terça-feira, 2 de setembro de 2008

Vaticano não disse nada sobre morte cerebral

Saudações queridos leitores!

Mas quanto barulho por uma reportagem do L'Osservatore Romano! O jornal do Vaticano apresentou um artigo em que se questiona a declaração da morte cerebral como parâmetro para definir o fim da vida e todo o povo já está tratando a coisa como se fosse Doutrina da Igreja!

O título da reportagem já é um tanto escandaloso. Na ANSA: "Para Vaticano, morte cerebral não caracteriza mais a morte". Quem lê um título desses já pensa em uma Encíclica ou no pronunciamento de um Cardeal. Mas quando se lê, percebe-se de o artigo diz que, segundo o Osservatore Romano, muitos médicos, juristas e filósofos norte-americanos estão de acordo que "a morte cerebral não é a morte do ser humano".

Quer dizer, a Igreja não questionou nem pensou em mudança nenhuma! Isso foi apenas um artigo publicado no jornal que, por ser impresso no Vaticano, gerou esse bafafá todo.

Agora vejamos o que disse o chefe da Sala de Imprensa da Santa Sé, que é quem tem que ser levado em conta esse episódio (fonte aqui):

(...) o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, disse que o texto publicado pelo jornal vaticano "é um interessante artigo assinado pela renomada senhora Lucetta Scaraffia, mas não pode ser considerado como uma posição do magistério da Igreja".

Pe. Lombardi recorda que se trata de "uma contribuição para a discussão e o aprofundamento", mas somente uma contribuição, ou seja, não é uma posição da Doutrina Católica ou de qualquer organismo vaticano.

O diretor da Sala de Imprensa explica ainda que se trata de um artigo, e não de um editorial do "L'Osservatore Romano", pois os editoriais podem ser atribuídos somente ao diretor do jornal, neste caso, a Gian Maria Vian.

Os destaques são meus.

Como vêem, tem muita gente procurando pêlo em casca de ovo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: