sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Começam os Jogos Olímpicos de Pequim

Saudações queridos leitores!

Acompanhei bem de perto os preparativos para os Jogos Olímpicos, apesar de não escrever sobre isso no blog. Mas tenho que dissertar sobre um assunto que está envolvendo certamente os Jogos em Pequim (ou Beijing, como virou modinha falar). A liberdade.

O Governo Comunista da China, a ditatura mais sangrenta que temos atualmente, está tentando passar uma imagem de país livre, próspero e que respeita as diferenças. Tudo mentira. Basta olhar um pouco além das notícias fantasiosas publicadas pelo China Daily para ver que a liberdade e o respeito que estão sendo pregados na China são, me perdoem o trocadilho, made in China.

Mas isso já era esperado na China e comentar sobre tais aspectos da ditadura chinesa é chover no molhado.

O que é inaceitável é que o COI (Comitê Olímpico Internacional) feche os olhos para a ditadura chinesa ignore todo o desrespeito aos direitos mais básicos das pessoas e em um ato de coadunação, de endosso da ditadura, permita que os Jogos Olímpicos, que deveriam ser uma festa para todos os povos, ocorram sob uma falsa paz, que encobre uma repressão brutal não só aos pobre cidadãos chineses, que por não conhecerem a liberdade, até acham que vivem bem, mas também repressão que atinge brutalmente qualquer estrangeiro que se manifeste de modo desagradável ao governo comunista. O COI, ao permitir que a China sedie os Jogos Olímpicos, suja suas mãos com o sangue de todos os inocentes mortos pelo regime ditatorial que eles endossaram.

Não é a primeira vez que o COI endossa ditaduras. Em 1936 eles também abriram mão de seus princípios pela realização dos jogos em Berlim, na Alemanha de Adolf Hitler. Com a reincidência na China, começo a acreditar que o COI nunca abriu mão de seus princípios, visto que só se pode abrir mão de algo que se possui.

Os atletas, coitados, são outros prejudicados nessa história. Estou certo de que muitos deles não apóiam o regime sanguinário que domina a China, mas como profissionais que ganham a vida para competir em suas modalidades e como muitos deles têm o sonho olímpico, eles vão e disputam os jogos, mesmo em condições que eles desaprovam.

É uma tradição, durante as cerimônias de encerramento dos jogos, que o presidente do COI declare que as edições recém-acabadas foram as melhores de todos os tempo. Essa tradição não foi seguida em Atlanta não se porquê (na verdade eu sei, mas não vem ao caso).

Não duvido nada que o presidente do COI declare que esses jogos foram os melhores de todos os tempos. Afinal, podem ser os melhores para os comunistas, mas e para a população?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: