quinta-feira, 28 de agosto de 2008

A batalha pela vida - A parcialidade dos imparciais

Saudações queridos leitores!

Marco Aurélio Mello não consegue esconder sua verdadeira intenção, que é liberar de vez o assassinato de inocentes no Brasil. De fato, ele está tão confiante de que a barbárie passará pelo STF que nem sequer dá ao trabalho de disfarçar seu entusiasmo. Pois ele afirmou que a descriminalização do assassinato de inocentes anencéfalos será aprovada por "onze a zero" na votação, prevista para ocorrer até fim deste ano.

Segundo o Ministro, "não se terá mais o gancho para não se interromper a gravidez, que era o caso Marcela".

Isso tudo é parte de um processo que se iniciou com o julgamento das células-tronco embrionárias. Segundo Marco Aurélio Mello, o que o "incentivou a tirar o processo dos fetos anencéfalos da prateleira foi a visão do Supremo com as pesquisas com células-tronco" disse ele a jornalistas no final da audiência.

Como no caso das CTEs, essas audiências e esse julgamento são um mero circo para passar uma falsa imagem de independência e isenção da corte máxima de nosso país, que teima em passar uma imagem mentirosa, pois todos os que lá estão, em maior ou menor grau, já foram contaminados pela nefasta cultura da morete e sua sub-variantes mais asquerosas.

Queridos leitores, guardem bem o que eu escrevo agora: isso tudo faz parte de um plano para instaurar a cultura da morte no Brasil. Começou com as CTEs, agora está nos anencéfalos. Logo depois outras anomalias serão questionadas e chegará um momento em que o povo considerará a eugenia como uma prática aceitável. Logo mais virão a eutanásia e o suicídio assistido. E como um rolo-compressor, todas as vozes que se erguerem contra essa nova ordem mundial serão lançadas na fogueira dos tolerantes.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: