quarta-feira, 30 de abril de 2008

Primeiro-ministro deplora aborto seletivo de meninas na Índia

Saudações queridos leitores!

O aborto (mais uma vez!) está sendo usado na Índia como método de seleção de crianças. Várias famílias pobres, para ter um filho que ajude nos momentos de crise, simplesmente abortam as filhas meninas, provocando um grave desequilíbrio na população do país. Fiquem com notícia de ACI, volto depois.

Primeiro-ministro deplora aborto seletivo de meninas na Índia

.- As máximas autoridades da Índia reconheceram os macabros alcances do aborto seletivo de meninas, uma prática cada vez mais comum no país asiático.

O Primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, criticou duramente esta situação considerando-a “uma das práticas mais desumanas, incivilizadas e repreensíveis”, ao participar da apresentação da conferência nacional “Salvemos às meninas”.

A agência a Índia IANS informou que a fenomenal afeta sobre tudo às regiões mais ricas da Índia e conduziu a uma queda do número de mulheres respeito ao de homens.

O aborto seletivo afeta às regiões mais ricas, como Punjab (noroeste), com 798 meninas por cada mil meninos, Haryana (noroeste, 819), Nova Delhi (868) e Gujarat (oeste), com 883 meninas por cada mil meninos.

Voltei. Essa é uma situação muito grave, que acontece a muito tempo não só na Índia, mas em outros países onde esse senso de importância exacerbada ao sexo masculino impera.

Isso é um comportamento adquirido através da cultura. Uma cultura assim não pode ser tolerada. A moral tem que falar mais alto. Tolerar tal comportamento em nome de um senso cultural, em nome de uma herança do povo é coadunar com o assassinato. Assassinato não é herança cultural.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: