sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Principal líder sunita sírio convida o papa a visitar o país

Saudações queridos leitores!

O grão-mufti da Síria, maior clérigo islâmico sunita do país, disse que gostaria de se reunir com o papa Bento XVI e convencê-lo a visitar o país. De acordo com a agência de notícias italiana Ascom e outras fontes, o Xeque Ahmad Badereddine Hassoun fez o convite ao Papa para que ele siga os passos de São Paulo. O Xeque ainda se dispôs a se reunir com o Santo Padre no Vaticano para que possam combinar os detalhes da eventual viagem.

O Santo Padre, o Papa João Paulo II, de grande memória, fez uma visita histórica à Mesquita Umaíada de Damasco, em 2001.

De acordo com o Padre Frederico Lombardi, porta-voz do Vaticano, o Papa disse que o convite reflete o "clima sereno" que reina atualmente na Síria e as "boas relações" do Vaticano com o país.

Vale a pena lembrar que até pouco tempo atrás muitos muçulmanos queriam a cabeça do Santo Padre. Mas com essa manifestação do Xeque Ahmat Badereddine Hassoun, com a manifestação dos muçulmanos em Sidney e tantas outras, podemos ver que aqueles que se rebelaram contra o Papa são uma minoria fundamentalista muito barulhenta. Pra falar a verdade, nunca vi um interesse tão grande da comunidade muçulmana em relação ao Papa.

Quando questionado sobre o episódio de Ratisbona, Hassoun disse que o caso está encerrado. "Há um diálogo, e entre religiosos e intelectuais sempre haverá discussão", disse ele, ainda de acordo com a Apcom. "Pode-se brigar com a esposa, mas depois o amor aumenta".

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: