sábado, 20 de setembro de 2008

Mensagem vaticana na conclusão do Ramadã

Saudações queridos leitores!

Em virtude da conclusão do Ramadã, o Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso publicou uma mensagem. Reproduzo abaixo a nota de ZENIT com a mensagem.

Mensagem vaticana na conclusão do Ramadã

Enviada pelo Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 19 de setembro de 2008 (ZENIT.org). - Publicamos a mensagem que o Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso enviou aos muçulmanos na conclusão do Ramadã. O tema deste ano é “Cristãos e muçulmanos: juntos para a dignidade da família”.

* * *

Caros Amigos muçulmanos,

1. Ao aproximar-se o fim do mês do Ramadão, é-me grato endereçar-vos, segundo uma tradição já bem arreigada, as cordiais saudações do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso. Durante este mês, cristãos pr&oacut e;ximos de vós partilharam as vossas reflexões e as vossas celebrações familiares; o diálogo e a amizade reforçaram-se. Deus seja louvado!

2. Mas, tal como no passado, este encontro amigável oferece-nos também a oportunidade de reflectir juntos sobre um tema de actualidade susceptível de enriquecer os nossos intercâmbios e de nos ajudar a melhor nos conhecermos, com os nossos valores comuns e as nossas diferenças. Para este ano, pensámos propor-vos o tema da família.

3. Um dos documentos do Concílio ecuménico Vaticano II, Gaudium et Spes, sobre a Igreja no mundo contemporâneo, afirma: «O bem-estar da pessoa e da sociedade humana e cristã encontra-se estreitamente ligado à prosperidade da comunidade conjugal e familiar. Pelo que os cristãos, juntamente com todos os que têm em grande estima esta comunidade, alegram-se sinceramente com o apoio de vária ordem que faz crescer entre os homens a estima por esta comunidade de amor e o respeito pela vida, e que ajuda os esposos e os pais no cumprimento da sua excelsa missão. Daqui esperam ainda melhores resultados e esforçam-se por alcançá-los» (n. 47).

4. Estas palavras recordam-nos oportunamente que o desenvolvimento da pessoa e da sociedade depende em grande parte da prosperidade da comunidade conjugal e familiar! Quantos são os que carregam, por vezes durante toda a vida, o peso das feridas de uma situação familiar difícil ou dramática? Quantos são aqueles e aquelas que sucumbem no abismo da droga ou da violência, tentando preencher, em vão, uma infância atribulada? Cristãos e muçulmanos, podemos e devemos trabalhar conjuntamente na salvaguarda da dignidade da família, hoje e amanhã.

5. Neste âmbi to, tivemos muitas vezes oportunidade de colaborar, quer a nível local quer internacional, tanto mais que cristãos e muçulmanos têm grande estima pela família. A família, lugar onde o amor e a vida, o respeito pelo outro e a hospitalidade se encontram e se transmitem, é verdadeiramente a «célula fundamental da sociedade».

6. Cristãos e muçulmanos, não devem hesitar em empenhar-se, não apenas para ajudar as famílias em dificuldade mas também para colaborar com todos os que se esforçam por promover a estabilidade da instituição familiar e o exercício da responsabilidade parental, particularmente no campo da educação. Não é demais recordar aqui que a família é a primeira escola em que se aprende o respeito pelo outro, na sua identidade e na sua diferença. O diálogo inter-religioso e a ci dadania só têm a beneficiar com isso.

7. Caros Amigos, ao terminar o vosso jejum, purificados e renovados pelas práticas amadas pela vossa religião, oxalá possais ter, com as vossas famílias e com aqueles que vos são queridos, uma vida serena e próspera! Que o Deus Altíssimo vos cumule a todos da sua misericórdia e da sua paz!

Cardenal Jean-Louis Tauran

Presidente

Arcebispo Pier Luigi Celata

Secretário

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: