domingo, 20 de abril de 2008

Bento XVI visita 'Ground Zero' e reza por vítimas dos ataques de 11 de setembro

Saudações queridos leitores!

Em um dos momentos mais esperados e marcantes de sua visita aos Estados Unidos, o Papa Bento XVI visita o local das tragédias ocorridas em 11 de setembro de 2001. Fiquem com notícia da AFP (íntegra aqui), volto depois.

Bento XVI visita 'Ground Zero' e reza por vítimas dos ataques de 11 de setembro

NOVA YORK, 20 Abr 2008 (AFP) - O papa Bento XVI prestou homenagem neste domingo às 3.000 vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001 rezando em sua memória no último dia da visita aos Estados Unidos, que será concluída com uma missa no estádio de beisebol dos Yankees de Nova York.

"Te pedimos que por tua bondade concedas a luz e a paz eternas a todos os que morreram aqui", disse o Papa após ter se ajoelhado por alguns minutos em silêncio no local da tragédia.

Bento XVI rezou por aqueles "que heroicamente socorreram os primeiros, nossos bombeiros, policiais, serviços de emergência e as autoridades portuárias, e todos os homens e mulheres inocentes que foram vítimas desta tragédia simplesmente porque vieram aqui para cumprir com seu dever".

O sumo pontífice orou diante da área onde ficavam as Torres Gêmeas do World Trade Center, no sul de Manhattan.

Os ataques, praticados paralelamente ao do Pentágono em Washington com aviões seqüestrados por suicidas, deixaram cerca de 3.000 mortos e paralisaram os centros nevrálgicos financeiro e militar dos Estados Unidos.

"Alivie também a dor das famílias que ainda sofrem e de todos os que perderam seus entes queridos nesta tragédia. Dai-lhes força para continuar vivendo com valentia e esperança", rezou o santo padre.

Posteriormente, o papa que vestia a batina cruzada branca, conversou com alguns familiares das vítimas que compareceram à breve cerimônia, antes de deixar o local no "papamóvel".

Bento XVI é o primeiro papa a visitar o local. "A visita do Papa é muito importante para famílias como a minha, que nunca recuperaram os corpos dos seus parentes", explicou à AFP Sally Regenhard, que perdeu um filho em 11 de setembro de 2001.

Voltei. Esses atentados devem ser condenados veementemente por todos os que amam e prezam a liberdade, porque eles não foram atentados a uma pátria, mas sim ao mundo em que vivemos, um mundo onde a liberdade é um valor fundamental e inegociável.

Nós, e quando digo isso, não falo apenas dos americanos, dessa ou daquela nação, mas sim de todo o mundo ocidental, damos tanto valor à liberdade que permitimos que dentro de nosso mundo floresçam até mesmo ideologias e pensamentos que visam destruir essa mesma liberdade que lhes permitiu nascer. Apesar disso, não podemos baixar a guarda jamais, temos que nos manter vigilantes para rechaçar qualquer ameaça contra a liberdade, venha de onde vier.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: