terça-feira, 17 de junho de 2008

Judeus sobreviventes do holocausto visitarão o Papa

Saudações queridos leitores!

Hoje em dia eu vejo que as pessoas dão menos crédito às teorias de que Pio XII foi um Papa que se omitiu durante a Segunda Guerra. Parte significativa dessa mudança deve ser creditada à Fundação Pave The Way (PTWF). A Fundação Pave The Way é uma instituição dedicada ao trabalho inter-religioso, promovendo a tolerância e a compreensão entre as religiões através de intercâmbio cultural e intelectual. Na próxima quarta-feira, um pequeno grupo de judeus sobreviventes do Holocausto se encontrará com o Papa Bento XVI para agradecerem pessoalmente pelos esforços da Igreja para salvar suas vidas durante a Segunda Guerra Mundial.

Essa fundação promoverá um simpósio sobre o papado de Pio XII em Roma de 15 a 18 de setembro próximos, onde serão exibidos testemunhos de pessoas que foram salvas graças às ações de Pio XII e de membros da Cúria Romana. Algumas dessas ações eram desconhecidas até mesmo pelo Vaticano.

De acordo com Gary L. Krupp, presidente da fundação, O propósito do Simpósio é o de «analisar o que se sabe até hoje, antes da abertura dos arquivos vaticanos. Não se trata de fazer uma revisão erudita centrada só nos arquivos originais, mas sim um tribunal onde os acontecimentos de então e os testemunhos atuais ajudem o grupo a chegar a uma conclusão razoável, que receberá confirmação histórica quando os arquivos forem abertos».

«O mundo judaico foi exposto só à obra fictícia «O Vigário». Contudo, na opinião dos historiadores internacionais reconhecidos da Segunda Guerra Mundial, assim como do biógrafo oficial de Winston Churchill, sir Martin Gilbert (Também judeu), essa obra é uma hábil invenção não baseada na precisão histórica. Também o livro de John Cornwell, «O Papa de Hitler», foi desacreditado.

Entre os palestrantes, destaca-se o historiador alemão Peter Gumpel S.J., o historiador judeu e rabino David Dalin, e os investigadores Ron Rychlad, William Doino, Margherita Marchione, Patrick Gallo e Dan Kurzman, especialistas naquela época. A Fundação destaca também a colaboração do jornal Inside the Vatican.

Certamente esse evento tratá novas luzes sobre um tema que começa a ser revelado de forma mais séria e imparcial.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

Rodrigo disse...

Nesse exato momento estudo para minha tese a terceira sessão do Vaticano II, que discutiu, especialmente, a questão das relações entre cristãos e judeus. A briga é longa e se Deus assim desejar, publicarei algo sobre o assunto.