quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Simpósio em Roma destaca a ajuda de Pio XII aos judeus durante a Segunda Guerra

Saudações queridos leitores!

Pio XII é um dos seres humanos mais injustiçados de nossa história. Ele foi um dos que mais ajudaram a proteger os judeus durante a Segunda Guerra Mundial mas devido a uma série de boatos espalhados mundo afora pelos detratores da Igreja, a sua imagem ficou por muito tempo atrelada ao apelido de "Papa de Hitler".

O mais incrível de tudo é que a ampla maioria da comunidade judaica internacional reconhece Pio XII como um herói. Tanto é que o Sumo Pontífice, de grande memória foi agraciado com o título de Justo Entre as Nações, a maior honraria concedida a um não-judeu.

Pois bem, em Roma está ocorrendo um simpósio sobre Pio XII organizado pela Fundação Pave The Way, que reúne Judeus e Católicos, em que está sendo debatido o papel de Pio XII durante o regime nazista. Para esse simpósio, foi preparada uma compilação com 200 páginas de documentos, recortes de jornais do período e telegramas diplomáticos mostrando que Pio XII se empenhou bastante em proteger os judeus e que recebeu a gratidão de seus líderes, contrariando uma tese difundida por alguns grupos judaicos e outros detratores da Igreja, segundo os quais houve omissão do Vaticano durante o genocídio na Europa.

Entre o material da compilação, há um depoimento de Golda Meir, ex-primeira-ministra de Israel. "Quando o temeroso martírio se abateu sobre nosso povo na década do terror nazista, a voz do papa se ergueu pelas vítimas".

Bento XVI, uma das vítimas do regime nazista, participando do simpósio disse que "graças à vasta quantidade de material documentado que vocês reuniram [a Fundação Pave The Way], apoiados por muitos testemunhos avalizados, o seu simpósio oferece ao fórum público a possibilidade de saber mais plenamente o que Pio XII conseguiu para os judeus perseguidos pelos regimes nazi-fascistas".

Gary Krupp, um judeu norte-americano que fundou e preside a Fundação Pave the Way, disse ao papa que a investigação do grupo "contradiz diretamente a percepção negativa das atividades do papa em tempo de guerra".

Bento XVI ainda lembrou que em novembro de 1945, cerca de seis meses após o fim da guerra, oitenta representantes de sobreviventes de campos de concentração foram a Roma agradecer Pio XII por seu empenho.

No próximo dia 9 de outubro completar-se-ão 50 anos da morte de Pio XII. A data será lembrada pelo Vaticano com uma Conferência e uma exposição de fotos.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: