quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Bispo discursa em Conferência de lésbicas e gays e participantes se retiram

Saudações queridos leitores!

Reproduzo abaixo uma reportagem do California Catholic Daily, traduzida pelo Frates In Unum. Volto depois.

Bispo discursa em Conferência de Lésbicas e Gays

Quando dois católicos do Sul da Califórnia souberam que o bispo coadjuntor de Sacramento, Dom Jaime Soto, seria a principal autoridade a discursar na conferência da Associação Nacional de Ministérios Diocesanos para Lésbicas e Gays em Long Beach, em 18 de setembro, eles decidiram assistir eles mesmos e ver e ouvir a palestra em pessoa. Eles disseram que o que testemunharam foi um bispo que “corajosamente, mas de maneira gentil” deu uma clara apresentação do ensinamento da Igreja sobre sexualidade.

Depois de California Catholic Daily reportar sobre os planos de Dom Soto de participar e discursar na conferência (“Birds of a feather?” Set. 15, 2008), muitos leitores expressaram desaprovação ou preocupação sobre como interpretar a decisão do futuro bispo de Sacramento. Dom Soto tomará posse da diocese do bispo William Weigand, que está se aposentando, em 30 de novembro. A Associação Nacional de Ministérios Católicos Diocesanos para Lésbicas e Gays, sediada em Berkeley, é uma rede de ministérios locais que tem a reputação de tomar, no mínimo, uma postura ambígüa sobre o caráter moral da homossexualidade e dos atos homossexuais.

Mas não houve nada de ambígüo nas advertências de Dom Soto ao grupo. “Relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo podem ser atraentes para homossexuais, mas elas desviam do verdadeiro significado do ato e o priva da verdadeira natureza do amor para o qual Deus chamou a todos nós”, disse Dom Soto. “Por essa razão, elas são pecaminosas. O amor conjugal é uma bela, heróica expressão do amor fiel, que gera a vida, que cria a vida. Ele não pode ser acomodado e manipulado por aqueles que acreditariam que podem e têm direito a imitar sua expressão única”.

Ao menos cinco membros da platéia retiraram-se durante o discurso do bispo. Quando ele terminou de falar, houve um silêncio geral – com apenas um pequenino número de pessoas aplaudindo.

O presidente da conferência então anunciou que o bispo responderia questões numa recepção que se daria em outra sala. Isso levou a diversas expressões de desaprovação dos membros da audiência, que disseram que queriam poder expressar suas respostas imediatamente. Foi acordado que aqueles que desejassem falar formariam uma fila. O bispo foi comunicado duas vezes pelo presidente que ele estava livre para sair, se quisesse – ou para ficar e ouvir. Dom Soto ficou e sentou-se calado ouvindo todas as respostas.

Uma série de cerca de oito discursadores vieram ao microfone expressar sua infelicidade com o que o bispo disse – e o que eles sentiram que ele não disse. Uma mulher disse, em essência, “Nós sabemos o que a Igreja diz. Nós queríamos que você falasse sobre o valor de nossas experiências vividas como mulheres lésbicas e homens gays.”

Dois deles – um homem e uma mulher – agradeceram ao bispo por seu discurso e expressaram sua concordância com o que ele tinha pra dizer. Enquanto os membros da audiência estavam respondendo às observações do bispo, um membro da diretoria da Associação Nacional de Ministérios Diocesanos Católicos para Lésbicas e Gays apareceu numa das mesas da sala e disse, “Em nome da diretoria peço desculpas. Não tínhamos idéia que Dom Soto iria dizer o que disse”.


Voltei.

Não tenho nem o que comentar. Bem, talvez só um pouquinho. Os meus parabéns ao Bispo de Sacramento não são por ele ter falado o que falou, já que ele simplesmente transmitiu fielmente a Doutrina da Igreja. Ninguém deve ser honrado por fazer o que se espera.

Mas sua coragem de adentrar a um ambiente tão inóspito e proferir a Doutrina de Cristo é admirável. Essa sua coragem deve ser reconhecida e servir de exemplo para todos os Católicos no mundo inteiro.

Parabéns a Dom Jaime Soto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: