sexta-feira, 4 de julho de 2008

"Homem grávido" dá à luz em parto natural nos EUA

Saudações queridos leitores!

Avançamos mais um ponto em direção à barbárie. O nascimento do filho de Thomas Beatie, (fonte aqui) a mulher que se mutilou para tentar parecer-se com um homem nos força a exercermos uma aceitação que não deveria existir.

Ao aceitarmos qualquer tipo de conduta, por mais bizarra e anti-natural que seja, o que nos impedirá que nos imponham a pedofilia, a zoofilia e tantos outros desvios sexuais que conhecemos? Não prego que discriminem Thomas Beatie ou seu filho, mas sim que a ideologia que permitiu que essa criança inocente nascesse sob tais circunstâncias não deve ser aceita jamais. Abrir a porta para tal conduta é uma invasão do relativismo, relativismo esse que foi e é responsável por verdadeiras barbáries em nosso mundo.

Thomas Betie afirmou: "Acho que a necessidade de ter um filho não é um sentimento masculino ou feminino. Sou um ser humano e tenho direito a ter um filho biológico".

Ora essa, ninguém está negando que ter um filho seja um desejo que transcenda o gênero. O que está em questão são as circunstâncias em que esse filho foi gerado. Por quê escolher duas mulheres se escolhem como parceiras sexuais, mesmo sabendo da impossibilidade biológica de gerarem um filho? Se tal desejo fosse algo real, ela deveria ter elegido um homem para tal. Mas nas atuais circunstâncias, esse filho vem apenas para ser um troféu para a comunidade gay, que usa tal criança para tripudiar das outras pessoas, como se isso fosse uma vitória deles.

Nessa história o maior perdedor é justamente o bebê, que crescerá totalmente desorientado, dentro de uma estrutura familiar estranha e anti-natural.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

OLHO VIVO disse...

PERIGO A VISTA!

A imoralidade esta avançando e fazendo seus estragos. Quem paga o preço é a FAMÍLIA que está servindo de deboche e de escárnio para os oportunistas. Primeiro que ele “NÃO MUDOU DE SEXO”, mudou o seu “ESTEREOTIPO”, pois sexo jamais se muda, nasce com ele e com ele vai morrer. É a “BIOLOGIA” e não eu que faz esta afirmação. Lamentavelmente tem muita gente embarcando nesta canoa furada e dando espaço na “MÍDIA” para este tipo de porcaria.

O ser humano está “RIDICULARIZANDO” Deus quando se submete a coisas desta natureza, pois se ele, na concepção, definiu como macho ou fêmea aquilo que virá ao mundo por uma “MÃE” jamais poderia o homem “TENTAR” alterar de forma violenta o projeto original de Deus. Ao se mutilar por um processo RIDÍCULO cirúrgico, homem ou mulher estará tão somente mudando as “APARÊNCIAS” posto que a originalidade é “IMUTÁVEL”.

A humanidade está sendo “DESMORALIZADA” pela classe médica quando esta se sujeita a realizar atos cirúrgicos para a “ADAPTAÇÃO” de um sexo a outro. Pior, estão fazendo isto, encarnados numa mentira deslavada e profunda que não é revelada ao paciente, já que qualquer profissional da área de medicina sabe, pela formação que possuem, que é “IMPOSSÍVEL” mudar o sexo de alguém. A “IRRESPONSABILIDADE” profissional neste caso é evidente!

É humilhante e deprimente ver estas aberrações acontecendo e tendo a aprovação da sociedade e da mídia. Mídia que compactua com esta “ASNEIRA” com toda a naturalidade do mundo o que não é surpresa, pois sabem eles que se forem contra perderão rios de dinheiro dos defensores destas imoralidades. É constrangedor ver que mesmo no Brasil as autoridades estejam “INSTITUCIONALIZANDO” esta prática perniciosa e vergonhosa com a desculpa esfarrapada de estarem atendendo aos “DIREITOS HUMANOS”. E os DIREITOS DA SOCIEDADE? E os DIREITOS DA FAMÍLIA? E os DIREITOS DOS PAIS em ver seus filhos no estado original de concepção? E o DIREITO DOS FAMILIARES em conviver com um parente da forma como ele foi gerado? Quanta humilhação será para esta criança ao descobrir esta barbárie que cometeram com ela! E aí? De quem é a responsabilidade?

É preciso com urgência coibir esta prática, do contrário com a família descendo ladeira abaixo como está será inevitável o convite para o “VELÓRIO” da mesma. O caixão parece que até já foi encomendado e o cemitério escolhido, quem sabe não aparece um Padre disposto a celebrar a “Missa de Corpo Presente”? Afinal, a “IGREJA CATÓLICA” tem demonstrado apoio total a estas aberrações quando evita condenar as práticas homossexuais que são largamente praticadas por seus seguidores.

Carlos Roberto Martins de Souza
crms2casa@otmail.com