domingo, 27 de julho de 2008

Igreja no México lamenta campanha de "católicas" abortistas que usa frases bíblicas

Saudações queridos leitores!

O diabo é o pai da mentira. Tudo que existe de enganação tem sua origem em Satanás. Esse espírito de enganação fica muito evidente nas "Católicas (???) pelo Direito de Decidir", que na verdade são homicidas que lutam pelo direito de matar inocentes. Pois não é que no México elas abusaram?

A campanha lançada no México pelas CDD, uma organização cuja central norte-americana promove o aborto com o financiamento de fundações como a da revista pornográfica "Playboy", utiliza passagens sexualmente sugestivas tiradas do livro Cântico dos Cânticos, do Antigo Testamento. Ao pé de cada passagem, incluem a mensagem "Ame o seu próximo como a si mesmo. Use camisinha".

Já é mais claro que o dia que esses grupos não têm absolutamente nada de Católicos e tudo de diabólicos. Essa tática de propaganda soa como tripudiação, como uma chacota contra a Igreja Católica.

O Padre Hugo Valdemar, porta-voz arquidiocesano lamentou o "uso grosseiro da palavra de Deus" e lembrou que "na Bíblia não se fala de preservativo".

Eu conheço bem esse tipo de gente. Elas estão loucas, assanhadas, para que a Arquidiocese contra-ataque, para que elas possam se posar de vítimas perseguidas pela Igreja reacionária. Se o Episcopado Mexicano for esperto, não vão cair nessa arapuca. Bispos do mundo inteiro já fizeram o que devem fazer quando condenaram essas organizações, que se intitulam católicas com o único objetivo de criar confusão e atacar a Igreja.

Elas já estão excomungadas faz tempo, por livre decisão e tudo o que elas querem é atacar a Igreja.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

presentepravoce disse...

Olá Fernando, seus post's estão atrasados, veja a novidade desta semana em 10/12/2008

Playboy colocou uma mulhes desvestida de santa e disse:
"Te adoramos, Maria."

Esta foi uma direta no queijo, só que não fomos a nocaute ainda.

Se querem polêmica, então vamos a ela.

Isto é apenas um truque de Marketing que sempre dá certo, cutuca-se a Igreja para ganhar propaganda gratuíta em todos os jonais, revistas e blog's.

No Brasil graças a Deus este problema já foi resolvido, foi impetrado um mandato judicial para que não se utilize qualquer tipo de objeto ou local que se relacione ao culto ou a Igreja Católica em qualquer tipo de veiculação de fotos que visam vender o pecado ao homem.

Se a exploração da imagem feminina é algo que induz ao pecado e a Igreja visa justamente afastar o homem do pecado, esta associação é um contraste, e totalmente injustificável, deveriam apenas usar imagens de inferno, bares e boates já que é onde seus leitores se encontram.

Polêmica é isso, usar de uma imagem Santa para vender aquilo que não é santo, mas neste caso fica caracterizado que tudo foi feito com má intenção mesmo, uma vez que as imagens vem acompanhada de palavras que ferem a Igreja muito mais do que a linda imagem de uma mulher "desvestida" de santa.

Não é polêmica, é um ataque mesmo, com fotos, fatos e palavras.

Nosso amigo Daniel deu o direito da Playboy zombar de quem quiser, vimos a poucos dias a Mulher do pagodeiro "Belo" tirando fotos em cima da mesa de um tribunal de justiça, depois a amante de um senador dentro do congresso, nem se fala da bandeirinha no campo de futebol e outras tantas invencionises. Não se trata de respeitar uma imagem religiosa, se trata de respeitar a imagem do vizinho que não lhe pertence e todos teem o direito de preservar ou jogar no lixo sua própria imagem.

Se a Igreja preserva sua imagem, haverá muita polêmica e atos judiciais contra esta atitude já que a justiça brasileira não tomou nenhuma iniciativa quando a Playboy jogou sua imagem na latrina, é porque realmente não tem o que preservar já que todos os dias saem notícias que denigrem a imagem de nosso judiciário, onde desembargadores e juíses vão para a cadeia por cometer atos de corrupção. "Isto seria uma vergonha para uma instituição sem mancha e sem ruga". No México a situação deve ser a mesma, todos já foram comprados mesmo, não se pode esperar que realmente punam esta atitude de uma revista masculina que claramente pede para ser punida, limitada e vigiada a partir de agora.

T Logn