quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Vaticano divulga documento acerca de homossexuais e o sacerdócio

Saudações queridos leitores!

o Prefeito para a Congregação para a Educação Católica, Cardeal Zenon Grocholewski, acaba de emitir um documento em que ficam esclarecidas várias questões acerca de homossexuais e o sacerdócio. O documento, intitulado "Orientações para o uso das competências da psicologia na admissão e na formação dos candidatos ao sacerdócio", diz que candidatos com fortes tendências homossexuais ou dificuldades para viver a castidade não devem ser sacerdotes.

Um excelente documento que chega em boa hora. Com essa medida a Igreja dá mais um passo na luta por um clero mais santo. Depois de algumas gerações com problemas terríveis de formação, essa medida não poderia ter vindo em melhor hora.

Um dos trechos que merecem ser destacados diz: "Na avaliação da possibilidade de viver em fidelidade e alegria o carisma do celibato é necessário considerar que não basta se garantir a capacidade de se abster do uso dos genitais, mas é necessário valorizar a orientação sexual. A castidade pelo Reino é muito mais que a simples falta de relações sexuais". Isso mostra que a castidade entendida apenas como abstinência sexual não é suficiente para que alguém possa se candidatar ao sacerdócio, mas também o amor à correta sexualidade é condição fundamental para o melhor serviço para o Reino de Deus.

Vivemos uma crise moral. E a pouca moral que ainda resta tem sido sistematicamente distorcida em todos os cantos. Sacerdotes mais firmes são fundamentais para o resgate de valores que sustentaram a nossa sociedade por séculos e que, agora que são cada vez mais atacados, me fazem ver sem surpresa essa ruína pela qual a sociedade moderna passa.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: