quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Morre o fundador dos Legionários de Cristo


Saudações queridos leitores!

Chega a mim nesse momento a notícia do falecimento do fundador dos Legionários de Cristo, Padre Marcial Marciel, LC.

É com tristeza humana, mas com alegria sobrenatural que comunico a todos da notícia e peço orações por um sacerdote que tanto contribuiu pela Igreja e que ao juntar-se a Deus nos céus, nos deixa uma obra tão grande como os Legionários de Cristo.

Mais informações em http://www.marcialmaciel.com/mm88/esp/nfundador.htm

Fiquem com Deus,
Fernando.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

TJ nega liminar contra a pílula e discrimina a Igreja

Saudações queridos leitores!

O Tribunal de Justiça de Pernambuco negou o pedido de liminar para a suspensão da distrubuição da pílula abortiva do dia seguinte. Fiquem com notícia do Terra (íntergra aqui), volto depois.

TJ-PE nega pedido para suspender pílula no Carnaval

O Tribunal de Justiça de Pernambuco negou nesta quarta-feira o pedido de liminar da Associação de Defesa dos Usuários de Seguros e Sistema de Saúde (Aduseps) para suspensão da oferta de pílulas do dia seguinte pela secretaria municipal de Saúde, durante o Carnaval em Recife. A decisão é do juiz José Viana Ulisses Filho, da 7ª Vara da Fazenda Pública da capital, sob o argumento de que o pedido se baseava na afirmação de que a pílula é abortiva, mas não havia elementos de prova.

Em seu parecer, ele lembrou que o aborto é considerado crime no Brasil e afirmou que a documentação anexada pela Aduseps "assevera que a droga a ser utilizada é cientificamente considerada contraceptiva e não abortiva".

Ulisses Filho destacou que as opiniões contrárias à pílula do dia seguinte incluídas no processo vinham de setores conservadores da igreja católica, que condenam a distribuição do medicamento e também de preservativos, sem qualquer respaldo da comunidade cientifica.

"Considerando que a República Federativa do Brasil é um estado laico e não uma teocracia, irrelevantes são as opiniões religiosas que condenam o uso de preservativos ou contraceptivos", concluiu. O juiz ainda levou em consideração que a pílula não será distribuída aleatoriamente e, sim, em casos específicos.

Voltei. Estou chocado. Não com a negação da liminar, mas sim com a justificativa do juiz. Ele diz que "
as opiniões contrárias à pílula do dia seguinte incluídas no processo vinham de setores conservadores da igreja católica, que condenam a distribuição do medicamento e também de preservativos, sem qualquer respaldo da comunidade científica."

Onde ele pensa que está? Em Cuba? Esse juiz claramente censurou a Igreja, negando a relevância da opinião! Quer dizer que se uma ala supostamente progressista entrasse com o mesmo pedido de liminar o tratamento seria diferente?

Esse juiz alega que o Brasil é um Estado Laico. Claro que é! E por ser laico, a Igreja tem voz também. Estado Laico não significa Estado Ateu ou Anti-religioso. Desconsiderar os argumentos da Igreja em nome do laicismo e alegar sua irrelevância por serem de origem religiosa é discriminação!

Sobre os tais casos específicos, já foi mostrado que não há critério objetivo e nem controle sobre a distribuição, pois uma mesma pessoa pode retirá-las quantas vezes quiser. Os efeitos da pílula sobre o corpo a médio e longo prazo não são conhecidos. Essa distribuição desenfreada pode gerar conseqüências que ninguém sabe, é um risco muito grande!

Que Deus nos livre da maldição do aborto, do Ministro Temporão e dos juízes discriminadores!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Igreja entra na Justiça contra distribuição da pílula do dia seguinte

Saudações queridos leitores!

A Arquidiocese de Olinda e Recife entrou com uma ação na Justiça visando barrar a distribuição da pílula abortiva do dia seguinte. Fiquem com notícia do Último Segundo (fonte aqui), volto depois.

Igreja entra na Justiça contra distribuição da pílula do dia seguinte

SÃO PAULO - A Pastoral da Saúde da Arquidiocese de Olinda e Recife entrou com uma ação, nesta segunda-feira, no Ministério Público (MP) de Pernambuco pedindo a suspensão das ações das prefeituras do Recife, Olinda e Paulista que anunciaram que vão distribuir anticoncepcionais de emergência - conhecidos como pílula do dia seguinte - durante o carnaval. A Secretaria de Saúde da capital instalará dois postos nos focos da folia com oferta do remédio.

A Pastoral quer suspender a oferta do medicamento em todo o Estado e não somente na festa. A petição foi entregue aos promotores de Justiça da Saúde, Ivana Botelho, e de Cidadania e Direitos Humanos, Marcos Aurélio.

A Pastoral argumenta a "ilegalidade" da distribuição do contraceptivo a partir da premissa de que o remédio é abortivo. Além da "lei de Deus", que, de acordo com a Igreja, está acima de qualquer lei humana e que diz no quinto mandamento "Não Matarás", a petição também se baseia na legislação brasileira.

O arcebispo de Olinda e Recife, d. José Cardoso Sobrinho, rebateu com ataques e sem citar nomes a crítica do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, de que a postura da Igreja cada vez mais afasta os jovens do catolicismo.

"Eles estão corrompendo a juventude, desviando a juventude da lei de Deus", disse d. José. Quanto à afirmação de Temporão, que considerou a questão "de saúde pública" e não religiosa, ele rebateu: "Qualquer problema humano é também religioso."

Para d. José, a distribuição do contraceptivo de emergência "viola os direitos fundamentais e induz a população a praticar o mal". Frisa que, de acordo com o artigo 2 do Código Civil Brasileiro, o conceito sobre o início da vida é "a partir da sua concepção".

O arcebispo cita o Direito Penal Brasileiro, que inclui o aborto entre os crimes contra a vida (124 a 128) e a Lei de Contravenções Penais, que, no artigo, o 20, determina que "é contravenção contra a pessoa anunciar processo, substância ou objeto destinado a provocar aborto".

Ele Também condena a resolução do Conselho Federal de Medicina (1.811/2006) que estabelece normas para uso, pelos médicos, "da pílula abortiva do dia seguinte" por não estar em consonância com a legislação brasileira contra o aborto e destaca que as normas e conceitos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) não podem se sobrepor às definições dadas pelo Congresso.

De acordo com a Pastoral da Saúde, a oferta do medicamento só é legal (consoante com a lei brasileira) no caso de estupro. A Secretaria de Saúde da prefeitura da capital alega cumprir uma política de planejamento familiar e de atendimento à mulher em consonância com o Ministério da Saúde.

Voltei. Espero sinceramente que essa ação dê frutos. Caso seja rejeitada, pelo menos a Igreja se fez ouvir. Agora eu quero é ver o que os grupos abortistas, que ameaçavam a Igreja, vão fazer.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Evangelho de Domingo - 3° Domingo do Tempo Comum

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários dos Padres de Navarra.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.

Evangelho (Mt 4, 12-23 (3º Domingo do Tempo Comum))

12Quando ouviu que João fora entregue, retirou-se para a Galileia. 13E, deixando Nazaré, passou a morar em Cafarnaum, à beira-mar, nos confins de Zabulão e de Neftalim, 14para se cumprir o que fora anunciado pelo profeta Isaías, que diz: 15"Terra de Zabulão e terra de Neftalim, para os lados do mar, terra de Além-Jordão, Galileia dos Gentios:
16O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz, e a luz amanheceu aos que jaziam na região caliginosa da morte".
17Desde então, começou Jesus a pregar e a dizer: Fazei penitência, porque está próximo o Reino dos Céus.
18Passeando ao longo do mar da Galileia, viu dois irmãos, Simão chamado Pedro e André, seu irmão, a deitarem a tarrafa ao mar, pois eram pescadores, 19e disse-lhes: Vinde após Mim, e far-vos-ei pescadores de homens.
20E eles imediatamente, deixadas as redes, seguiram-No.
21Prosseguindo dali, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, na barca, com o pai Zebedeu, a consertarem as redes e chamou-os. 22E eles imediatamente, deixando a barca e o pai, seguiram-No.
23E Jesus discorria por toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todas as doenças e todas as enfermidades no povo.

Palavra da Salvação.

13-16. São Mateus cita aqui a profecia de Isaías 8,23-9,1. A região, que é mencionada com diversas referências (Zabulão, Neftalim, para os lados do mar, terra de Além-Jordão), foi invadida pelos assírios pelos anos 734-721 a.C., sobretudo no tempo de Teglatfalasar III. Parte da população hebraica da região foi deportada, ao mesmo tempo que foram trazidos grandes grupos de populações estrangeiras para colonizar o país. Por esta causa, a partir dessa data, na Bíblia é costume chamar-se-lhe "Galileia dos gentios".O Evangelista, inspirado por Deus, viu o cumprimento da profecia de Isaías nesta vinda de Jesus à Galileia. Com efeito, esta terra devastada e maltratada em tempo de Isaías, será a primeira a receber a luz da vida e da pregação de Jesus Cristo. Portanto, o sentido messiânico da profecia é claro.17. O versículo indica a transcendência do momento inicial da pregação pública de Jesus, que começa pela proclamação da iminência do Reino de Deus. Jesus entronca na proclamação de João Baptista: pode apreciar-se uma coincidência até literal entre a segunda frase deste versículo e Mt 3,2. Esta coincidência sublinha a função que teve São João Baptista como profeta e precursor de Jesus. Tanto o Baptista como Nosso Senhor exigem o arrependimento, a penitência, como condição prévia para o acolhimento do Reino de Deus que começa.

O reinado de Deus sobre os homens é tema central da Revelação de Jesus Cristo, como o tinha sido no AT. Mas então, o Reino de Deus tinha tido uma matização que se pode chamar teocrática: Deus reinava sobre Israel tanto no espiritual como no temporal, e, por meio dele, submeteria ao Seu domínio as outras nações. Agora Jesus irá explicando de modo progressivo a renovada natureza deste Reino de Deus, que chegou à sua plenitude, situando-o no seu plano espiritual de amor e santidade, e purificando-o dos desvios nacionalistas dos judeus.

Este Reino, para o qual o Rei convida todos sem excepção (cfr Mt 22, 1-14), tem na terra o seu Banquete, que exige certas condições, que os propagadores deste Reino hão-de pregar. "Portanto, o banquete eucarístico é o centro da assembléia dos fiéis a que o presbítero preside. Por isso, os presbíteros ensinam os fiéis a oferecer a Deus Pai a vítima divina no sacrifício da missa, e a fazer, com ela, a oblação da sua vida; com o espírito de Cristo Pastor, ensinam-nos a submeter de coração contrito à Igreja no sacramento da Penitência os próprios pecados, de tal modo que se convertam cada vez mais no Senhor, lembrados das Suas palavras: 'Fazei penitência, porque o reino dos céus está próximo'" (Presbyterorum ordinis, n. 5).

18-22.
Os quatro discípulos conheciam já o Senhor (Ioh l, 35-42). A breve convivência com Jesus deve ter produzido uma atracção imperiosa nas suas almas. Cristo preparava assim a vocação destes homens. Agora trata-se já daquela vocação eficaz, que os moveu a abandonar todas as suas coisas para O seguir e ser Seus discípulos. Por cima dos defeitos humanos - que os Evangelhos não dissimulam - ressalta, sem dúvida e de modo exemplar, a generosidade e prontidão com que os Apóstolos corresponderam ao chamamento divino.

O leitor atento poderá descobrir e admirar a terna simplicidade com que os evangelistas relataram, para sempre, as circunstâncias da vocação destes homens no meio dos seus afazeres quotidianos.

"Deus tira-nos das trevas da nossa ignorância, do nosso caminho incerto entre os acontecimentos da história e chama-nos com voz forte, como um dia o fez com Pedro e André" (Cristo que passa, n° 45).

"Diálogo divino e_humano, que transformou a vida de João e de André, de Pedro, de Tiago e de tantos outros; que preparou os seus corações para escutarem a palavra imperiosa que Jesus lhes dirigiu junto ao mar da Galileia" (Cristo que passa, n° 108).

