quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Ministro judeu ataca Pio XII e acaba contrariando a palavra dos próprios judeus

Saudações queridos leitores!

Mais manifestações inoportunas sobre Pio XII continuam partindo de judeus. A bola da vez agora é Isaac Herzog, ministro da Diáspora, Sociedade e Luta contra o Anti-semitismo israelense e filho do ex-presidente israelense Chaim Herzog. Ele considera "inaceitável" que Pio XII seja beatificado por achar que o Sumo Pontífice se calou diante do Holocausto.

Herzog é só mais um a engrossar o coro dos que dizem besteiras a respeito desse assunto. Ao se mostrar contrário à beatificação de Pio XII, ele não só se lança contra os Católicos mas também contra todos os judeus salvos pelo Papa e contra todos os que hoje estão vivos graças à ação de Pio XII e de todos os Católicos que agiram naquela época.

A fala de Herzog, que diz que "no período do Holocausto, o Vaticano sabia muito bem o que estava acontecendo na Europa" e ainda que "mesmo assim, não há provas de nenhuma medida que o papa tenha tomado e que estivesse à altura da Santa Sé" é um argumento mentiroso, digno de quem não deseja paz, mas sim a simples ruína do outro.

Calúnias contra a Igreja não são novidade. Uma das características da Igreja de Cristo é justamente ser perseguida, mas tenham certeza de que se alguma calúnia fosse emitida contra os judeus, algo que eu também repudio, o mundo todo entraria em polvorosa e em questão de horas veríamos comunicados e notas de repúdio aparecendo das mais diversas associações de judeus mundo afora.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: