sábado, 11 de outubro de 2008

Luterano discursa lamentavelmente sobre a liberdade no Sínodo dos Bispos

Saudações queridos leitores!

O Sínodo dos Bispos que está ocorrendo no Vaticano está tratando com especial atenção sobre a Palavra de Deus. Mas de vez em quando eu acho que o evento está um tanto ecumênico demais. Após um rabino judeu discursar no sínodo e deflagrando aquele lamentável episódio, foi a vez de um bispo emérito luterano discursar aos participantes do Sínodo.

Pelo menos o bispo luterano, Gunna Stalsett não se aproveitou do convite para atacar a Igreja. Seu discurso, razoavelmente sensato teve aspectos positivos e aspectos não tão positivos assim.

Uma das boas lembranças do religioso luterano é que o terrorismo em nome de Deus é uma ofensa a todos os credos. Isso engloba as três "religiões do livro", o cristianismo, o judaísmo e o islamismo. Segundo Gunna Stalsett, o antídoto para esse fundamentalismo que desvirtua a Escritura é uma interpretação autêntica da Palavra de Deus. Nesse caso ele está totalmente certo. Tanto é que a autêntica interpretação já existe e é propagada pela Igreja Católica.

Mas ao falar sobre a liberdade de expressão e a liberdade religiosa, que segundo o luterano são direitos humanos fundamentais, ele comete um erro colossal. Gunna Stalsett disse que temos que conviver com interpretações fundamentalistas das Escrituras em nome dessa liberdade. Totalmente errado.

A liberdade não consiste na permissão para que qualquer pessoa faça o que bem entender. A verdadeira liberdade não pode dar espaço a ideologias que queiram abusar da mesma para implantar o terror. Permitir que organismos usem da liberdade para atacar a própria liberdade é falta de responsabilidade, é libertinagem!

A liberdade é feita com regras, não sem regras.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: