sexta-feira, 18 de abril de 2008

Conselho de Saúde manifesta apoio ao uso de células-tronco em pesquisas

Saudações queridos leitores!

O Conselho Nacional de Saúde manifestou apoio às pesquisas com células-tronco embrionárias. Mais uma entidade a fazer pressão sobre o que eu vejo como o maior engano de nosso século. Fiquem com reportagem da Folha Online (íntegra aqui), volto depois.

Conselho de Saúde manifesta apoio ao uso de células-tronco em pesquisas

da Folha Online

O Conselho Nacional de Saúde manifestou nesta quinta-feira (17) seu apoio às pesquisas com células-tronco embrionárias. Durante a reunião do órgão realizada em Brasília, ficou definido que será produzido um documento com a posição do conselho sobre o assunto, a ser enviado ao STF (Supremo Tribunal Federal).

No dia 5 de março, o tribunal interrompeu um julgamento sobre uma ação que pede a exclusão do artigo 5º da Lei de Biossegurança. O artigo permite a utilização em pesquisas de células-tronco embrionárias fertilizadas in vitro e não utilizadas.

Segundo a assessoria de imprensa do ministério da Saúde, na reunião de hoje o conselho manifestou apoio à manutenção do artigo. Dos 39 conselheiros presentes, 38 manifestaram apoio às pesquisas com células-tronco embrionárias. Apenas a representante da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Zilda Arns, votou contra esses testes.

"É a sociedade brasileira, representada em toda sua pluralidade, apoiando a ciência e a esperança de milhares de brasileiros", afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em nota.

Voltei. Em primeiro lugar, lamento a decisão do Conselho Nacional de Saúde, que se equivoca diante das evidências de que o ramo promissor são as células tronco adultas induzidas. Em segundo lugar, fica a fala do Ministro da Doença, ops, Saúde, que, alguns meses atrás estava execrando uma decisão contrária, dizendo que a ignoraria, pois achava que era manipulada. Mas agora, como a decisão foi favorável a sua ideologia, ele a trata como o saber perene do povo. Lixo!

As pesquisas com células-tronco embrionárias violam o direito à vida que todos temos, independente do estágio. Negar isso é dar abertura para o assassinato indiscriminado, já que sempre haverão pessoas querendo avançar um pouco mais sobre os limites. É um desrespeito total com a vida. Se não protegermos a vida desde seu início, quem garante que ela continuará protegida em suas outras fases?

Repito: estão todos apostando suas fichas no lado errado.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: