sexta-feira, 18 de julho de 2008

Ecumenismo deve ser fator agregador

Saudações queridos leitores!

Bento XVI tem uma característica que eu admiro em especial. Ele é capaz de anunciar as mais puras verdades da maneira mais simples e compreensível a qualquer público. Qualquer um que leia seus discursos percebe isso.

Durante a JMJ em Sydney o Papa alertou para os perigos que o exagero do ecumenismo pode trazer. O principal ponto destacado foi o de tornar a doutrina um ponto de divisão entre os cristãos. Todos sabemos que a Verdade é apenas uma, mas essa Verdade, quando anunciada de forma errada, mais espalha do que ajunta.

Sobre isso, disse o Papa: "Quanto mais assiduamente nos dedicarmos a alcançar uma percepção comum dos mistérios divinos, tanto mais eloquentemente hão-de as nossas obras de caridade falar da imensa bondade de Deus e do seu amor para com todos. Santo Agostinho exprimiu a recíproca ligação entre o dom do conhecimento e a virtude da caridade, quando escreveu que a mente retorna a Deus através do amor, e que onde se vê a caridade, vê-se a Trindade".

O Papa salientou que a Verdade deve vir sempre acompanhada do amor e que o diálogo entre as religiões cristãs deve-se dar em uma esfera em que elas possam enriquecer-se mutuamente.

Mais informações em ZENIT.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: