terça-feira, 19 de agosto de 2008

Frei Betto, a aberração teológica fala sobre a Lei de Anistia

Frei Betto opina sobre a Lei de Anistia

Saudações queridos leitores!

Frei Betto concedeu uma entrevista ao Terra Magazine nesses dias em que classifica a Lei de Anistia como uma "aberração jurídica". Nem preciso dizer a vocês que o considero uma aberração teológica, que, junto com Leonardo "Genésio" Boff e Marcelo Barros, formam o nosso trio BBB da heresia. Ele defende uma revisão na Lei de Anistia, que foi o que permitiu uma transição pacífica da ditadura para a democracia.

Hoje em dia eu não tento entender certas coisas, simplesmente acredito que a burrice existe e é essa existência pura e simples que me faz acreditar que Frei Betto fale coisas como o que destaco abaixo:

Terra Magazine - O ministro Tarso Genro vem se mostrando favorável à abertura dos arquivos da ditadura e propõe, inclusive, a punição a torturadores. O senhor defende a revisão da Lei de Anistia para punir crimes de tortura?

Frei Betto - A lei da anistia é uma aberração jurídica. Como anistiar quem não foi sequer punido, como é o caso dos que torturaram e assassinaram? E o fizeram em nome do Estado e em desrespeitos às próprias leis adotadas e promulgadas pela ditadura. Não se trata de vingança, e sim de justiça. É a impunidade que favorece o crime. Todos os países sul-americanos afetados por ditaduras militares apuraram os crimes cometidos e têm punido os responsáveis. Assim, suas Forças Armadas marcam nitidamente a distinção entre elas e aqueles membros que praticaram crimes hediondos. Um não pode ser confundido com o outro.

Mas a lei de anistia foi justamente um perdão por todos os crimes cometidos por ambos os lados, caspita! Ora essa, ambos os lados desrespeitaram as leis, então porque raios o Frei Betto defende que a revisão se faça só com o lado dos militares?? Sabem, sobre a revisão da lei, no início, fui contrário, mas então, comecei a pensar bem e agora apóio tal revisão. Mas uma revisão justa, que atinja os dois lados.

Mas eu entendo porque o Frei Betto não liga para os crimes da esquerda. É porque ele não considera aquilo crimes. Vejam esse outro trecho:

Terra Magazine - Alguns setores militares afirmam que a violência, nos anos da ditadura, começou a partir de atentados da esquerda, a exemplo da explosão no Aeroporto de Guararapes (PE). O que acha dessa interpretação?

A violência maior foi derrubar um governo democraticamente eleito e indicar generais para governar o Brasil através de atos institucionais e um sofisticado e cruel aparelho repressivo.

Sim, claro... é o relativismo total das coisas. Derrubar um governo é crime, mas praticar atentados terroritas contra aeroportos não é crime quando se faz em nome de um "propósito". Dois pesos e duas medidas. E pensar que ele ainda se declara Católico. Alguém me dê dramin!!

Se forem julgar os crimes de tortura dos militares, deverão também julgar os crimes da esquerda, tal como práticas de seqüestros, atentados terroristas, assassinatos, acobertamento de grupos terroristas, formação de quadrilha, assaltos e tantos outros crimes.

Mas não, os que antes eram assassinos, seqüestradores e terroristas hoje são ministros, cartunistas de sucesso e muitos deles (quase todos) receberam gordas indenizações e pensões vitalícias pagas com o nosso dinheiro! Terrorismo no Brasil é como se fosse um investimento a longo prazo. Seja um terrorista hoje, pose de vítima daqui a 25 anos e saque sua indenização polpuda!

Asqueroso!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: