sábado, 31 de maio de 2008

Vaticano lança documento sobre a obediência religosa

Saudações queridos leitores!

A obediência é uma virtude fundamental ao verdadeiro Cristão, que é o Católico. Essa virtude é uma das maiores causas de problemas no seio da Igreja e no mundo em geral. Mencionando apenas os problemas mais recentes, muitas das heresias que pululam por aí, inclusive com voz dentro da Igreja, provém de atos de desobediência à Autoridade de Pedro. Leonardo "Genésio" Boff, o grande nome da TL é um exemplo clássico. Quis tornar-se o deus de sua consciência, rejeitando a Cristo em nome de suas próprias convicções e com isso tornou-se um heresiarca de marca maior, arrastando muitas almas incautas para o buraco.

Em vista disso, a Congregação vaticana para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica publicou a Instrução "O serviço da autoridade e a obediência" nesta quarta-feira, ao mesmo tempo em que se apresentou em uma assembléia dos superiores e superioras gerais no Salesianum de Roma.

O texto se refere à obediência religiosa e é mais voltado para os religiosos do que para todo o povo de Deus, mas serve de um bom guia.

No texto, ao explicar o que é a obediência, o texto nos mostra que "A obediência cristã e religiosa não se configura, antes de tudo ou simplesmente, como uma execução de leis ou de disposições eclesiásticas ou religiosas, mas como uma etapa do caminho na busca de Deus – prossegue a Congregação –, que passa através da escuta de sua Palavra, a conscientização de seu projeto de amor, a experiência fundamental de Cristo, o obediente por amor até a morte de cruz.".

A Instrução aborda também "a delicada questão das "obediências difíceis", aquelas nas quais o que se pede ao religioso ou à religiosa resulta particularmente grave ou aquelas onde o que deve obedecer pensa que há ‘coisas melhores e mais úteis para sua alma das que lhe ordena o superior’. (...) O documento menciona também a possível ‘objeção de consciência’ em quem deve obedecer, avaliando-se um texto ainda atual de Paulo VI".

Existe uma letra do Peninha que diz que quando a gente ama, a gente cuida. Ou algo assim. Se os Católicos entendessem um pouco mais a Santa Igreja, certamente que amariam muito mais, cuidando muito melhor do patrimônio moral que nos permitiu chegar até onde estamos, sendo a gênese da civilização ocidental. Ninguém consegue amar aquilo que não conhece.

Conheçamos nossa Igreja, para que a partir do amor que há de brotar, cuidemos mais e obedeçamos cada vez mais aos designos de Deus.

Com informações de ZENIT.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: