quarta-feira, 30 de abril de 2008

Leis anti-família do Governo espanhol são doutrinárias e sectárias, assegura FEF

Saudações queridos leitores!

O atual governo socialista espanhol está minando a instituição familiar de maneira maciça. Nos últimos anos, vários projetos foram apresentados com motivação unicamente ideológica, atendendo a minorias que cada vez mais sufocam a grande maioria. Fiquem com reportagem de ACI, volto depois.

Leis anti-família do Governo espanhol são doutrinárias e sectárias, assegura FEF

.- O Presidente do Foro Espanhol da Família (FEF), Benigno Branco, assegurou que “nos últimos quatro anos se promoveu do Governo, uma verdadeira revolução ideológica na regulação do matrimônio e a família”, dando as leis que “são doutrinárias e sectárias e estão inspiradas na teoria do gênero” que tanto dano faz.

Na recente apresentação do livro Provocações do século XXI para a Família, Branco assinalou que “com o divórcio expresso, a teoria do gênero, a lei de reprodução assistida e a LOE com Educação para a Cidadania” se atacou “a essência da família e a seus princípios nucleares”.

No evento realizado na Universidade CEU Cardeal Herrera, o Presidente do FEF assegurou que “a instituição familiar é o laço de solidariedade interpersonal mais potente que a sociedade conheceu, ao tempo que é a verdadeira ‘segurança social’ ”, mas “quando o Estado tenta assumir esta função, faz-o com muita menos eficácia e um grande custo social”.

Do mesmo modo, afirmou que “a família cria o nicho ecológico para a existência humana e é o âmbito de criação da vida”, por “esta razão que na Europa volta a haver convicção de que necessitamos à família e por isso os governos competem por ajudá-la”.

Voltei. Os ataques contínuos durante todos esses anos acabam por literalmente doutrinar o povo, infundindo um senso deturpado e fazendo com que eles realmente dêem cada vez menos importância à instituição familiar.

Os militantes de causas contrárias à vida e à tradição do modelo familiar colocam toda a Europa em perigo com suas políticas hipócritas, que visam trazer a tolerância para apenas um dos lados da sociedade, incentivando comportamentos claramente anti-naturais que agravam ainda mais a crise populacional do Velho Continente.

A Europa passa por uma crise de moral e a pouca moral que resta está sendo deturpada por mentes egoístas e hipócritas, que em nome de um suposto respeito, uma suposta tolerância, buscam calar todas as vozes discordantes, criando uma verdadeira hegemonia de pensamento que nada mais é que um regime totalitário. Enquanto mais pessoas não se levantarem para lutar contra essa verdadeira revolução cultural, mais e mais os pregadores da hegemonia intelectual avançarão sobre os direitos de todos, até um momento em que não haverá mais o que fazer.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: