quinta-feira, 15 de maio de 2008

Cristina Kirchner decide mudar Te Deum por "cerimônia multi-religiosa"

Saudações queridos leitores!

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, demonstra que não dá muita bola e não respeita as tradições Catolicas. Em seu último ato presidencial, ela declara que vai acabar com uma tradição de quase dois séculos na Argentina, que é a cerimônia do Te Deus que ocorre na Catedral de Buenos Aires. Fiquem com reportagem da ACI, volto depois.

Kirchner decide mudar Te Deum por "cerimônia multi-religiosa"

.- O governo de Cristina Kirchner, em uma nova atitude de desplante às autoridades da Igreja Católica na Argentina por sua postura independente, anunciou que cortará uma tradição de 198 anos e substituirá o tradicional Te Deum de 25 de Maio na Catedral de Buenos Aires por uma cerimônia "multi-religiosa" em Salta… a província mais católica da Argentina.

Nenhum bispo argentino se pronunciou oficialmente sobre a insólita decisão da Presidenta; mas o Presidente da Pastoral Universitária de Buenos Aires, o Pe. Guillermo Marcó –até recentemente porta-voz do Arcebispado de Buenos Aires–, falou sem rodeios com a agência Notícias Argentinas e explicou que o traslado do ato ao norte argentino se deve ao "desagrado" do oficialismo pelas francas homilias do Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Jorge Bergoglio.

O Pe. Marcó descartou o argumento da Presidência, que justificou a decisão do traslado com o suposto fim de "federalizar" um festejo que comemora um evento estritamente capitalino, pois foi o conselho de Buenos Aires quem decidiu, em 25 de maio de 1810, criar o primeiro governo rioplatense independente da Espanha. A cerimônia tradicionalmente federal na Argentina é 9 de julho.

"Durante muito tempo a única instituição que advertia sobre os perigos de algumas tendências deste governo e do anterior foi a Igreja Católica"; disse o Pe. Marcó a Notícias Argentinas. "um pouco o que marca esta fuga de Buenos Aires é o desagrado pelas homilias do Cardeal", adicionou.

Não é a primeira vez que os Kirchner reagem contra as justas críticas das autoridades eclesiásticas. Em 2005, interrompendo uma longa tradição, Néstor Kirchner decidiu mudar o Te Deum a Santiago del Estero e em 2007 a Mendoza, logo do mal-estar que lhe causaram os comentários sobre a realidade argentina do Cardeal Bergoglio na Missa de 2006.

Voltei. Como podem ver, queridos leitores, Cristina está aprendendo direitinho com Hugo Chávez, financiador de sua campanha eleitoral e com Evo Morales, índio cocalero que na verdade é um rascunho de Chávez, o caudilho-mor do lado debaixo do Equador.

Para demonstrar seu descontentamento com as críticas recebidas da Igreja, ela usa do poder do Estado para atacar a Igreja de modo sutil. Não há fundamento para as mudanças que ela ordenou, só a ameaça velada mesmo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: