domingo, 2 de março de 2008

O encrenqueiro mora de um lado, de outro lado, em cima, embaixo...

Saudações queridos leitores!

Mais um a eleger o Brasil como o inimigo imperialista. Fiquem com trechos da reportagem da Veja, volto depois.

O encrenqueiro mora ao lado

O candidato favorito nas eleições paraguaias quer forçar o Brasil a pagar mais por Itaipu

Duda Teixeira, de Assunção

O barão do Rio Branco, criador da moderna diplomacia brasileira, enviou em 1905 uma carta ao seu representante no Paraguai com a seguinte mensagem: "Um vizinho turbulento é sempre um vizinho incômodo e perigoso". Nas próximas eleições presidenciais paraguaias, em 20 de abril, um recado similar poderia partir de Brasília. O "vizinho turbulento", no caso, é Fernando Lugo, candidato que lidera as pesquisas de intenção de voto. Ele adotou como bandeira uma curiosa e paroquial versão da desacreditada teoria da dependência. A originalidade dessa reformulação reside na substituição dos Estados Unidos pelo Brasil no papel de inimigo externo, com ambições imperialistas. Há duas providências que Lugo promete tomar, caso venha a se sentar na cadeira de presidente. A primeira é multiplicar por sete o valor que o Brasil paga atualmente pela energia fornecida pela usina de Itaipu, passando de 250 milhões para 1,8 bilhão de dólares por ano. A segunda é uma "reforma agrária integral". Para os fazendeiros brasileiros com terras no país vizinho, o adjetivo significa que suas propriedades estão em risco.

(...)

Itaipu, que pertence em partes iguais aos dois países, é responsável por 20% da energia elétrica consumida no Brasil. Ela é a grande geradora de eletricidade para a indústria das regiões Sudeste e Sul. Pelo acordo entre Paraguai e Brasil que permitiu a construção da hidrelétrica, cada um tem o direito de usar metade da energia produzida. Caso não a utilize, sua obrigação é vendê-la ao parceiro. O Paraguai vende ao Brasil 87% da energia a que tem direito. Para um país que não desembolsou nem 1 centavo pela obra (totalmente paga pelo Brasil), trata-se de um excelente negócio. O cálculo do preço da energia de Itaipu é feito com base nas regras definidas pelo tratado bilateral de 1973. O Brasil paga 74 reais pelo megawatt/hora de Itaipu, o que está longe de ser uma pechincha. O valor pago a outras usinas varia de 50 a 95 reais por megawatt/hora.

Lugo, de 56 anos, tornou-se conhecido como bispo da Província de San Pedro, onde se concentram os maiores conflitos por terra no Paraguai. Partidário da Teologia da Libertação, ele aderiu ao MST e passou a ser chamado de "bispo dos pobres". Em dezembro de 2006, pendurou a batina para concorrer à Presidência. A Constituição paraguaia proíbe religiosos de se candidatar a cargos políticos, mas seus adversários perderam o prazo para pedir sua impugnação. Em entrevistas a jornais paraguaios, ele diz que o "socialismo do século XXI" do venezuelano Hugo Chávez é "muito estimulante". Quando fala à imprensa brasileira, cuida das palavras. Em entrevista a VEJA, na sala de sua casa em Assunção (onde vive em companhia de uma freira e dois sobrinhos), Lugo fez questão de demonstrar a distância existente entre seu projeto político e o de populistas no poder em outros países. "Há muitas diferenças entre mim e Chávez ou Morales. Não quero ficar mais do que dois mandatos, não sou um militar nem pretendo impor um partido único ao país", disse.

* * *

Voltei. Vocês leram certo. Mais um esquerdóide, filhote da famigerada TL está correndo para o poder. E está na frente. Dom Fernando Lugo largou o episcopado para concorrer ao cargo de presidente, mesmo sabendo da proibição da Igreja. Hoje ele está suspenso.

Mas o que mais impressiona não é isso. O Paraguai, do alto de sua irrelevância, seja territorial, seja econômica, se tornará uma ameaça ao Brasil caso Dom Fernando chegue à presidência e coloque seu plano em ação. Em primeiro lugar, ele já deixa claro que somos os imperialistas a serem combatidos, seja lá o que ele queira dizer com isso, pois não estamos fazendo nada demais em seu país. Esses caras da esquerda têm uma característica comum: o que eles falam não se escreve. Vejam que ele pretende multiplicar por sete (!!!) o valor da energia elétrica de Itaipu que o país não usa por não ter onde gastar. Para quem ganhou uma usina e ainda vende a energia excedente, é um excelente negócio.

Então eu gostaria de saber por que raios ele vai aumentar o preço dessa maneira sendo que seu país não colocou sequer um centavo na construção da usina! O Brasil, coitado, muito bobinho, vai ter que se ajoelhar ou então teremos racionamento, visto que não estamos dando conta de alimentar nossa indústria e nossas casas. Essa notícia chega no pior momento possível.

Ele também quer uma reforma agrária por causa dos brasileiros que têm terras no Paraguai. Entenda-se por reforma agrária a expropriação das terras brasileiras por pura birra, visto que os brasileiros estão buscando seu sustento em terras que os paraguaios não estavam usando. Tanto é que os próprios paraguaios venderam as terras aos fazendeiros brasileiros. Se eles as querem de volta, que as compre por um preço justo.

Para finalizar, Dom Fernando Lugo nos mostra um pouco de suas inspirações. A Teologia da Libertação, corrente daninha, que é condenada pela Igreja, o que torna esse Bispo excomungado latae sententiae e o caudilho beiçudo de Caracas, Hugo Chávez, o expropriador-mor, cria ideológica de Fidel Castro, o homicida que já está morto mas esqueceu-se de deitar. Por mais que ele alegue que tem uma certa distância de alguns aspectos ideológicos de Chávez e Morales, o índio cocaleiro, em síntese são todos iguais. Se parecem diferentes, é porque as estruturas democráticas mais ou menos sólidas de cada país os obrigam a agir assim.

Chávez que é igual a Morales que é igual a Lugo que é igual a Lula que é igual a Fidel que é igual a Che que é igual a Correa...

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: