sexta-feira, 27 de junho de 2008

Clodovis Boff rompe com a TL

Saudações queridos leitores!

Clodovis Boff, irmão de Leonardo "Genésio" Boff, ao que parece, teve um lampejo de razão. Ele divulgou um artigo um tanto extenso no site Adital (um site esquerdista) condenando e exortando a uma reflexão acerca de diversos aspectos da Teologia da Libertação, uma heresia de cunho marxista que corrói a Santa Igreja por dentro.

Ao contrário de Leonardo, que sempre apareceu na mídia, comprou briga com a Santa Sé, levou dois silêncios obsequiosos e apostatou, Clodovis sempre se manteve estudando, lendo enquanto o irmão aparecia. E penso que através desse texto, Clodovis esteja rompendo com a TL. Por mais que ele mesmo resolva dar outro nome, o que vemos é um rompimento, o fim da compactuação de Clodovis com os princípios dessa ideologia travestida de Teologia.

Os motivos de seu rompimento, o próprio Clodovis explica. Cito:

"Quer-se mostrar aqui que a Teologia da Libertação partiu bem, mas, devido à sua ambigüidade epistemológica, acabou se desencaminhando: colocou os pobres em lugar de Cristo. Dessa inversão de fundo resultou um segundo equívoco: instrumentalização da fé "para" a libertação. Erros fatais, por comprometerem os bons frutos desta oportuna teologia."

clodovis enxergou agora o que a Igreja viu assim que a TL surgiu: Ela é uma ideologia epistemiologicamente ambígua, que substituiu Cristo pelos pobres, deixando de ser como a própria Igreja é, Cristocêntrica. Quando a TL assumiu forma antropocêntrica, deixou de ser uma teologia e tornou-se mera ideologia, modelada pelos conceitos marxistas da luta de classes, já a muito condenados pela Igreja. Ele também condena o uso que a TL faz da Fé, tratando-a como uma arma de luta política, desvirtuando sua real função em nossa vida.

Confesso que o artigo de Clodovis Boff me deixou um tanto surpreso, ainda mais por ele, sendo quem é, fazer tais reflexões. Em outra parte do artigo, ele sintetiza de maneira magistral os motivos que levam a TL não ser uma Teologia, mas sim uma ideologia:

"Que o pobre seja um princípio da teologia ou uma perspectiva (ótica ou enfoque), é possível, legítimo e mesmo oportuno. Mas apenas como princípio segundo, como prioridade relativa. Se assim é, a teologia que arranca daí, como é a TdL, só pode ser um "discurso de segunda ordem", que supõe em sua base uma "teologia primeira".

Contudo, não parece que a TdL tenha essa consciência, pois se pensa, para todos os efeitos, como uma teologia inteira à parte, substituindo ou dispensando a "teologia primeira" e fundindo ou, melhor, confundindo o nível "transcendental" com o "categorial". Em sua prática teórica, continua a pôr o "pobre" como seu princípio, centro e fim."

Resumindo: Não existe Teologia sem o foco principal em Deus. E no momento que a TL deixou de focar a Deus e passou a focar no pobre, a coisa desandou.

É, queridos leitores, demos graças a Deus. Para ter acesso à íntegra do artigo, clique aqui.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: