quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Jovens abusam da pílula do dia seguinte

Saudações queridos leitores!

O resultado não poderia ser outro. A distribuição indiscriminada e o incentivo governamental criaram uma cultura de abuso do uso da pílula do dia seguinte. De acordo com uma pesquisa realizada com 6.308 alunos de escolas particulares, 1.383 deles perderam a virgindade na faixa etária dos 13 aos 16 anos. Desses 1.383, 22% deles usaram a pílula do dia seguinte para evitar a gravidez. Entre os jovens pesquisados, quase 20% deles já tiveram pelo menos cinco parceiros diferentes e 14% deles já tiveram relações sexuais com pessoas que conheceram pela internet.

A pesquisa foi realizada no primeiro semestre deste ano com alunos de 272 escolas particulares brasileiras que são conveniadas ao Portal Educacional, entidade responsável pela aplicação dos questionários. Do total de entrevistados, 34% são estudantes do Estado de São Paulo.

Apesar de 22% dos alunos entrevistados não ser maioria, mas um número expressivo, o comportamento sexual deles chama muito a atenção. O descontrole sobre quem recebe e usa a pílua é tamanho que até mesmo meninas que usaram preservativos apelaram para a pílula, como uma "garantia".

É por conta desse contexto alarmante apontado na pesquisa que os pais não podem fechar os olhos para as influências externas, principalmente viondas da TV e de supostos colegas, que estimulam um comportamento sexual desordenado nas crianças e adolescentes de hoje. Para o psiquiatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Thiago Fidalgo, os resultados desse trabalho nas escolas confirma dados de estudos anteriores, que mostram o início cada vez mais cedo da vida sexual e chama a atenção para a falta de planejamento dos jovens quando o assunto é vida sexual. Mais que isso, também revela de modo claro a ineficiência das políticas sexuais baseadas unicamente na prevenção, levando crianças cada vez mais jovens a iniciar a vida sexual, muitas vezes sem preparo, o que pode acarretar em conseqüências catastróficas.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: