segunda-feira, 19 de maio de 2008

Nada de homossexuais nos Seminários

Saudações queridos leitores!

Parte significativa dos problemas enfrentados pela Igreja nos Estados Unidos nos últimos anos deve-se à falta de critérios para a admissão de novos seminaristas. Para coibir esse problema, novas normas foram colocadas em vigor para evitar mais problemas, visto que a Igreja ainda sofre muito com os problemas passados.

Nos Estados Unidos, boa parte da visita do Santo Padre ao país girou em torno disso. Como o Vaticano andou recebendo muitos pedidos de maiores explicações sobre os critérios para a admissão de novos seminaristas, o Cardeal Tarcisio Bertone enviou uma carta aos bispos do mundo inteiro para esclarecer ainda mais as coisas.

Na carta, o Cardeal afirma que as normas estabelecidas em relação à seleção de candidatos ao sacerdócio pela Instrução, vale “para todas as casas de formação para o sacerdócio, incluídas aquelas que dependem dos Dicastérios para as Igrejas Orientais, para a Evangelização dos Povos e para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica".

Na Instrução de 2005, a Congregação para a Educação Católica, "de acordo com a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, acha necessário afirmar com claridade que a Igreja, respeitando profundamente às pessoas em questão, não pode admitir ao Seminário e às Ordens Sagradas a quem pratica a homossexualidade, apresentam tendências homossexuais profundamente arraigadas ou sustentam a assim chamada cultura gay".

Os pecadores devem ser amados e acolhidos pela Igreja, mas não podemos dar chance para que seus erros contaminem os fiéis, por isso essa vigilância tem que ser mantida.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

2 comentários:

Anônimo disse...

Amado irmão em Cristo,
a Igreja considera necessário não admitir "ao Seminário e às ordens sacras aqueles que PRATICAM o homossexualismo, apresentando tendências homossexuais profundamente RADICADAS ou defendem a chamada cultura gay" afirma o documento. Porém, comecemos dizendo que a posição da Igreja (que é a da Bíblia e da sagrada Tradição); assistida e guiada pelo Espírito Santo, como Jesus prometeu (cf. Jo 14, 15.25; 16,12-13; Mt 28,20), é que a “tendência homossexual não é pecado” e tem suas causas desconhecidas, mas diz que a PRÁTICA DOS ATOS SEXUAIS é uma “depravação” (cf. Catecismo §2357ss ); é pecado grave. Boa parte do clero possui a tendência homossexual, eles não deixam de ter a tendência homossexual, como o alcoólatra não deixa de ter a tendência ao alcoolismo, assim como um hétero que possui uma excessiva atração pelo sexo feminino, mas você pode, com o auxilio da Graça de Deus, vencer-se-a-si-mesmo sempre. E receberá de Deus a recompensa, pois você vai agradar muito a Deus.
Não se pode chamar de pecadores os que apenas sofrem com esta tendência, pois não o são. Como também não podemos confundir o homossexualismo com pedofilia, mesmo porque, há muitos héteros que são pedófilos.

A paz!

Anônimo disse...

Amado irmão em Cristo,

a Santa Sé afirma que homossexuais que mantêm a prática sexual e os que apóiam o movimento gay não são bem-vindos ao sacerdócio, a menos que o candidato tenha superado suas tendências homossexuais há, no mínimo, três anos, de acordo com um documento da Igreja.

A paz!