São de salientar as palavras com que a Sagrada Escritura descreve a entrega imediata destes apóstolos. Pedro e André deixaram imediatamente as redes e seguiram-No. Do mesmo modo, Tiago e João deixaram imediatamente a barca e o pai e seguiram-No. Deus passa e chama. Se não se Lhe responde imediatamente, Ele pode continuar o Seu caminho e nós podemos perdê-Lo de vista. A passagem de Deus pode ser rápida; seria triste que ficássemos para trás, por querermos segui-Lo levando connosco muitas coisas que não serão senão peso e estorvo.

23.
"Sinagoga": E um nome de origem grega que designa o edifício onde se reúnem os judeus, no dia de Sábado e noutros dias festivos, para celebrar os cultos religiosos, exceptuados os sacrifícios, que só podiam realizar-se no Templo de Jerusalém. A sinagoga era também o lugar onde se atendia à formação religiosa dos judeus. Eram também indicadas com este nome as pequenas comunidades judaicas dentro da Palestina ou no estrangeiro.

24.
"Lunático": De modo muito genérico aplicava-se este nome aos que padeciam de afecções de tipo epiléptico, que segundo a opinião vulgar dependiam das fases da lua.

23-25.
Encontramos aqui um magnífico sumário, onde o Evangelista resume em poucas linhas amplos aspectos da actividade de Jesus. A pregação do evangelho ou "boa nova" do Reino, as curas de doenças e as expulsões de demônios são sinais específicos da actividade do Messias, conforme as profecias do Antigo Testamento (Is 35,5-6; 61, 1; 40,9; 52,7).

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Temporão ataca a Igreja novamente

Saudações queridos leitores!

Eita seu Temporão! Voltou a praticar seu esporte favorito, que é criticar a Igreja Católica. Melhor ele faria se fizesse algo para combater a dengue e a febre amarela. Fiquem com reportagem do Terra (fonte aqui), volto depois.

Pílula: Igreja está equivocada de novo, diz Temporão

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, voltou a criticar a Igreja Católica neste domingo, no Rio de Janeiro. Desta vez, a polêmica envolve a distribuição de pílulas do dia seguinte, que deve ser realizada pelas prefeituras de Olinda e Recife durante o Carnaval. Temporão disse que "a prefeitura está correta e a Igreja está equivocada mais uma vez."

Temporão disse ainda que a medida adotada pelas prefeituras está dentro do protocolo do Ministério da Saúde. Ele destacou que o medicamento é utilizado apenas sob prescrição médica.

"É uma questão de saúde pública, não uma questão religiosa. Lamentavelmente a Igreja, cada vez mais, se afasta dos jovens com esse tipo de postura. O Ministério da Saúde apoia e suporta a medida."

A Arquidiocese de Olinda e Recife já anunciou que entrará com uma ação no Ministério Público contra a medida adotada pelas secretarias de Saúde dos municípios. A Organização Não-governamental Curumim, entidade de orientação feminista, afirmou que caso a Igreja permaneça com essa postura, também entrará com uma ação no Ministério Público, mas em favor da administração municipal.

As declarações do ministro foram feitas após o lançamento da campanha de prevenção à aids para o Carnaval 2008 no centro cultural Cartola, na Mangueira, zona norte do Rio de Janeiro.


Voltei. Agora o Ministro Temporão, além de arbitrar sobre saúde, quer dar lição de pastoral na Igreja! Mas é um fanfarrão! Ele comete uma série de erros em suas afirmações.

Em primeiro lugar: desrespeita o ponto de vista da Igreja, classificando-o como equivocado, sendo que a posição da Igreja é pautada em sua doutrina bimilenar e sustentada por estudos sérios. Em segundo lugar, como mostrei anteriormente, o medicamento pode ser requisitado por qualquer mulher, bastando alegar que teve relação íntima sem preservativo ou que foi violentada não há menção alguma ao fato de que os médicos hão de examinar as mulheres que pedirem a pílula. Terceiro: o Ministro se engana redondamente se acha que a Igreja vai abrir mão da Doutrina só para parecer mais sintonizada com os jovens. Além de não exercer direito seu trabalho como Ministro da Saúde, tenta dar pitaco em assunto pastoral. A defesa da vida é ponto fundamental da Doutrina Cristã e nada no mundo há de calar a Igreja.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.