sábado, 13 de setembro de 2008

Sobre idolatria e o amor evangélico

Saudações queridos leitores!

Ainda em sua visita à França, o Papa alerta para o perigo da idolatria. A idolatria condenada não é apenas aquela praticada a outros deuses, mas também aquela que coloca qualquer outra coisa no lugar de Deus, como a cobiça insaciável, que coloca o dinheiro no lugar de Deus e é a raiz de todos os males.

Em um mundo onde o materialismo e o consumismo estão tão exacerbados, é imprescindível que estejamos todos alertas sobre como a troca de prioridades e a inversão de valores, quando envolvendo Deus, inevitavelmente descambam para a idolatria. Ter dinheiro e boas condições de vida, quando conseguidas de modo justo, não é pecado, pois o homem pode desfrutar da riqueza. O problema consiste em tornar os bens materiais tão importantes a ponto de transformar a preocupação com o próximo e a devoção a Deus em algo secundário.

A riqueza e a fé não são valores contraditórios e nem concorrentes, portanto, não existe necessidade de se abrir mão de um em prol do outro. Com esse pensamento em mente, devemos nos vigiar ainda mais para continuar amando a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. E esse amor a Deus e ao próximo se manifesta em nós em forma de uma sincera preocupação e ajuda edificante a todos que pudermos ajudar. As pessoas em nossa volta têm necessidades, sejam financeiras, sejam espirituais e cabe a nós, seguindo os mandamentos de Cristo, suprir essas necessidades, sermos sal da terra e luz no caminho do próximo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: