quinta-feira, 17 de abril de 2008

Liberdade: dom e responsabilidade

Saudações queridos leitores!

Todos nós amamos a liberdade? Claramente sim. Mas há uma diferença entre os que amam a liberdade própria e os que amam a liberdade de todos. Os católicos estão no segundo grupo. Tanto é que para que uma conversão seja autêntica, ela deve ser um ato exercido em plena liberdade. O Santo Padre lembrou isso a todos nós em Washington. Fiquem com notícia de ZENIT (íntegra aqui), volto depois.

Liberdade: dom e responsabilidade, diz Papa

Bento XVI diz que a liberdade deve ser apoiada para a causa do bem WASHINGTON, D.C., quarta-feira, 16 de abril de 2008 (ZENIT.org).- A liberdade é um desafio para cada nova geração e deve ser constantemente apoiada para a causa do bem, disse Bento XVI.

O Papa afirmou isso hoje, na Casa Branca, no primeiro dia de sua viagem aos Estados Unidos. Ele foi recebido pelo presidente George W. Bush e sua esposa, Laura, e aproximadamente 9.000 convidados, para uma cerimônia oficial de recepção.

O Santo Padre disse, «estou feliz por estar aqui como um convidado de todos os americanos. E venho como amigo, um pregador do Evangelho e com grande respeito por esta vasta sociedade pluralista. Os católicos americanos fizeram, e continuam a fazer, uma excelente contribuição para a vida em seu país. Como eu comecei minha visita, eu acredito que minha presença será uma fonte de renovação e esperança para a Igreja nos Estados Unidos, e reforço na resolução dos católicos a contribuírem sempre mais responsavelmente para a vida desta nação, da qual eles são orgulhosos de ser cidadãos».

Como era esperado, durante uma visita a um país conhecido como «terra da liberdade», o pontífice focou grande parte de seu pronunciamento público sobre o tema da liberdade.

Voltei. A liberdade é um valor essencial, inerente ao cristianismo e ao ocidente. O amor pela liberdade é uma das coisas que nos diferencia dos outros. Mas essa liberdade também é terreno fértil para a propagação do erro, o que nos obriga a sermos sempre vigilantes e nos leva a estarmos dispostos a constantemente lutar contra toda sorte de mal que surge em nosso meio.

Uma atitude só tem seu total valor se é tomada como um ato exercido em plena liberdade. Atitudes que são tomadas por meio de coação ou qualquer outro modo que não seja livre, não representam o real desejo, são apenas um modo de se prender e sujeitar o próximo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: