segunda-feira, 26 de maio de 2008

Médicos aconselharam aborto de bebê saudável

Saudações queridos leitores!

Mais um caso escandaloso mostra os perigos e a falta de critério na execução de abortos na Europa. Em Londres, um casal recebera a informação de que seu bebê nasceria com uma doença cerebral incurável e que nasceria morto ou com graves problemas. Os médicos recomendaram ao casal que abortassem o bebê, recomendação essa que não foi seguida pelos pais, que, após o nascimento, descobriram que o bebê era completamente saudável.

Como prova, na última sexta-feira, o casal Leeann Phelan, 23 anos, e Stephen Crane, 32 anos, recebeu os resultados dos exames que comprovam que o bebê, que já está com seis meses de vida é perfeitamente saudável.

Com 20 semanas de gravidez, Leeann foi encaminhada de um hospital menor ao Hospital da Universidade King, em Londres. "Eles me disseram que um pedaço do cérebro do bebê estava faltando - a porção que controla os movimentos".

Esse caso engrossa os argumentos dos parlamentares que defendem que o prazo para a execução do aborto na Inglaterra, que é atualmente de seis meses (!!!) deva ser encurtado. Grupos pré-vida também destacam que o caso de Jayden, o bebê em questão, demonstra que os nascituros podem sobreviver com menos de 24 semanas de vida, como Jayden.

Atualmente, na Europa, sempre que são detectadas anomalias nos nascituros, há uma pressão para que a gestante cometa o aborto, o que evidencia que essa decisão é muitas vezes induzida pelos médicos ou por outros militantes contrários à vida. Essas atitudes constituem em uma espécie de eugenia, que visa eliminar todos aqueles que são considerados inaptos para a perfeita convivência em sociedade, ou então aqueles que por suas deficiências, venham a ser considerados "fardos" para seus pais. A tragédia torna-se ainda maior porque com esses erros, quem sabe quantos bebês normais foram abortados.

"Eles [os médicos] disseram que eu poderia ter outros filhos e eu disse: 'não importa que eu possa ter outros filhos depois, eu não vou me livrar deste'", disse a jovem mãe.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: