segunda-feira, 28 de abril de 2008

Quem é quem - Abortistas detonam explosivo caseiro em universidade chilena

Saudações queridos leitores!

Em um ato de extrema covardia e notório desprezo pela vida, um grupo de militantes abortistas, de orientação esquerdista detonou uma bomba em uma Universidade Católica no Chile.

De acordo com a reportagem da ACI Prensa, o grupo, que se denomina Federación Insurreccionalista executou esse atentado contra a Universidade de Los Andes, em Santiago no Chile usando um explosivo caseiro, detonado em um dos banheiros da casa de estudos.

O grupo de militantes esquerdistas/abortistas enviou um comunicado assumindo a autoria do atentado como um modo de rechaçar a decisão do Tribunal Constitucional de proibir a distribuição da pílula abortiva do dia seguinte pelos serviços de saúde públicos. Um dos catedráticos mais importantes do Tribunal Constitucional faz parte da Universidade, que é mantida pelo Opus Dei.

A explosão ocorreu aproximadamente às 21:10 em um banheiro feminino no segundo andar do edifício de ciências. Logo após, o prédio foi evacuado até a certeza de que não haviam outros artefatos explosivos. O atentado não deixou feridos mas causou danos nas instalações do prédio. Apesar de ter sido um atentado considerado pequeno, as motivações revelam sua gravidade.

Em nota, o grupo que assumiu a autoria do atentado. Entre suas reclamações, eles alegam que "os governantes que administram o sistema de poder e os exploradores da vida dos indivíduos querem aumentar o fechamento dos microespaços de liberdade que os habitantes deste contaminado planeta dispõem".

Entendam que o que eles querem dizer com "fechamento de microsespaços de liberdade" é que reivindicam o direito de matar bebês que ainda não nasceram. Eles também reconhecem a "opção legítima de recorrer à interrupção de uma gravidez em ótimas condições sanitárias". Eles reconhecem o direito da mulher, mas desconhecem por completo o direito dos nascituros, que são pessoas que, apesar de dependentes da gestante, possuem uma identidade completamente diferente.

Sente-se o fedor de anti-catolicismo ao se deparar com os termos usados para se referir à Santa Igreja, classificando o Tribunal Constitucional de "tribunal medieval". Entendo. Medievais são os outros, sempre. Quem defende o assassinato é que é "moderno". Dessa modernidade quero distância.

Chamam a iniciativa de defesa da vida de "asquerosa inquisição", como se fosse errado defender o direito das pessoas de viver. Classificam a campanha também de "repressão fascista" a defesa da vida e alegam que as mentes que defendem a vida são "retorcidas e castradas".

Ao se referir à Universidade, que é Católica, classificam-na como "antro de opulência e merda católica", onde eles "entraram se vomitar entre as paredes de sacra repugnância".

Acusam a Universidade de Los Andes e o Tribunal Constitucional como responsáveis pela miséria de todos os que trabalham "nas masmorras do capitalismo".

Assumem uma postura ameaçadora, crendo que todos os métodos são permitidos em sua luta, o clássico "os fins justificam os meios", um dos mantras esquerdistas. Os áulicos pregam abertamente a insurreição, e revolta, por quaisquer meios, inclusive o terror.

O grupo prototerrorista ainda chama os "companheiros" a continuar destruindo o que supostamente lhes oprime, em uma clara incitação ao terror.

Finalizando, eles terminam dizendo que atacarão tudo o que pretende "impedir o autocontrole de seus corpos" e que destruirão a todos.

É, meus queridos leitores, essa é a face mais radical da esquerda. Para os esquerdistas, eles podem até não concordar com os meios empregados por esse tal grupo, mas certamente os consideram válidos em nome da "causa". Não se enganem, os nossos esquerdistas podem até discordar dos métodos, mas os acham plenamente compreensivos pela causa.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: