quinta-feira, 19 de junho de 2008

Pesquisa acusa que a Igreja é responsável por uma homofobia praticamente inexistente na Itália

Saudações queridos leitores!

O lobby gay tenta transformar qualquer comportamento que não seja o louvor à sodomia em homofobia e crime. Uma pesquisa feita na Itália prova que entre os pais que não aceitam a orientação sexual de seus filhos, as reações violentas são uma minoria absoluta. Oitenta por cento dos pais declararam que o importante é a felicidade de seus filhos, independente da condição sexual.

Os pais católicos da Itália, que somam 40% dos pesquisados manifestaram que se recusariam a aceitar a homossexualidade de um filho, mas após um tempo a aceitação acaba surgindo. As reações violentas são mínimas, tão mínimas que não foram sequer citadas na reportagem do Estadão.

Foram entrevistadas 200 famílias de gays e lésbicas entre 14 e 22 anos. A pesquisa foi respondida por 119 mães e 53 pais, além de irmãos e irmãs. Dos entrevistados, 70% se declararam de esquerda, 4% de direita e 26% se divide entre centro-esquerda e centro-direita. Surpreende esse número de pessoas que se declaram de esquerda, visto que nas últimas eleições italianas os esquerdistas não conseguirar superar a barreira de 4% dos votos e ficaram sem representantes no governo do país.

Para 53% dos pais e 44% das mães tal descoberta é inesperada e a primeira reação é de surpresa, medo e dor. Mas pouquíssimos pais confessaram ter reagido de modo violento à notícia: três mães deram um tapa em seus filhos e duas os expulsaram de casa, um pai disse que não era mais seu filho e duas mães chamaram os filhos de "pervertidos". Quase todos recusam a idéia da homossexualidade como uma doença.

Apesar de a própria pesquisa demonstrar que o comportamento que pode ser considerado homofóbico é mínimo, a Igreja Católica foi mais uma vez considerada a grande vilã na rejeição ao comportamento homossexual, já que a mesma expressa sua posição contrária com relação ao tema. Isso é meramente mais um ataque à Igreja. Os pesquisadores desconsideraram completamente o peso que uma revelação dessas tem em uma família e o fato de as pessoas reagirem de maneira inesperada a isso. A Igreja não pode ser culpada por esse comportamento. Uma revelação assim é algo chocante e as pessoas tendem a reagir de maneira mais emocional nesses casos.

Ademais, quero que algum homossexual se manifeste e me apresente um conceito objetivo de homofobia, pois praticamente todo comportamento que não seja louvar a cultura gay é considerado homofóbico.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: