sábado, 7 de junho de 2008

Proselitismo no Piauí. Nessa hoa ninguém fala que o Estado é Laico...

Saudações queridos leitores!

No Piauí as vítimas das enchentes estão recebendo um item extra junto com suas cestas básicas. Uma Bíblia. Em um primeiro momento, isso parece ser algo bom, mas infelizmente as Bíblias são, conforme a própria SBB confirma, são escritas em linguajar mais simples e por isso correm o sério risco de serem adulteradas.

Segundo a reportagem do Terra, as Bíblias possuem uma "tradução para linguagem menos rebuscada que a utilizada nas convencionais, para facilitar a compreensão por parte dos leitores". Entendam isso como adulteração. Todos nós sabemos o que acontece com quem muda uma vírgula na Palavra de Deus, não é?

Quem lê o que eu escrevo deve pensar o que eu acho das diversas traduções utilizadas pelos Católicos. Não existe problema com as traduções Católicas, pois as Bíblias são integrais (contém os Deuterocanônicos) e as adaptações, além de serem fiéis aos originais, são autorizadas pela entidade que compilou a Bíblia, a Igreja Católica.

Não que eu seja contrário ao conforto espiritual dos desabrigados. Não consigo imaginar a dor que eles passam. Mas isso não justifica fazer proselitismo usando o Estado. Se a Igreja resolvesse distribuir terços aos desabrigados, garanto que a tropa de choque laicista e protestantóide já derrubaria o mundo sobre a iniciativa da Igreja.

Nessas horas ninguém fala que o Estado é laico, né?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

Anônimo disse...

Bem, agora até a distribuição das sagradas escrituras virou motivo de reprovação.

Pelo que sei, a Sociedade Bíblica do Brasil é uma entidade protestante ecumênica. Inclusive, a versão distribuida, que creio, deve ser a " Nova Tradução na Linguagem de Hoje", foi, durante muito tempo, aprovada pela própria CNBB.
Enfim, acho que os ultramontanos ainda querem que a Bíblia esteja exclusivamente em latim

Abraços em Cristo

Jaqques Le Poy

Cristão, Protestante, Ecumênico e Progressista..