sábado, 13 de setembro de 2008

Bento XVI fala aos muçulmanos na França

Saudações queridos leitores!

Bento XVI deixou alguns franceses furiosos nessa sexta-feira com suas declarações. Durante sua viagem à França, o Santo Padre Bento XVI discursou para o presidente francês, Nicolas Sarkozy e encorajou o papel da religião na modelagem de políticas públicas, o que fez com que os defensores do secularismo rangessem os dentes.

Já em um encontro do Papa com figuras do mundo da cultura islâmica, coincidiu com os dois anos do discurso em Regensburg denunciando o fundamentalismo muçulmano que provocou a ira desses mesmos fundamentalistas. Apesar da coincidência das datas, o discurso aos muçulmanos nessa data foi uma mera coincidência. Ao final do encontro, Bento XVI segurou as mãos dos líderes muçulmanos e os cumprimentou um por um.

Em seu discurso, o Papa alertou sobre um entendimento errôneo da liberdade. "Seria um desastre se a cultura européia de hoje conseguisse apenas conceber a liberdade como a falta de obrigação, que inevitavelmente agiria nas mãos de fanáticos e arbitrários", disse Bento XVI.

A recepção do discurso pelos muçulmanos presentes foi excelente. Os líderes disseram ter ficado impressionados com o discurso altamente intelectual, mas queriam ouvir respostas mais diretas sobre a separação das comunidades cristã e muçulmana. Segundo Dalil Boubakeur, da mesquita de Paris, os muçulmanos presentes gostariam de ouvir sobre a missão da Igreja e sobre valores que ambas as culturas compartilham.

Durante toda a viagem o Papa tem dado sinais de preocupação com a mudança do panorama religioso da França, tradicionalmente Católica, mas que atualmente vive uma secularização doentia que abre espaço para outras doutrinas.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: