor do Senhor que a construiu. A construção desta ponte ultrapassa as possibilidades da técnica. A ambição de Babel devia e deve fracassar; só o amor incarnado de Deus podia responder a tal ambição...

A Igreja é católica desde o primeiro instante da sua existência; ela abraça todas as línguas. O sinal das línguas exprime um aspecto muito importante da eclesiologia fiel à Escritura: a Igreja universal precede as Igrejas particulares, a unidade vem antes das partes. A Igreja universal não é uma fusão secundária das Igrejas locais; é a Igreja universal, católica, que gera as Igrejas particulares e estas não podem permanecer Igrejas senão em comunhão com a catolicidade. Por outro lado, a catolicidade exige a multiplicidade das línguas, a partilha e a harmonização das riquezas da humanidade no amor do Crucificado.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.