domingo, 14 de setembro de 2008

Igreja não pode reconhecer divórcios e novas uniões

Saudações queridos leitores!

Periodicamente, alguns grupos clamam por certas mudanças na Igreja que simplesmente não ocorrerão. Seja a ordenação de mulheres, seja o reconhecimento e aceitação do divórcio.

Em Lourdes, o Papa Bento XVI falou, mais uma vez, que a Igreja não pode reconhecer as uniões irregulares de católicos que se divorciam e contraem novas núpcias fora da Igreja. No discurso proferido no Santuário de Lourdes, Bento XVI disse que "as iniciativas com o objetivo de abençoar uniões irregulares não podem ser admitidas".

A Igreja exerce um trabalho pastoral um tanto delicado com pessoas que se divorciam e se casam novamente mas querem ainda assim permanecer em plena comunhão com a Igreja. Tais almas merecem uma acolhida generosa, pois o impedimento à recepção da Sagrada Eucaristia é um entrave que machuca muito. Quem se casa novamente fora da Igreja e deseja estar em comunhão plena deve abrir mão do relacionamento sexual com o novo parceiro.

Apesar da clareza da Doutrina, há muitas pessoas, inclusive bispos, que clamam por uma flexibilização que simplesmente não pode ocorrer, pois diz respeito diretamente à Doutrina deixada por Cristo. Há de se entender que qualquer concessão feita nesse campo é na verdade uma desobediência à Palavra de Deus, transmitida por Cristo e presente integralmente apenas na Igreja Católica.

A Igreja tem espaço para todos, sem exceção. Na Igreja, todos devem se sentir em casa. Com esse pensamento, devemos acolher a todos os que vêem em busca de Deus.

Com informações da Reuters.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: