sábado, 18 de outubro de 2008

A Arquidiocese se manifesta sobre a traição

Saudações queridos leitores!

Após a divulgação da reunião promovida pelo PT em que padres colaboraram para a redação de um manifesto em favor de Marta Suplicy, a Arquidiocese se manifestou. Confiram a íntegra do comunicado abaixo, que foi recebido via e-mail por uma amiga que escreveu a eles.

Prezada,
Em relação ao seu e-mail, esclareço que tão logo soubemos da notícia pelos jornais começamos imediatamente um grnde esforço para desmenti-la. A notícia veiculada pelos jornais e internet é mentirosa e não tem o menor fundamento. Deixamos claro para todos que a Igreja não apóia nenhum candidato e nem fará carta ou manifestação em favor de canditados. Quero pedir encarecidamente, principalmente aos cristãos-católicos que amam e zelam pela sua Igreja, que não acreditem e nem distribuam mensagens, principalmente e-mails, sem antes comprovar a autenticidade dos mesmos. Qualquer procunciamento oficial da Igreja de São Paulo terá sua origem nos seus meios (Nota Oficial do Cardeal, Jornal O São Paulo, Rádio 9 de Julho, site oficial da arquidiocese: www.arquidiocesedesaopaulo.org.br)somente assim poderemos evitar a disseminação de inverdades que só prejudicam a nossa Igreja.
Deus os abençoe sempre.

Arquidiocese de São Paulo
Vicariato da Comunicação / Secretário-Geral

Voltei. Ao menos podemos ver que os padres traidores não fizeram isso com apoio da Igreja. Mas é fato que eles participaram de uma reunião para elaborar um manifesto de apoio à candidata do PT. A mera participação de tal reunião já é um ato de desobediência e negação da Doutrina da Igreja que pela qual esses sacerdotes deveriam zelar.

Tal atitude merece uma punição. Mas duvido que algo nesse sentido aconteça.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: