sábado, 19 de abril de 2008

Líder muçulmano proclama que Roma será logo conquistada pelo Islã

Saudações queridos leitores!

Um dos terroristas do Hamas está sonhando alto... acha que o Islã vai derrubar Roma. Fiquem com reportagem da ACI, volto depois.

Líder muçulmano proclama que Roma será logo conquistada pelo Islã.- Conforme informa CatholicNewsAgency.com, Yunis ao-Astal disse aos seus ouvintes o seguinte: "muito em breve, pelo Alá, Roma será conquistada, assim como foi Constantinopla, como foi profetizado por nosso profeta Maomé. Hoje, Roma é a capital dos católicos, ou a capital dos cruzados, que declarou sua hostilidade ao Islã".

Este discurso breve foi transmitido pela cadeia do Hamas, À-a Aqsa TV. Nela Yunis ao-Astal disse que Roma se converterá em "um posto avançado para as conquistas do Islã, que se estenderá na Europa por completo, e logo chegará às América, e inclusive à Europa do Este".

"Alá os escolheu para ele e para a sua religião, para que sirvam como motor que mova a sua nação para a fase de sucessão, segurança e consolidação do poder e inclusive para conquistar mediante o dá'wa e as conquistas militares das capitais do mundo inteiro", prossegue a arenga do membro do Hamas.

Em opinião do Yunis ao-Astal, Roma "plantou os irmãos de símios e porcos na Palestina para acautelar o despertar do Islã". "Acredito que nossos filhos, nossos netos, herdarão a nossa jihad (guerra Santa muçulmana) e os nossos sacrifícios e, pelo Alá, os comandantes de nossa conquista estarão entre eles", acrescentou.

"Hoje, semeamos estas sementes em suas almas e por meio das mecas e os livros do Corão, e a história de nossos profetas, seus companheiros e os grandes líderes, os preparamos para a missão de salvar a humanidade do fogo do inferno a bordo do qual se encontram", continuou.

Segundo FOX News, ao-Astal encorajou em junho de 2007 as mulheres a martirizar-se: "Quando a jihad se converte em um dever individual, também se aplica às mulheres, porque as mulheres não diferem dos homens quando se trata de deveres individuais", disse em uma entrevista em 23 de junho.

Para ver o vídeo do Yunis Ao-Astal, (com subtítulos em inglês) entre em http://www.memritv.org/clip/en/1739.htm

Voltei. Se os muçulmanos não querem mais ter seu nome e sua religião associadas ao terror, à falta de liberdade e a toda ao desenvolvimento atrelado ao petróleo, então que eles condenem essa postura claramente terrorista do clérigo.

Se eles acham que derrubarão a Roma, seja por meio do terror, seja por meio de uma revolução cultural, estão redondamente enganados. E estejam certos de que haverá reações recíprocas a qualquer tentativa, não só por parte da Igreja, mas por parte de todo o Ocidente que ama a liberdade.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: