segunda-feira, 24 de março de 2008

Bento XVI batiza famoso convertido do Islã na Vigília Pascal

Saudações queridos leitores!

A Vigília Pascal em Roma é sempre um momento sublime. Algum dia estarei lá. Sobre esse momento, fiquem co ZENIT (leia mais aqui), volto depois.

Bento XVI batiza famoso convertido do Islã na Vigília Pascal

Magdi Allam encontrou no catolicismo «a certeza da verdade»

Por Jesús Colina

CIDADE DO VATICANO, domingo, 23 de março de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI batizou sete pessoas na Vigília da noite de Páscoa, cinco mulheres e dois homens de diferentes países, entre eles o famoso jornalista de origem egípcia Magdi Allam, convertido do Islã.

«Sempre de novo nos devemos tornar ‘convertidos’, com toda a vida voltada para o Senhor. E sempre de novo devemos deixar que o nosso coração seja subtraído à força da gravidade, que o puxa para baixo, e levantá-lo interiormente para o alto: para a verdade e o amor», disse o Papa na homilia dirigindo-se a todo batizado.

A Vigília, momento mais importante do ano litúrgico, na qual se revive a ressurreição de Jesus, começou no átrio da Basílica de São Pedro com a bênção do fogo e a iluminação do círio pascal.

Como é tradição, nesta noite o Papa administrou o Batismo e os outros dois sacramentos da iniciação cristã (Confirmação e Comunhão) a adultos de diferentes nacionalidades e condição, que realizaram o necessário caminho de preparação espiritual e catequética, que na tradição cristã se chama «catecumenato».

As sete pessoas que nesta ocasião receberam o Batismo são originárias da Itália, Camarões, China, Estados Unidos e Peru.

Magdi Allam, subdiretor do «Il Corriere della Sera», jornal de maior tiragem na Itália, de 55 anos, que vive no país há 35, recebe proteção policial há cinco anos pelas ameaças recebidas em decorrência de suas críticas ao islamismo radical violento.

Voltei. A Vigília Pascal do Vaticano é marcada por belíssimos testemunhos e conversões, o que dá um sentido ainda mais divino à Páscoa. Esse caso em particular me é muito emocionante.

Sempre me alegro em ver uma conversão, pois os cristãos resultantes dessas conversões tornam-se pessoas exemplares. Nesse caso, o convertido, vindo do Islã, exalta o caráter racional que a Fé deve ter, sempre harmoniosa com a razão. As ameaças que Magdi Allam recebe por suas críticas ao Islã violento (que só prova que eles são realmente violentos) são mais uma evidência de que a Fé não pode ser dissociada da razão.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Um comentário:

Evelyn Mayer de Almeida disse...

Eu também fiquei muitíssimo feliz com este caso. É sinal de que o Senhor realmente recolhe os seus debaixo de suas asas tal qual a galinha com seus pintainhos.

São as alegrias em meio a tantas desgraças que assistimos por ai.

Deus seja louvado!