quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Delírios de um Jansenista

Saudações queridos leitores!

Tem um leitor, um tal Jansenista Galiciano que não gosta de mim mas não sai do blog. Ele andou me xingando por mostrar o buraco em que os Anglicanos enfiraram a sua denominação e eu não dei muita bola pra ele. Mas agora ele se manifesta novamente no post em que comento o delírio megalômano de Edir Macedo. Vai o comentário abaixo em vermelho, como veio, volto depois.

Completa falta de respeito. Senhor Fernando,seu blog é de uma pobreza, nutre dois sentimentos; asco e piedade.

Comparar o protestantismo com a seita neo-pentecostal é prova de sua completa má fé !

Hereges protestantes ? Vc é tão fascista, reacionário, que usa um palavreado nem sequer usado pela cúpula de sua igreja. Para o Vaticano, protestantes são chamados de " irmão separados". Será que vc já acordou para os tempos de Vaticano 2 ?

Não sei como não leva um belo processo ? Aff, fundamentalistas, iguais em todos os movimentos religiosos.

JANSENISTA GALICANO

Voltei. Apesar de ele me achar desrespeitoso, dizer que meu blog é pobre e que o faz nutrir asco e piedade, ele não sai daqui. Deve ser masoquista.

Ele reclama por eu comparar o protestantismo com a seita do Edir Macedo. Ora essa, mas ambas são frutos do maldito livre-exame das escrituras introduzido por Lutero e popularizado por seus seguidores hereges. Querendo ou não, a IURD é apenas mais um fruto podre que caiu da árvore do protestantismo. Pode ser podre demais até mesmo para vocês, mas como dizem aqui na minha terra: tomem que o filho é teu!

O protestantismo permitiu que o Brasil parisse coisas da estirpe de Macedo e tantos outros pilantras que eu só não cito por querer que eles continuem nadando em sua irrelevância.

Ele sempre reclama do jeito a que me refiro aos protestantes como hereges mas não hesita em me chamar de fascista (uma atribuição dessas sem provas é crime) e reacionário, seja lá o que ele entende por reacionário e diz que eu uso termos que nem a Igreja usa. Ora, lamento, mas eu costumo chamar as coisas pelo nome. Em casa, alface se chama alface e herege se chama herege.

Agora ver um protestante invocar o Concílio Vaticano II para querer que eu não chame os protestantes de herege é o fim da picada! Ele alega que depois do Concílio o termo herege caiu em desuso para se referir aos protestantes e que eu devia chamá-los de "irmãos separados". Realmente, os protestantes são mesmo irmãos separados, mas isso não faz deles menos hereges. De acordo com o Catecismo da Igreja Católica (CIC), em seu Cânon 751, "Chama-se heresia a negação pertinaz, após a recepção do batismo, de qualquer verdade que se deva crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dela; (...)."

E os protestantes, como cristãos batizados de forma válida (a Igreja reconhece qualquer batismo trinitário, desde que cumpram os requisitos mínimos que não vêm ao caso), são hereges. Qualquer Católico minimamente instruído sabe disso.

Para finalizar, ele se pergunta os motivos de eu não levar um processo. Bem, não sei se alguém pode ser processado por falar a verdade (haha!). E ainda finaliza com o argumento ad hominem de que sou um fundamentalista. É mole o que eu tenho que ler vindo de relativistas?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

Nani disse...

Fernando, vc é mesmo tão intolerante e fanático como demonstra? se Jesus, corporificação do próprio Deus, não só ensinou como tb sempre nos deu o exemplo de amor incondicional ao próximo, a tolerância e longanimidade, por que vc, mero mortal e miserável pecador, se julga melhor e mais certo do que os outros? criticando de forma tão vil a crença alheia, só porque não concorda com ela, vc apequena-se e distancia-se cada vez mais do Deus a quem diz seguir.