sábado, 22 de março de 2008

Sábado, Vigília Pascal

Saudações queridos leitores!

Sábado, 22 de março - Mt 28, 1-10 (Vigília Pascal)

O Cristo Ressuscitado, de Fra Angélico

1Ao romper da alva do primeiro dia da semana, depois do sábado, foram Maria Madalena e a outra Maria ver o sepulcro. 2Senão quando sentiu-se um grande terramoto, porque um Anjo do Senhor desceu do Céu e, aproximando-se, rolou a pedra e sentou-se sobre ela. 3O seu aspecto era como o relâmpago, e o vestido branco como neve. 4Com medo dele, assombraram-se os guardas e ficaram como mortos. 5Mas o Anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: Não tenhais medo, vós, pois sei que buscais a Jesus, o crucificado. 6Não está aqui, porque ressuscitou como tinha dito. Vinde ver o lugar onde jazia 7e depois ide depressa dizer aos discípulos: Ressuscitou dos mortos e vai adiante de vós para a Galileia. Lá O vereis. Eis que eu vo-lo disse.
8Elas saíram à pressa do sepulcro com medo e com grande alegria e correram a dar a notícia aos discípulos. 9E eis que Jesus lhes saiu ao encontro, dizendo: Deus vos salve. E elas aproximaram-se, abraçaram-se-Lhe aos pés e adoraram-No. 10Disse-lhes então Jesus: Não temais. Ide dar a notícia aos Meus irmãos, para que vão para a Galileia e lá Me verão.

Palavra da Salvação.

Reflexão de Santo Hesíquio (?-c. 451), monge, presbítero

I Homilia para a Páscoa

“Esta é a noite em que Cristo, quebrando as cadeias da morte, Se levanta vitorioso do túmulo”

O céu brilha quando é iluminado pelo coro das estrelas, e o universo brilha ainda mais quando se ergue a estrela da manhã. Mas esta noite resplandece, não tanto com o brilho dos astros, mas de alegria perante a vitória do nosso Deus e Salvador: “Tende confiança! Eu venci o mundo”, diz Ele (Jo 16, 3). Depois desta vitória de Deus sobre o inimigo invisível, também nós obteremos certamente a vitória sobre os demónios. Permaneçamos, pois, junto da cruz da nossa salvação, a fim de colhermos os primeiros frutos dos dons de Jesus. Celebremos esta noite santa com chamas sagradas; façamos erguer a música divina, cantemos um hino celeste. O “Sol da justiça” (Mal 3, 20), Nosso Senhor Jesus Cristo, iluminou este dia para todo o mundo, erguendo-Se por meio da cruz e salvando os crentes. […]

A nossa assembleia, meus irmãos, é uma festa de vitória, a vitória do Rei do Universo, Filho de Deus. Hoje, o demónio foi destruído pelo Crucificado, e a humanidade encheu-se de alegria pelo Ressuscitado. […] Exclama este dia: “Hoje, vi o Rei do Céu, cingido de luz, subir acima do brilho e de toda a claridade, acima do sol e das águas, acima das nuvens.” […] Ele esteve oculto, primeiro no seio de uma mulher, depois no seio da terra, primeiro santificando aqueles que são gerados, em seguida concedendo a vida pela Sua ressurreição àqueles que morreram, porque “deles fugirão a tristeza e os gemidos” (Is 35, 10). […]

Hoje, o paraíso foi aberto pelo Ressuscitado, Adão voltou à vida, Eva foi consolada, o chamamento foi ouvido, o Reino está preparado, o homem foi salvo, Cristo é adorado. Ele esmagou a morte a Seus pés, aprisionou esse tirano, desbaratou a mansão dos mortos. Ele sobe aos céus, vitorioso como um rei, glorioso como um chefe […], e diz a Seu Pai: “Eis-Me aqui, e os filhos que Me deu o Senhor” (Heb 2, 13). Glória a Ele, agora e pelos séculos dos séculos.

Fiquem com Deus,
Fernando.

Nenhum comentário: