terça-feira, 26 de agosto de 2008

Impressões da primeira audiência do STF

Saudações queridos leitores!

Dona Cacilda, mãe da pequena Marcela, falecida no início desse mês, falou nessa terça-feira na audiência do STF e disse que sua filha foi um "presente de Deus". Ainda em seu relato, Cacilda disse que aproveitou muito o tempo junto dela. "Eu acho que [quem interrompe a gravidez] mata uma criança, não dá oportunidade de nascer. Crianças assim precisam de muito cuidado, carinho e amor", disse, durante a audiência no STF que discute o aborto, que eles chamam eufemisticamente de antecipação do parto de fetos anencéfalos.

Mas o que me intriga é a acusação, muito oportuna por sinal, que emerge agora, dizendo que o caso de Marcela foi erroneamente diagnosticado como anencefalia. Segundo Débora Diniz Rodrigues, representante do Instituto de Bioética, Direito Humano e Gênero, a criança apresentava cerebelo, tronco cerebral intacto e parte do lobo temporal, o que descaracteriza a anencefalia. Tal afirmação só começou a ser veiculada a pouco tempo, mas a pequenina esteve em nosso meio por 20 meses e não se havia questionado sua anencefalia.

a CNBB também se manifestou de forma contrária ao assassinatos de inocentes, lembrando que não existe direito individual que se sobreponha ao direito à vida. Também foi tocado um ponto interessante, que diz que os exames atuais não conseguem diagnosticar a anencefalia com uma precisão considerada suficiente.

Mas a parte que mais me surpreendeu foi ver a IURD, seita do Edir Macedo, sendo ouvida como se fosse uma religião. A argumentação usada pelo autoproclamado pastor para justificar o aborto é grotesca, abjeta, maligna. Só não é uma obra prima de Satanás porque é furada demais para qualquer pessoa com mais de dois neurônios dar crédito.

Vejam o trecho que cita o pastor para dizer que a Bíblia admite o aborto: “Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, e os dias dos seus anos forem muitos, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é melhor do que ele".

O pastor deturpou completamente o sentido de Eclesiastes 6,3. Esse é um dos efeitos mais asquerosos do livre exame que eu já vi na vida Duvido seriamente que veja uma ofensa tão grande à Palavra de Deus vinda de alguém que se diz cristão. Afirmar que há, no trecho, endosso ao aborto é pura blasfêmia. O aborto é empregado apenas como um extremo da fealdade. Não há endosso. É o exato oposto. E de onde o pastor tirou essa maldita interpretação? Do maligno-mor da seita, Edir Macedo e sua conveniência.

Que Deus tenha piedade de todos nós.

Fiquem com Deus,
Fernando.

Nenhum comentário: